<b>As culturas da infância nas dinâmicas de sociabilidade entre bebês</b>

Autores

  • Rachel Freitas Pereira

Palavras-chave:

Bebês. Dinâmicas de sociabilidade. Culturas da infância.

Resumo

Este estudo parte de um projeto de dissertação de mestrado e tem por objetivo centrar olhares e percepções para as culturas infantis nas interações sociais que bebês, de um ano e meio a dois anos e meio, estabelecem entre si em uma Escola Municipal de Educação Infantil. A tentativa é de compreender as múltiplas linguagens que esses bebês utilizam nas suas interações para constituir suas dinâmicas de sociabilidade, e suas culturas da infância, concebidas como formas singulares de significação e apreensão do mundo, as quais as crianças criam e compartilham nos seus grupos de pares. Para tanto, busquei traçar algumas reflexões acerca do lugar social que os bebês ocupam, e realizar um breve levantamento de alguns grupos de pesquisa no Brasil que vem se destacando em pesquisar crianças com idade entre zero e três anos. O referencial teórico que subsidia esta investigação é o da Sociologia da Infância em diálogo com outros campos teóricos que também consideram a agência das crianças pequenas nas dinâmicas de sociabilidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rachel Freitas Pereira

Graduada em Pedagogia Educação Infantil pela FURG – Universidade Federal do Rio Grande, e mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação da UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, da Linha de Pesquisa Estudos sobre as Infâncias.

Mais informações: Currículo Lattes

Downloads

Publicado

2010-11-12

Como Citar

Pereira, R. F. (2010). &lt;b&gt;As culturas da infância nas dinâmicas de sociabilidade entre bebês&lt;/b&gt;. Momento - Diálogos Em Educação, 19(1), 105–122. Recuperado de https://periodicos.furg.br/momento/article/view/1467

Edição

Seção

Artigos