O zoológico como um espaço de ciência para a sensibilização de estudantes sobre a temática biodiversidade brasileira
The zoo as a science space to raise awareness in students about Brazilian biodiversity
El zoológico como un espacio de ciencia para la sensibilización de estudiantes sobre la temática biodiversidad brasileña

Renata Vieira Saraiva, Adlane Vilas-Boas Ferreira

Resumo


Espaços não formais de ensino como museus, aquários, jardins botânicos e zoológicos podem ser vistos como instrumentos de conservação, educação e pesquisa, e podem, assim também, ampliar os conceitos de educação além do espaço escolar. O uso desses espaços pode gerar oportunidades de aplicação dos conteúdos escolares, de experiência cultural e de desenvolvimento de uma cultura científica. Foi desenvolvido nesse estudo um jogo no estilo caça ao tesouro, intitulado Mapa do TeZOOuro, para ser utilizado no espaço da Zoobotânica de Belo Horizonte, em uma atividade de campo realizada pelo professor para estudantes do ensino fundamental dos anos finais. Na pesquisa foi também analisado o envolvimento dos estudantes com a atividade e a interação destes com o zoológico, com o objetivo de valorizar o zoológico como um espaço museal e estudar a fauna brasileira.

Non-formal teaching spaces such as museums, aquariums, botanical gardens and zoos can be seen as instruments of conservation, education and research, and can also expand education concepts beyond the space of the school. The use of these spaces can generate opportunities for the application of school content, cultural experience and the development of a scientific culture. A game in the treasure hunt style, titled TeZOOuro Map to be used in the space of the Zoobotânica of Belo Horizonte, was developed in a field activity carried out by the teacher for elementary students of the final years. It was also analyzed the students' involvement with the activity and their interaction with the zoo, with the objective of valuing the zoo as a museum space and studying the Brazilian fauna.

Espacios no formales de enseñanza como museos, acuarios, jardines botánicos y zoológicos pueden ser vistos como instrumentos de conservación, educación y investigación. Pueden también, ampliar conceptos de educación más allá del espacio escolar. El uso de estos espacios puede generar oportunidades de aplicación de los contenidos escolares, de experiencia cultural y de desarrollo de una cultura científica. En nuestro trabajo se desarrolló un juego en el estilo búsqueda del tesoro, titulado Mapa del TeZOOro para ser utilizado en el espacio de la Zoobotánica de Belo Horizonte, en una actividad de campo realizada por el profesor para estudiantes de la enseñanza fundamental de los años finales. También se hizo análisis sobre la participación de los estudiantes en la actividad y la interacción de ellos con el zoológico, con el objetivo de valorizar el zoológico como un espacio museal y estudiar la fauna brasileña.

Palavras-chave


Zoológico; ensino de ciências; jogo didático; biodiversidade

Texto completo:

PDF

Referências


AFONSO, M. L.; ABADE, F. L. Para reinventar as rodas: rodas de conversa em direitos humanos. Belo Horizonte: RECIMAM, 63 p. 2008.

AURICCHIO, Ana Lucia Ramos. Potencial da Educação Ambiental nos zoológicos Brasileiros. Publicações avulsas do Instituto Pau Brasil de História Natural, n.1, p.1-46, 1999.

AULLS, M.; SHORE, B. Inquiry in education: The conceptual foundations for research as a curricular imperative. New York, NY: 2008.

BARRETO, M. B.; CARVALHO, A. A. F.; REBOUÇAS, S. B. B.; AGUIAR, M. M. Ludicidade e percepção infantil como instrumentos para prática da educação ambiental no zoológico de Salvador –BA. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande. v. 21, n. 2, p. 462-74, 2008.

BARROS, J. D.; ORTOLANO, S. M. C. M.; FUJIHARA, R.T. Zoo cards - o super trunfo animal: um jogo didático como ferramenta para o ensino no zoológico. RevBEA. São Paulo, v. 13, n. 4, pag 145-55, 2018.

BROTTO, F. O. Jogos Cooperativos: o Jogo e o Esporte como um exercício de Convivência. Dissertação de Mestrado. UNICAMP, São Paulo. 1999.

