Possibilidades de práxis em tempos de retrocesso: um diálogo com a educação ambiental no ensino fundamental<br>Possibilities of praxis in times of retreat: a dialogue with environmental education in elementary education<br>Posibilidades de práxis en tiempos de retroceso: un diálogo con la educación ambiental en la enseñanza fundamental

Autores

  • Ana Paula Borges Ramos Vieira
  • Silvana Campos Silveira Faria

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v0i2.8891

Palavras-chave:

Currículo. Diálogo. Educação Ambiental. Escola. Transversalidade.

Resumo

O presente artigo traz a guisa reflexões das experiências educacionais de duas professoras, educadoras ambientais, atuantes na rede de Educação Básica do ensino municipal do Rio Grande-RS, oriundas do Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental-PPGEA, da Universidade Federal do Rio Grande - FURG. Trazem a compreensão da escola como uma teia de relações, onde se destacam os elementos que consideram necessários para transversalizar a Educação Ambiental no currículo escolar. Embasam-se em pesquisas bibliográficas enfatizadas em uma perspectiva crítica e nos princípios básicos presentes no Art. 4, do Capítulo I, da Lei nº 9.795, de 1999, que institui a Política Nacional de Educação Ambiental (PNEA). Nesse contexto, através de um diálogo que articula teoria e prática, problematizam que a Educação Ambiental tem permeado o currículo escolar através da transversalidade. Logo, defende-se que uma educação de qualidade é uma busca constante e necessária. Embora seja desafiador, acredita-se que em tempos de retrocesso, a escola e seus professores têm buscado fazer o seu papel, ressignificando o currículo e sendo resistência frente a atual conjuntura social e política. This article is a reflection of the educational experiences of two teachers, environmental educators, who work in the Basic Education network of Rio Grande - RS, from the Postgraduate Program in Environmental Education - PPGEA, Federal University of Rio Grande - FURG. They bring the understanding of the school as a web of relationships, highlighting the elements that they consider necessary to mainstream Environmental Education into the school curriculum. They are based on bibliographical research emphasized in a critical perspective and in the basic principles present in Art. 4, of Chapter I, of Law 9995, of 1999, that establishes the National Policy of Environmental Education (PNEA). In this context, through a dialogue that articulates theory and practice, they problematize that Environmental Education has permeated the school curriculum through transversality. Therefore, it is argued that quality education is a constant and necessary quest. Although challenging, it is believed that in times of retreat, the school and its teachers have sought to play their role, resignifying the curriculum and being resistant to the current social and political conjuncture. El presente artículo trae a guisa reflexiones de las experiencias educativas de dos profesoras, educadoras ambientales, actuantes en la red de Educación Básica de la enseñanza municipal de Rio Grande-RS, oriundas del Programa de Postgrado en Educación Ambiental-PPGEA, de la Universidad Federal de Río Grande - FURG. Traen la comprensión de la escuela como una red de relaciones, donde se destacan los elementos que consideran necesarios para transversalizar la Educación Ambiental en el currículo escolar. Se empiezan en investigaciones bibliográficas enfatizadas en una perspectiva crítica y en los principios básicos presentes en el artículo 4 del Capítulo I, de la Ley nº 9.795, de 1999, que instituye la Política Nacional de Educación Ambiental (PNEA). En este contexto, a través de un diálogo que articula teoría y práctica, problematizan que la Educación Ambiental ha permeado el currículo escolar a través de la transversalidad. Por lo tanto, se defiende que una educación de calidad es una búsqueda constante y necesaria. Aunque es desafiante, se cree que en tiempos de retroceso, la escuela y sus profesores han buscado hacer su papel, resignificando el currículo y siendo resistencia frente a la actual coyuntura social y política.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Paula Borges Ramos Vieira

Mestre em Educação Ambiental e Licenciada em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Profª da E. M. E. F. Dr. Rui Poester Peixoto do Rio Grande - RS.

