Vulnerabilidade hídrica no Nordeste brasileiro: entre a urbanização e a Educação Ambiental
Vulnerabilidad hídrica en el Nordeste brasileño: entre la urbanización y la Educación Ambiental
Water vulnerability in the Brazilian Northeast: between urbanization and Environmental Education

Thayanna Maria Medeiros Santos, José Lucas Santos Oliveira, Edevaldo Silva

Resumo


A problemática ambiental reflete uma crise civilizatória. A Educação Ambiental, propende-se na gestão dos recursos hídricos, instrumentalizar a sociedade para participar nas questões ambientais. Esta pesquisa analisou a questão dos recursos hídricos no Nordeste brasileiro sob perspectiva da sua vulnerabilidade socioambiental e importância da Educação Ambiental na abordagem desse tema. Trata-se de uma pesquisa bibliográfica, através da busca em diversas fontes bibliográficas, considerando artigos publicados em diversas bases indexadores. A região Nordeste, não obstante, das demais localidades no país, sofre com o esquecimento dos seus rios urbanos. A dificuldade na gestão ocorre devido à falta de políticas públicas e ações para um processo educativo da sociedade. Portanto, a Educação Ambiental é um importante processo emancipatório, podendo ser eficiente para sensibilizar cidadãos à uma melhor relação com os recursos hídricos.

La problemática ambiental refleja una crisis civilizatoria. La Educación Ambiental, se propende en la gestión de los recursos hídricos, instrumentalizar la sociedad para participar en las cuestiones ambientales. Esta investigación analizó la cuestión de los recursos hídricos en el Nordeste brasileño bajo la perspectiva de su vulnerabilidad socioambiental e importancia de la Educación Ambiental en el abordaje de ese tema. Se trata de una investigación bibliográfica, a través de la búsqueda en diversas fuentes bibliográficas, considerando artículos publicados en diversas bases indexadores. La región Nordeste, no obstante, de las demás localidades en el país, sufre con el olvido de sus ríos urbanos. La dificultad en la gestión ocurre debido a la falta de políticas públicas y acciones para un proceso educativo de la sociedad. Por lo tanto, la Educación Ambiental es un importante proceso emancipatorio, pudiendo ser eficiente para sensibilizar a ciudadanos a una mejor relación con los recursos hídricos.

The environmental issue brings to the surface a true civilization crisis. Therefore, Environmental Education as an educational process, is based on the management of water resources to instrumentalize societies and instigate them to participate in environmental issues. This research analyzed the issue of water resources in the brazilian Northeast region from the perspective of their socio-environmental vulnerability and the importance of involving Environmental Education in addressing this theme. It is a bibliographical research, oriented through the search of several bibliographical sources, considering articles published in various databases. The Northeast region, however, of the other localities in the country suffers with the oblivion of its urban rivers. The difficulty in management occurs due to the lack of public policies and actions for an educational process of society. Therefore, Environmental Education is an important emancipatory process, and can be efficient to sensitize citizens to a better relationship with water resources.

Palavras-chave


Escassez Hídrica; Rios Urbanos; Processo Educativo

Texto completo:

PDF

Referências


ALMEIDA, Lutiane Queiroz de. Vulnerabilidades socioambientais de rios urbanos: bacia hidrográfica do rio Maranguapinho. Região metropolitana de Fortaleza, Ceará. 2010. 278 f. Tese (doutorado) - Universidade Estadual Paulista, Instituto de Geociências e Ciências Exatas, 2010.

Agência Nacional de Águas - ANA (Brasil) (2015). Conjuntura dos recursos hídricos no Brasil: regiões hidrográficas brasileiras –. 163 p. Edição Especial. Brasília: ANA.

BARCELOS, Valdo. Educação Ambiental: Sobre Princípios, Metodologias e Atitudes. Petrópolis: 2° ed. Ed. Vozes. 2009.

BUSTOS, Myriam Ruth Lagos. A Educação Ambiental sob a ótica da gestão de recursos hídricos. 2003. 208f. Tese (Doutorado) – Escola Politécnica da Universiadade de São Paulo. – São Paulo.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 4. ed. São Paulo: Ed. Cortez. 2008.

