A ambientalização curricular no ensino superior:

uma análise de 9 cursos de licenciatura em química do nordeste brasileiro

Autores

  • Norma Nancy Emanuelle Silverio da Silva Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Karen Cavalcanti Tauceda Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v39i2.13890

Palavras-chave:

Ambientalização curricular. Ensino Superior. Licenciatura em Química.

Resumo

O presente trabalho tem por objetivo analisar quais os conhecimentos propostos por nove cursos de licenciatura em química que pressupõem a ambientalização curricular no ensino superior. A pesquisa classifica-se como exploratória, descritiva e documental, numa abordagem qualitativa, com uso da técnica de análise de conteúdo e aplicação dos Indicadores da Rede ACES. Foram analisadas 44 disciplinas que apresentaram conteúdos envolvendo a problemática socioambiental. Os resultados indicam um processo paulatino de ambientalização curricular no ensino superior, tanto no que se refere à inclusão da dimensão ambiental (art. 11 da PNEA), quanto ao alinhamento aproximativo às características propostas pela Rede ACES. Todos os nove cursos apresentaram componentes curriculares com potencialidades para o debate em torno da problemática socioambiental, mas estruturados numa proposta epistemológica disjuntiva do conhecimento, o que não se coaduna com a necessária visão complexa das múltiplas causas dos problemas socioambientais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Norma Nancy Emanuelle Silverio da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutoranda no Programa de Pós-graduação em Educação em Ciências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre/ RS, Brasil, mestre em Ciências pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2015), especialista em Gestão de Políticas Públicas pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (2011) e graduada em Direito pela Universidade Católica de Pernambuco (2005). E-mail: normanancy@hotmail.com.

Karen Cavalcanti Tauceda, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas (1994) e Graduação em Bacharelado em Zoologia (1999) pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), mestrado (2010) e doutorado (2014) em Educação em Ciências Química da Vida e Saúde pela UFRGS, Pós-doutorado em Educação em Ciências - Formação de professores (2015) pela Universidade do Vale do Taquari (UNIVATES). Professora de graduação no Campus Litoral Norte, Departamento Interdisciplinar, do PPG Educação em Ciências/UFRGS e do MNPEF da Sociedade Brasileira de Física, UFRGS, Porto Alegre/RS, Brasil. E-mail: ktauceda@gmail.com

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1979.

BERNARDES, J. Desmatamento na floresta amazônica causado por mineração ilegal aumenta 90% entre 2017 e 2020. Jornal da USP. Caderno Ciências Ambientais. 18.05.21. Disponível em: https://jornal.usp.br/?p=415530. Acesso em: 22 dez. 2021.

BONIL, J.; CALAFELL, G.; GRANADOS, J., JUNYENT, M.; TARÍN, R. M. Un modelo formativo para avanzar en la ambientalización curricular: A training model for progress in curriculum ambientalização. Profesorado: Revista de currículum e formación del profesorado. v. 16, n. 2, p. 145-163, 2012. Disponível em: https://www.ugr.es/~recfpro/rev162ART9.pdf. Acesso em: 15 nov. 2021.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado, 1988.

BRASIL. Ministério da Educação – MEC. PARECER N.º: CNE/CES 1.303/2001. Brasília, 2001. Disponível em : http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES1303.pdf. Acesso em 15 nov. 2021.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências.

CAPRA, F. As conexões ocultas: ciência para uma vida. São Paulo: Cultrix, 2005.

CARVALHO, I. C. M. A pesquisa em educação ambiental: perspectivas e enfrentamentos. Revista Pesquisa em Educação Ambiental, vol.15, n.1, p. 39-50, jun. 2020. Disponível em: http://dx.doi.org/10.18675/2177-580X.2020-15126. Acesso em: 12 ago. 2020.

FARIA, J.; GUIMARÃES, M. Possibilidades potentes para a formação de educadores ambientais: a “ComVivência Pedagógica”. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 38, n. 3, p. 138–158, 2021. DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v38i3.13419. Acesso em: 15 nov. 2021.

FREIRE, P. Pedagogia da indignação: cartas pedagógicas e outros escritos. São Paulo: Editora UNESP, 2000.

