Trote ecológico no Campus sede da Universidade Federal do Pará, Belém-PA, Brasil: memória e percepção de um legado

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.9340

Palavras-chave:

Trote Ecológico, Reflorestamento, Educação Ambiental.

Resumo

A Universidade Federal do Pará foi instalada em uma área de várzea, na região Amazônica, margeada e cortada por rios, causando perda severa da cobertura vegetal nativa da maior parte da área a ela designada e transformando o ecossistema desse território. Este estudo investiga os impactos do projeto Trote Ecológico implantado no campus no período de 1990 a 1997, que tinha como premissa desenvolver uma consciência preservacionista nos alunos ingressantes da instituição, engajando-os no processo de reflorestamento do campus. A pesquisa baseou-se na memória documentada ou percebida dos implementadores e servidores que vivenciaram esses trotes. Os resultados mostram o êxito do projeto quanto a arborização do campus e na mudança de comportamento da comunidade universitária em relação às ações de preservação ambiental na instituição e para além dos muros institucionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria da Conceição Gonçalves Ferreira, Universidade Federal do Pará

Mestrado em Ciência e Meio Ambiente (2019); Especialização em Administração Estratégica; Analista de TI da Universidade Federal do Pará desde 1983.

Gilmar Wanzeller Siqueira, Universidade Federal do Pará

Prof. Dr. no Programa de Pós-Graduação em Ciências e Meio Ambiente do Instituto de Ciências Exatas e Naturais da Universidade Federal do Pará/PPGCMA/ICEN/UFPA.

Referências

AMATO-LOURENÇO, Luís Fernando et al. Metrópoles, cobertura vegetal, áreas verdes e saúde. Estud. Av., São Paulo, v. 30, n. 86, p. 113-130, abr. 2016. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142016000100113&lng=pt&nrm=iso. Acesso em: 15 nov. 2017.

BELEM. Lei Ordinária n.º 7.019, 16 de dezembro de 1976. Fixa a Mangueira como árvore ornamental e paisagística da Cidade de Belém e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Belém, 1976. Disponível em: http://www.belem.pa.gov.br/semaj/app/Sistema/view_lei.php?lei=7019&ano=1976&tipo=1. Acesso em: 04 mai. 2019.

BELEM. LEI Nº 7.709/94, de 18 de maio de 1994. Dispõe sobre a preservação e proteção do Patrimônio Histórico, Artístico, Ambiental e Cultural do Município de Belém e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Belém, 1994. Disponível em: http://www.aedmoodle.ufpa.br/pluginfile.php/175047/mod_page/content/12/LEI%207.709%20de%2018%20maio%2094.pdf. Acesso em: 04 mai. 2019.

BELEM. LEI Nº 8.909, de 29 de março de 2012. Dispõe sobre o plano municipal de arborização urbana de Belém, e dá outras providências. Prefeitura Municipal de Belém, 2012. Disponível em: https://leismunicipais.com.br/a/pa/b/belem/lei-ordinaria/2012/890/8.909/lei-ordinaria-n-8.909-2012-dispoe-sobre-o-plano-municipal-de-arborizacao-urbana-de-belem-e-da-outras-providencias. Acesso em: 04 mai. 2019.

BENATTI, José Héder. O Meio Ambiente e os Bens Ambientais. In. RIOS, Aurélio Virgílio. IRIGARAY, Carlos Teodoro Hugueney (Org.). O Direito e o Desenvolvimento sustentável: curso de direito ambiental. São Paulo. SP: Peirópolis, 2005.

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da república federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Senado Federal. 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicaocompilado.htm. Acesso em: 14 jan. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 23 dez. 1996, Seção 1, p. 27.833. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394compilado.htm. Acesso em: 25 nov. 2018.

BRASIL. Lei nº 3.191, de 2 de julho de 1957. Cria a universidade do Pará e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 jul. 1957, Seção 1, p. 16645. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/1950-1969/L3191.htm. Acesso em: 22 ago. 2018.

BRASIL. Decreto nº 53.934, de 27 de maio de 1964. Declara de utilidade pública, para fins de desapropriação, os imóveis que menciona, em Belém, Estado do Pará. Diário Oficial da União. Brasília, DF, 27 mai. 1964, Seção 1. p. 6541. Disponível em: https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1960-1969/decreto-53934-27-maio-1964-393981-norma-pe.html. Acesso em: 14 abr. 2019.

BRASIL. Lei nº 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 2 set. 1981, Seção 1, p. 16509. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm. Acesso em: 4 jan. 2018.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de abril de 1999. Institui a Política Nacional de Educação Ambiental. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, 28 abr. 1999.

BUARQUE, Sergio C. Construindo do desenvolvimento sustentável: metodologia de planejamento. Rio de Janeiro: Garamond, 2006.

BURSZTYN, Marcel; PERSEGONA, Marcelo. A grande transformação ambiental: uma cronologia da dialética homem-natureza. Rio de Janeiro: Garamond, 2008.