CASTRO, Cesar Nunes. Transposição do rio São Francisco: análise de oportunidade do projeto. Rio de Janeiro, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. 60f. 2011.

CAVALHEIRO, Laísa Wociechoski; NISHIJIMA, Toshio. Uma revisão bibliográfica reflexiva sobre a abordagem dos riachos degradados na escola sob a perspectiva das situações de estudo na Educação Ambiental. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental, v.4, n.4, p. 404-415. 2012.

COSTA, Vanessa Menezes; BATISTA, Nelson Jorge Carvalho. Gerenciamento de resíduos de serviço de saúde: uma revisão integrativa. Revista Saúde em Foco. Teresina, v. 3, n. 1, art. 1, p. 124-145, 2016.

EAKIN, Hallie; LUERS, Amy Lynd. Assessing the vulnerability of social-environmental systems. AnnualReviewof Environmental Resources. v. 31, p. 364-394. 2006.

FERREIRA, Denise de Jesus Lemos; SILVA, Viviane Farias; GOMES, Abel Henrique Santos; LIMA JÚNIOR, Benjamin Carvalho; BARACUHY, José Geraldo de Vasconcelos; LIMA, Vera Lucia Antunes. Avaliação socioeconômica e ambiental das seções mediana e final da Microbacia Riacho Das Piabas. IV Workshop Internacional de Inovações Tecnológicas na Irrigação. INOVAGRI, 2012.

GHEYI, Hans Raj; SILVA PAZ, Vital Pedro; MEDEIROS, Salomão de Sousa, GALVÃO, Carlos de Oliveira. (Org.). Recursos hídricos em regiões semiáridas: estudos e aplicações. 1. ed. Cruz das Almas: v. 1. 258p. 2012.

GUIMARÃES, Zara Faria Sobrinha; SANTOS, Wildson Luiz Pereira; MACHADO, Patrícia Fernandes Lootens; BAPTISTA, Joice de Aguiar; Projetos de Educação Ambiental em escolas: a necessidade da sistematização para superar a informalidade e o improviso. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 7, n. 1, p. 67-84, 2012.

KUHNEN, Ariane. Meio ambiente e vulnerabilidade a percepção ambiental de risco e o comportamento humano. Revistas Geografia, v. 18, n. 2. 2009.

LACERDA, Eulina Kelly Guilherme, SILVA, Edevaldo; MEDEIROS, Rosália Severo. Socio-environmental and microbiological assessment of the river Piancó, Pombal, Brazil. Acta Scientiarum. Biological Science. Maringá, v. 38, n. 2, p. 187-194, 2016.

LIMA, João Batista. A degradação do rio Taperoá em função do crescimento urbano: estudo de caso no município de Desterro/PB. 2011. 92f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Geografia – Modalidade à Distância) – Universidade Estadual da Paraíba Centro de Educação.

MANCAL, Ansu; LIMA, Patrícia Verônica Pinheiro Sales; KHAN, Ahmad Saeed; MAYORGA, Maria Irles de Oliveira. À espera da seca que vem: capacidade adaptativa em comunidades rurais do semiárido. Revista brasileira de Estudos da População, Rio de Janeiro, v.33, n.2, p.257-281, maio/ago, 2016.

MEDEIROS, Monalisa Cristina Silva; SILVA JÚNIOR, Josué Barreto. Estudo de caso da expansão do shopping Manaíra e comunidade São José sobre o Rio Jaguaribe em João Pessoa-PB. Revista Polêmica, v. 16, n.2, p. 71-89, 2016.

MELO, Vera Mayrinck. Dinâmica das paisagens de rios urbanos. XI Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. UNPUR. Anais de Evento, 2005.

MINOTI, Ricardo Tezini; CARESTIATO, Andréa. O projeto nas ondas do São Francisco e a gestão ambiental integrada participativa. IN: Política de Águas e Educação Ambiental: processos dialógicos e formativos em planejamento e gestão de recursos - Brasília: MMA. P. 102-109, 2011.