Silvana Campos Silveira Faria

Mestre em Educação Ambiental e Licenciada em Geografia pela Universidade Federal do Rio Grande - FURG, Profª da E. M. E. F. Santana do Rio Grande – RS.

Referências

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano- compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014.

BRASIL. Lei Nº 9.795 de 27 de abril de 1999, dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9795. Acesso em: 04 de out. 2018.

______. Ministério da Educação. CNE – Conselho Nacional de Educação. Conselho Pleno. Diretrizes Curriculares Nacionais: apresentação dos temas transversais. Brasília: SEF – MEC, 2012.

_______. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Geografia (1º e 2º ciclos do Ensino Fundamental). v. 3. Brasília: MEC, 1998. Disponível em: Acesso em: 03 set. 2018.

_______. Ministério da Educação. Resolução n. 02 de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília, DF, 15 de jun. 2012. Disponível em: http://mobile.cnte.org.br:8080/legislacao-externo/rest/lei/89/pdf. Acesso em: 03 set. 2018.

CHAVEIRO, Eguimar Felício. Corporeidade e Lugar: Elos da Produção da Existência. In: MARANDOLA, Jr., Eduardo. HOLZER, Werther, OLIVEIRA, Lívia (org.). Qual o espaço do lugar?: Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012.

FARIA, Silva Campos Silveira. A transversalidade da Educação Ambiental no currículo da Geografia da educação básica: aprendizagens, potencialidades a partir de uma pesquisa formação. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental. Rio Grande, 2016.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

HAMMES, Care Cristina, FORSTER, Man Margarete dos Santos, CHAIGAR, Vânia Alves Martins. Formação de professores, integração curricular e a geografia: o lugar escola como espaço de acontecimento. In: TONINI, Ivaine Maria et al. (Orgs).O Ensino de Geografia e suas composições curriculares. Porto Alegre: Mediação, 2011.

KIMURA, Shoko. Geografia no ensino básico: questões e propostas. São Paulo: Contexto, 2008.

LOUREIRO, Trajetória e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2004.

MARANDOLA, Jr., Eduardo. Lugar enquanto circunstancialidade. In: MARANDOLA, Jr., Eduardo. HOLZER, Werther, OLIVEIRA, Lívia (org.). Qual o espaço do lugar?: Geografia, epistemologia, fenomenologia. São Paulo: Perspectiva, 2012.

MOREIRA, Antônio Flávio Barbosa; CANDAU, Vera Maria. Indagações sobre currículo: currículo, conhecimento e cultura – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2007. 48 p. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/Ensfund/indag3.pdf. Acesso em: 05 mar. 2018.

MUHL, Eldon Henrique. Problematização. In: STRECK, Danilo R.; REDIDN, Euclides; ZITKOSK, Jaime José. (Orgs). Dicionário Paulo Freire. Belo Horizonte: Autêntica, 2010.

RAMOS, Ana Paula Borges. O Estudo do Meio nos anos iniciais do Ensino Fundamental como possibilidade de entrelaçar a Geografia e a Educação Ambiental. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Rio Grande – FURG, Programa de Pós-Graduação em Educação Ambiental. Rio Grande, 2017.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental? São Paulo, Brasiliense, 2001.

SANTOS, Milton. Da totalidade ao Lugar. São Paulo: Universidade Federal de São Paulo, 2012.

Downloads

Publicado

2019-04-17

Como Citar

Vieira, A. P. B. R., & Faria, S. C. S. (2019). Possibilidades de práxis em tempos de retrocesso: um diálogo com a educação ambiental no ensino fundamental&lt;br&gt;Possibilities of praxis in times of retreat: a dialogue with environmental education in elementary education&lt;br&gt;Posibilidades de práxis en tiempos de retroceso: un diálogo con la educación ambiental en la enseñanza fundamental. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, (2), 184–197. https://doi.org/10.14295/remea.v0i2.8891

Edição

Seção

Artigos