CARVALHO, Izabel Cristina de Moura. Educação ambiental crítica: nomes e endereçamentos da educação. In: LAYRARGUES, P. P. (Coord.). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, Diretoria de Educação Ambiental, 2004. p. 13-24.

FERREIRA, Maria da Conceição Gonçalves. Trote Ecológico no Campus Sede da Universidade Federal do Pará, Belém-PA, Brasil: Memória e Percepção de um Legado. 2019. 95f. Dissertação (Mestrado Ciências e Meio Ambiente) ─ Programa de Pós-Graduação em Ciências e Meio Ambiente, 2019.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do Oprimido. 17 ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

GUIMARÃES, Mauro. Por uma Educação Ambiental Crítica na Sociedade Atual. Revista Margens Interdisciplinar, [S.l.], v. 7, n. 9, p. 11-22, maio 2016. Disponível em: https://periodicos.ufpa.br/index.php/revistamargens/article/view/2767. Acesso em: 17 mar. 2019.

GUIMARÃES, Mauro. Educação ambiental crítica. In. LAYRARGUES, Philippe Pomier (Org.). Identidade da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. p. 25-34.

LAYARGUES, Philippe Pomier; LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. As macrotendências Político-pedagógicas da Educação Ambiental Brasileira. Revista Ambiente & Sociedade. São Paulo, v. 17, n. 1, p. 23-40, 2014.

LEFF, Enrique. Epistemologia Ambiental. São Paulo: Cortez, 2001.

LISBÔA, Larissa de Souza.Uso e ocupação do solo na UFPA, Amazônia, Brasil: história, evolução e desafios. 2011, 102f. Dissertação (Mestrado em Ciência Ambiental). Universidade de São Paulo, São Paulo: USP-S, 2011.

PARÁ. Lei nº 5.887, de 9 de maio de 1995. Dispõe sobre a Política Estadual do Meio Ambiente e dá outras providências. Governo do estado do Pará, 1995. Disponível em: https://www.semas.pa.gov.br/1995/05/09/9741/. Acesso em: 4 jan. 2018.

PINTO, Walter. Paisagismo prepara substituição de palheteiras por espécies regionais. Beira do Rio: Jornal UFPA. nº 130. 2016. Disponível em: http://www.jornalbeiradorio.ufpa.br/novo/index.php/2003/91-edicao-9/878-paisagismo-prepara-substituicao-de-palheteiras-por-especies-regionais-. Acesso em: 02 mai. 2019.

PLÁCIDO, Patrícia de oliveira; GUIMARÃES, Mauro. Considerações sobre Educação Ambiental, Empresa e Escolas: Ressignificando Trajetórias pela Perspectiva Crítica. In. SILVA, Marilena loureiro (Org.). Políticas e Práticas de Educação Ambiental na Amazônia: das Unidades de Conservação aos Grandes Empreendimentos Econômicos. Belém: UFPA, GEAM, 2014.

SAYAGO, Doris et al. Amazônia: cenas e cenários. Brasília: UnB, 2004.

SILVA, Joice do Socorro Farias da. Análise da Evolução da Cobertura Vegetal e seus Impactos Ecológicos na Universidade Federal do Pará – Campus Guamá. 2005. 39f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Ciências Biológicas) – Universidade Federal do Pará, Belém, 2005.

TUAN, Yi-Fu. Topofilia: um estudo da percepção, atitudes e valores do meioambiente. São Paulo: DIFEL, 1980.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional. Anuário Estatístico 2018: Ano Base 2017. Belém, UFPA: 2018. Disponível em: http://proplan.ufpa.br/images/conteudo/proplan/dinfi/anuario%20estatistico/Anuario_Estatistico_2018_AB_2017.pdf. Acesso em: 24 ago. 2018.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Beira do Rio: Jornal do campus. As flores do Campus: Jardins floridos juntam-se à beleza do Campus da UFPA. Órgão Informativo da Universidade Federal do Pará. Nº 42. Belém, nov. 1996.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Beira do Rio. Trote Ecológico será no dia 22 de fevereiro. Órgão Informativo da Universidade Federal do Pará. UFPA. Nº 37. Belém, 22 jan. 1990a.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Beira do Rio. Matéria: O verde trote de 1990. Órgão Informativo da Universidade Federal do Pará. Nº 20. Belém, mar. 1990b.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Registro da Prefeitura do Campus Universitário. Belém, 1991.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Órgão Informativo da Universidade Federal do Pará. O Sucesso do Trote Ecológico de 1993. UFPA. Nº 54. Belém, 2 de mar. 1993.

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ. Orla da UFPA será revitalizada. Belém, 2010. Disponível em:

https://ww2.ufpa.br/imprensa/noticia.php?cod=3752. Acesso em: 13 mai. 2019.

Downloads

Publicado

2020-08-21

Como Citar

Ferreira, M. da C. G., & Siqueira, G. W. (2020). Trote ecológico no Campus sede da Universidade Federal do Pará, Belém-PA, Brasil: memória e percepção de um legado. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 37(3), 116–137. https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.9340

Edição

Seção

Artigos