FONSECA, A.; AMORIM, L.; RIBEIRO, J.; FERREIRA, R.; MONTEIRO, A.; SANTOS, B.; ANDRADE, S.; SOUZA JR, C.; VERÍSSIMO, Adalberto. Boletim do desmatamento da Amazônia Legal. nov. 2021. Belém: Imazon. Disponível em: https://imazon.org.br/imprensa/desmatamento-na-amazonia-de-janeiro-a-novembro-ultrapassa-10-mil-km%C2%B2-pior-marca-em-10-anos/. Acesso em: 22 dez. 2021.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2008

GUERRA, A. F. S.; FIGUEIREDO, M. L. Ambientalização curricular na Educação Superior: desafios e perspectivas. Educar em Revista [online]. Edição Especial n. 3, p. 109-126, 2014. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-4060.38110. Acesso em: 15 jul. 2021.

GUIMARÃES, M.; CARTEA, P. Á. M. Rota de Fuga para Alguns, ou Somos Todos Vulneráveis? A Radicalidade da Crise e a Educação Ambiental. Ensino, Saúde e Ambiente, n. especial, p. 21-43, jun. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.22409/resa2020.v0i0.a40331. Acesso em: 05 nov. 2020.

IPCC. The Intergovernmental Panel on Climate Change. In Press. 2021. Disponível em: https://www.ipcc.ch/sr15/. Acesso em: 22 dez. 2021.

JUNYENT, M.; GELI, A. M.; ARBAT, E. Características de la Ambientalización Curricular: Modelo ACES. Universitat de Girona. Capítulo 1. 2003. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/267259956. Acesso em: 15 jun. 2021.

LAYRARGUES, P. P. Manifesto por uma Educação Ambiental indisciplinada. Ensino, Saúde e Ambiente, n. especial, p. 44-48, jun. 2020. Disponível em: https://periodicos.uff.br/ensinosaudeambiente/article/view/40204. Acesso em: 15 jul. 2021.

LEFF, E. Aventuras da epistemologia ambiental: da articulação das ciências ao diálogo de saberes. São Paulo: Cortez, 2012.

LEFF, E. A complexidade ambiental. São Paulo: Cortez, 2018.

MOREIRA, M. A. Aprendizagem significativa crítica. Versão revisada e estendida de conferência proferida no III Encontro Internacional sobre Aprendizagem Significativa, Lisboa (Peniche). Publicada nas Atas desse Encontro, p. 33-45, 2000. Disponível em: http://www.if.ufrgs.br/~moreira/apsigcritport.pdf. Acesso em: 11 mar. 2021.

MORIN, E. A religação dos saberes: o desafio do século XXI. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

MORIN, E. Introdução ao pensamento complexo. Porto Alegre: Salinas, 2011.

ONU. Organização das Nações Unidas. Acesso ao meio ambiente saudável é declarado um direito humano. 2021. Disponível em: https://news.un.org/pt/story/2021/10/1766002. Acesso em: 22 dez. 2021.

MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec, 2008.

MOTA, J. C.; KITZMANN, D. I. S. Um Estado da Questão sobre Ambientalização Curricular na Educação Superior brasileira: práticas, desafios e potencialidades. REMEA - Rev. Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental. Rio Grande, v. 34, n. 3, p. 72-92, set./dez. 2017. Disponível em: http://dx.doi.org/10.14295/remea.v34i3.7475. Acesso em: 10 out. 2021.

MOTA, J. C.; KITZMANN, D. I. S. O Processo de Ambientalização Curricular na Educação Superior: uma Proposta Metodológica. Cadernos de Pesquisa: Pensamento Educacional, v. 13, p. 318-334, 2018. Disponível em: https://doi.org/10.35168/2175-2613.UTP.pens_ed.2018.Vol13.NEspecial.pp318-334. Acesso em: 10 out. 2021.

RUSCHEINSKY, A. Educação Ambiental: abordagens múltiplas. Porto Alegre: Penso, 2012.

WACHHOLZ, C. B.; CARVALHO, I. C. M. Indicadores de Sustentabilidade na PUCRS: Uma Análise a Partir do Projeto Rede de Indicadores de Avaliação da Sustentabilidade em Universidades Latino-Americanas. Revista Contrapontos – Eletrônica, v. 15, n. 2, p. 279-296, mai./ago. 2015. Disponível em: https://siaiap32.univali.br/seer/index.php/rc/article/view/6968. Acesso em: 15 set. 2021.

Downloads

Publicado

2022-06-17

Como Citar

Silva, N. N. E. S. da, & Tauceda, K. C. (2022). A ambientalização curricular no ensino superior:: uma análise de 9 cursos de licenciatura em química do nordeste brasileiro. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 39(Especial), 256–276. https://doi.org/10.14295/remea.v39i2.13890

Edição

Seção

Dossiê Realidades da Educação Ambiental em Universidades Latino-Americanas