O corpo como lugar onde a experiência da educação ambiental nos toca
The body as a place touched by the environmental education experience

Derli Juliano Neuenfeldt, Jane Márcia Mazzarino

Resumo


Este artigo propõe pensar o corpo como lugar central do processo de Educação Ambiental. O corpo é o lugar onde a transcendência do sujeito articula-se com o mundo (GONÇALVES, 2001). Negar o corpo é, também, negar a experiência (GRÜN, 2008). Para retomar a importância do corpo na Educação Ambiental, este trabalho debruça-se sobre a compreensão de experiência proposta por Larrosa (2002; 2014), que propõe pensá-la como o que se adquire no modo como alguém vai respondendo ao que vai lhe acontecendo ao longo da vida e no modo como damos sentido ao acontecer do que nos acontece. Entender a relação do corpo com o mundo vivido (MERLEAU-PONTY, 1999) e como lugar onde a Educação Ambiental pode alojar-se, desenvolver-se e frutificar é o caminho sugerido para a ressignificação da relação do homem consigo, com o outro e com o ambiente.

Palavras-chave


Corpo; Experiência; Educação Ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Luciano; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo; BRACHT, Valter. Experiência. In.: GONZÁLEZ, Fernando Jaime; FENSTERSEIFER, Paulo Evaldo. Dicionário Crítico de Educação Física. 3 ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2014. p. 297-302.

BETRÁN, Javier Oliveira; BETRÁN, Alberto Oliveira. Proposta Pedagógica para as atividades físicas de aventura na natureza (AFAN) na Educação Física do Ensino Médio. In.: MARINHO, Alcyane; BRUHNS, Heloisa Turini (Org.). Viagens, lazer e esporte. Barueri: Manole, 2006. p. 180-210.

CAPRA, Fritjof. (a). Falando a linguagem da natureza: princípios da sustentabilidade. In.: STONE, Michel K.; BARLOW, Zenólia (Orgs). Alfabetização ecológica: a educação das crianças para um mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006. p. 46-57.

______ (b). Como a natureza sustenta a vida. In.: STONE, Michel K.; BARLOW, Zenólia (Orgs). Alfabetização ecológica: a educação das crianças para um mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006. p. 13-15.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da educação ambiental no Brasil. 2 ed. Porto Alegre: UFRGS, 2002.

______. Educação Ambiental e a formação do sujeito ecológico. 6 ed. São Paulo: Cortez, 2014.

CORNELL, Joseph (a). Vivências com a natureza 1: guia de atividades para pais e educadores. 3 ed. São Paulo: Aquariana, 2008.

______ (b). Vivências com a natureza 2: novas atividades para pais e educadores. São Paulo: Aquariana, 2008.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e método. 10 ed. Petrópolis: Vozes, 2008.

GIDDENS, Anthony. Para além da esquerda e da direita. O futuro da política radical. São Paulo: Editora da Universidade Estadual Paulista, 1996. Tradução de Alvaro Hattnher.

GONÇALVES, Maria Augusta Salin. Sentir, pensar e agir: corporeidade e educação. 5 ed. Campinas: Papirus, 2001.

GRÜN, Mauro. Ética e Educação Ambiental: a conexão necessária. 14. ed. Campinas, SP: Papirus, 2011.

______ A importância dos lugares na Educação Ambiental. Revista Eletrônica Mestrado Educ. Ambiental. Rio Grande, v. especial, p. 1517-1526, dez., 2008.

GRUNENNVALDT, José Tarciso; SURDI, Aguinaldo César; PEREIRA, Daniele, Alves;

GUIMARÃES, Mauro. A dimensão ambiental na Educação. 11 ed. Campinas, SP: Papirus, 2011.

HILDEBRANDT-STRAMANN, Reiner. Experiência: uma categoria central na Teoria Didática das Aulas Abertas. In.: HILDEBRANDT-STRAMANN, Reiner. (Org.). Textos Pedagógicos sobre o ensino da Educação Física. 3 ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2005. p. 79-98.

LARROSA, Jorge. Notas sobre a experiência e o saber de Experiência. Revista Brasileira de Educação. São Paulo, n. 19, jan./fev./mar./abr., p. 20-28, 2002.

______Tremores: escritos sobre experiência. Belo Horizonte: Autêntica, 2014.

LE BRETON, David. Adeus ao corpo: Antropologia e sociedade. Campinas, SP: 2003.

MATAREZI, José. Despertando os sentidos da educação ambiental. Educar. Curitiba, n. 27, p. 181-199, 2006. Disponível em: . Acesso em: 15/08/2015.

MERLEAU-PONTY, Maurice. Fenomenologia da Percepção. 2 ed. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MORIN, Edgar. Os sete saberes necessários à Educação do Futuro. 10 ed. São Paulo: Cortez, 2005.

PASQUALETTO, Antonio; MELO, Emair Lucas. Trilha sensitiva no Memorial do Cerrado da Universidade Católica de Goiás. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v.18, p. 01-11; jan./jun., 2007. Disponível em: . Acesso em: 15/08/2015.

PAYNE, Phillip G.; WATTCHOW, Brian. Phenomenological Deconstruction, Slow Pedagogy, and the Corporeal Turn in Wild Environmental/Outdoor Education. Canadian Journal of Environmental Education, v. 14. p. 15-32. 2009. Disponível em: . Acesso em: 15/08/2015.

SCHWARTZ, Maria Gisele (Org.). Aventuras na Natureza: consolidando significados. Jundiaí, SP: 2006.

SOFFIATI, Arthur. Algumas palavras sobre uma teoria da eco-história. Desenvolvimento e Meio Ambiente. Paraná. n. 18, p.13-26. jul./dez., 2008.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meio ambiente. RJ: DIFEL, 1980.

______ Espaço, tempo, lugar: um arcabouço humanista. Geograficidade. Niterói, v. 01, n. 1, Inverno, p. 04-15, 2011. Disponível em:

. Acesso em: 15/08/2015.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v33i1.5309

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2016 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.