BRASIL. Ministério da Integração Nacional (2005). Nova Delimitação do Semiárido Brasileiro. Secretaria de Políticas e de Desenvolvimento Regional. 35p.

OJIMA, Ricardo; COSTA, José Vilton; CALIXTA, Renata Kissya. “Minha vida é andar por esse país...”: a emigração recente no semiárido setentrional, políticas sociais e meio ambiente. Revista Interdisciplinar da Mobilidade Humana, n. 43, p. 149-167, jul./dez, 2014.

OJIMA, Ricardo. "Urbanização, dinâmica migratória e sustentabilidade no semiárido nordestino: o papel das cidades no processo de adaptação ambiental", p.137-158. In Ricardo Ojima, Wilson Fusco. Migrações Nordestinas no Século 21 - Um Panorama Recente, São Paulo: Editora Edgard Blücher. 2015.

OLIVEIRA, Elizangela Cezaria; TRUGILLO, Edneuza Alves. Educação Ambiental na Rede Municipal de Ensino: concepções e práticas de professores e alunos da EMEB Belo Ramo – Sinop-MT. Revista Eventos Pedagógicos v.5, n.2 (11. ed.), número regular, p. 83 - 92, 2014.

PAULA JÚNIOR, Franklin. Formação, diálogo e participação no planejamento e Gestão de Águas. IN: Política de Águas e Educação Ambiental: processos dialógicos e formativos em planejamento e gestão de recursos - Brasília: MMA. p. 102-109. 2011.

POLLI, Anderson; SIGNORINI, Tiago. A inserção da Educação Ambiental na prática pedagógica. Ambiente & Educação, Anápolis-GO, v.17, n.2, p. 93-101, 2012.

REIS, Luiz Carlos Lima; SEMÊDO, Luzia Teixeira de Azevedo Soares; GOMES, Rosana Canuto. Conscientização Ambiental: da Educação Formal a Não Formal. Revista Fluminense de Extensão Universitária, Vassouras, v. 2, n. 1, p. 47-60, jan/jun, 2012.

ROCHA, Giselle Silva. A degradação das águas superficiais da Cidade de Sobral (CE): os sistemas lacustres da zona urbana.132f. 2013. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual do Ceará, Centro de Ciências e Tecnologia, Mestrado Acadêmico em Geografia, Fortaleza.

SANTOS, Darlene de Paula; FOFONKA, Luciana. Percepção Ambiental e Educação Ambiental: o uso de mapas mentais. Revista Maiêutica, Indaial, v. 3, n. 1, p. 17-24, 2015.

SOUSA, Veneziano Guedes. Diagnóstico e prognóstico socioeconômico e ambiental das nascentes do Riacho das Piabas (PB). 157f. Dissertação, Programa de Pós-Graduação em Recursos Naturais / UFCG. – Campina Grande, 2010.

SOUZA, Juliana Rosa; MORAES, Maria Eugênia Bruck; SONODA, Sérgio Luiz; SANTOS, Haialla Carolina Rialli Galvão. A importância da qualidade da água e os seus múltiplos usos: caso do Rio Almada, Sul da Bahia, Brasil. REDE - Revista Eletrônica do Prodema, Fortaleza, v.8, n.1, p.26-45, abr, 2014.

SOUZA, Vanessa Marcondes. Para o mercado ou para a cidadania? A Educação Ambiental nas instituições públicas de ensino superior no Brasil. Revista Brasileira de Educação, v. 21, n. 64, p. 121- 142, 2016.

SOUZA, Luciana Soares; SILVA, Edevaldo. Percepção ambiental do bioma caatinga no contexto escolar. Revista Iberoamericana de Educación (Impresa), v. 73, p. 67-86, 2017.

XAVIER, Yanko Marcius Alencar; BEZERRA, Nizomar Falcão. Gestão legal dos recursos hídricos dos Estados do Nordeste do Brasil, Fortaleza, Fundação Konrad Adenauer, 2005.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v35i3.8206

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.