Para uma educação ambiental crítica:

uma análise acerca das experiências de ensino, pesquisa e extensão no CODAI da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Autores

  • Louise Claudino Maciel CODAI da UFRPE
  • Everaldo Nunes de Farias Filho CODAI da UFRPE
  • Márcio Romerito da Silva Arcoverde CODAI da UFRPE
  • Marta Milene Gomes de Araújo CODAI da UFRPE

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v39i2.13885

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Campo Ambiental, Sustentabilidade, Universidade

Resumo

Este artigo tem como objetivo discutir o lugar da Universidade na consolidação de uma Educação Ambiental (EA) crítica através do conceito de campo de Pierre Bourdieu e apresentar duas experiências práticas de fomento a uma EA de cunho crítico e emancipatório no âmbito do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da UFRPE (CODAI), pertencente à Universidade Federal Rural de Pernambuco. Os dados foram coletados a partir de observações e questionários fechados aplicados aos participantes. Os resultados apontaram que as Universidades devem fomentar uma EA que forme nos sujeitos a consciência crítica dos problemas socioambientais do nosso tempo, dos múltiplos atores envolvidos e das relações de poder e de força atuantes dentro e no entorno do campo ambiental. Além disso, os resultados das duas experiências exitosas mostraram que o CODAI da UFRPE desenvolveu ações formativas em EA tanto inicial quanto continuada numa perspectiva crítica, transversal e interdisciplinar, legitimando o papel da Universidade na formação holística e emancipatória do cidadão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Louise Claudino Maciel, CODAI da UFRPE

Doutora em Sociologia pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Everaldo Nunes de Farias Filho, CODAI da UFRPE

Doutor em Ensino de Ciências e Matemática pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Professor do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Márcio Romerito da Silva Arcoverde, CODAI da UFRPE

Mestre em História pela Universidade Federal Rural de Pernambuco. Professor do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Marta Milene Gomes de Araújo, CODAI da UFRPE

Mestra em Letras pela Universidade Federal de Pernambuco. Professora do Colégio Agrícola Dom Agostinho Ikas da Universidade Federal Rural de Pernambuco

Referências

ALONSO, A.; COSTA, V.; MACIEL, D. Identidade e estratégia na formação do movimento ambientalista brasileiro. Novos estudos - CEBRAP, São Paulo , n. 79, 2007, p. 151-167.

ARAUJO, B. M. O ensino agrícola em Pernambuco na primeira metade do século XX: a construção de uma política pública. In: Textos e contextos: Escritos em história social da Cultura Org. ARAUJO, B. M. Ed. UFPE. Recife, 2015.

BECK, U. Sociedade de Risco: rumo a uma outra modernidade. São Paulo: Ed. 34, 2010.

BOURDIEU, P. Questões de sociologia. Lisboa: Fim de século, 2003.

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidente da República, [2016]. Disponível em https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdf. Acesso em 03 nov. 2021.

BRASIL. Lei nº 4.717, de 29 de junho de 1965. Regula a ação popular. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 05 de jul. 1965. Seção 1, p.6241.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 31 de ago. 1981. Seção 1, p.16509.

BRASIL. Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985. Disciplina a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao meio-ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 25 de jul. 1985. Seção 1, p.10649.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 28 de abr. 1999. Seção 1, p.1.

BRASIL. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 de junho de 2012. Seção 1, p. 70.

FOLADORI, G. Limites do Desenvolvimento Sustentável, Campinas: Editora Unicamp, 2001.

LAYRARGUES, P. P. Anti-ecologismo no Brasil: reflexões ecopolíticas sobre o modelo do desenvolvimentismo-extrativista-predatório e a desregulação ambiental pública. In: OLIVEIRA, M. M. D. de et al. (org.). Cidadania, meio ambiente e sustentabilidade. Caxias do Sul: EDUCS, 2017. p. 325-356.

LOUREIRO, M. R.; PACHECO, R. S. Formação e consolidação do campo ambiental no Brasil: consensos e disputas (1972-92). Revista De Administração Pública, v. 29, n. 4, 1995, p.137-153.

MARTINEZ ALIER, J. O ecologismo dos pobres: conflitos ambientais e linguagens de valoração. São Paulo: Contexto, 2007.

MOURA, A. M. M. Trajetória da política ambiental federal no Brasil. In: MOURA, A. M. M. (Org.). Governança Ambiental no Brasil: instituições, atores e políticas públicas. Brasília, DF: Ipea, 2016, p. 14-43.

VIOLA, E.; LEIS, H. R. A evolução das políticas ambientais no Brasil 1971-1991: do bissetorialismo preservacionista para o multissetorialismo orientado para o desenvolvimento sustentável. In: HOGAN, D.; VIEIRA, P. F. (Org.) Dilemas Socioambientais e Desenvolvimento Sustentável. Campinas: Editora da UNICAMP, 1995.

Downloads

Publicado

2022-06-17

Como Citar

Maciel, L. C., Nunes de Farias Filho, E., Romerito da Silva Arcoverde, M., & Milene Gomes de Araújo, M. (2022). Para uma educação ambiental crítica:: uma análise acerca das experiências de ensino, pesquisa e extensão no CODAI da Universidade Federal Rural de Pernambuco . REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 39(Especial), 176–196. https://doi.org/10.14295/remea.v39i2.13885

Edição

Seção

Dossiê Realidades da Educação Ambiental em Universidades Latino-Americanas