CORRÊA, T. H. B.; BARBOSA, N. A. P. Educação ambiental e consciência planetária: uma necessidade formativa. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande. v. 35, n. 2, p. 125-136, 2018.

COSTA, G. O. Educação Ambiental – Experiências dos Zoológicos Brasileiros. Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande. 34, n. 4, p. 140-50, 2004.

FRIEDMANN, A. Brincar: crescer e aprender: o resgate do jogo infantil. São Paulo: Ed. Moderna, 1996.

IERVOLINO, S. A.; PELICIONI, M.C.F. A utilização do grupo focal como metodologia qualitativa na promoção da saúde. Rev. Esc. Enf .USP, v.35, n.2, p.115-21, jun. 2001.

JABOUR, Marcos Linhares. Comportamento dos Visitantes e Representação Social no Jardim. Zoológico da Cidade do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro. 2010.194 p.

MELLO, H.E.S. Conservação em zoológicos, aquários e jardins botânicos. Palestra: Serviço de Educação Ambiental. FZB-BH.2017.

MELO, M.C.H; CRUZ, G. C. Roda de Conversa: uma proposta metodológica para a construção de um espaço de diálogo no Ensino Médio. Imagens da Educação. V.4, n.2, p.31-39, 2014.

MENEGAZZI, C. S. A educação formal, não formal, informal e conservação. Mód. VIII- Conhecer, aprender e se divertir. Minicurso ofertado pela Zoobotânica de Belo Horizonte: Educação para a conservação-Serviço de Educação Ambiental. 2017.

MERGULHÃO, M. C. Zoológico: uma sala de aula viva. Dissertação (Mestrado em Educação) – Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 1998.

MITTERMEIER, R. A.; MYERS, N.; THOMSEM, J.B.; FONSECA, G.A.B.; OLIVIERI, S. Biodiversity Hotspots and Major Tropical Wilderness Areas: Approaches to Setting Conservation Priorities. Conservation Biology v. 12. n. 3. p.516-520, 1998.

NETO, H. S. M.; MORADILLO, E.F. O lúdico no ensino de química: considerações a partir da psicologia histórico-cultural. Quím. nova esc. São Paulo. v.38, n.4, p.360-368, Nov. 2016.

MOURA, J. B. V. S.; LOURINHO, L. A. ; VALDÊS, M. T. M ; FROTA, M. A.; CATRIB, A. M. F. Perspectiva da epistemologia histórica e a escola promotora da saúde. História Ciências Saúde-Manguinhos. Rio de Janeiro, RJ, v.14, n.2, p.489-501, abril/jun. 2007.

NASCIMENTO, S.S.; COSTA, C.B. Um final de semana no zoológico: um passeio educativo? Ensaio-Pesquisa em educação em ciências. v.4, n. 1, p. 1-14, Julho. 2002.

ORLICK, Terry. Vencendo a competição. São Paulo: Círculo do Livro.1978.

PASSERINO, L. M. Avaliação de jogos educativos computadorizados. Taller Internacional de Software Educativo 98 – TISE 98. Anais. Santiago, Chile, 1998.

PENTEADO, H. D.; GARRIDO, E. Pesquisa-ensino: a comunicação escolar na formação de professor. Ed. Paulinas. São Paulo. 2010.

PÉREZ, D. Contribución de la historia y de la filosofia de las ciencias al desarrollo de un modelo de enseñanza/aprendizaje como investigación. Enseñanza de las Ciencias, v.11, n.2, 197-212. 1993.

SCRENCI-RIBEIRO, R.; CASTRO, E. B. O zoológico da UFMT como ferramenta para o ensino da biodiversidade. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. Rio Grande. v. 24, n. 1, 204-18. 2010.

SOLER, R. Jogos cooperativos-jogo e esporte como um exercício de convivência. Rio de Janeiro: Sprint, 2005.

VIVEIRO, A. A.; DINIZ, R. E. S. Atividades de campo no ensino de ciências e na educação ambiental: refletindo sobre as potencialidades desta estratégia na prática escolar. Ensaio. Ciência em tela. v.2, n.1. 2009.

VYGOTSKY, L. S. O papel do brinquedo no desenvolvimento. In: A formação social da mente. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1989. 168p. p.106-118.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8720

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.