Narrativas de Resistência: ensinamentos do caso Guarani e Kaiowá para uma Educação Ambiental Intercultural

Ana Júlia Barros Farias Zaks, Ana Tereza Reis da Silva

Resumo


O artigo apresenta os resultados da pesquisa acerca do potencial pedagógico de conflitos socioambientais e territoriais, tendo como referente empírico o martírio que aflige, historicamente, o povo Guarani e Kaiowá. Optou-se por dar centralidade à narrativa indígena, isto é, à forma como esse povo percebe os efeitos do desenvolvimento hegemônico sobre seus modos de vida. Com base em suas narrativas, constatamos que o conflito em tela resulta do confronto entre duas racionalidades: a moderno-desenvolvimentista e a ecologia praticada pelos Kaiowá. Por fim, demonstramos como a análise crítica de conflitos dessa natureza pode ser ambientalmente pedagógica e propícia ao desenvolvimento de processos educativos interculturais.


The article presents the results of the research on the pedagogical potential of socioenvironmental and territorial conflicts, having as empirical reference the suffering that has historically afflicted the Guarani and Kaiowá people. We opted to focus on the indigenous narrative, i.e., the way this people perceives the effects of hegemonic development on their lifestyle. Based on their narratives, we find that this conflict stems from a confrontation between two rationalities: the modern-developmental and the ecology practiced by the Kaiowá. Lastly, we demonstrate how the critical analysis of conflicts of such nature can be environmentally pedagogical and conducive to the development of intercultural educational processes.

Palavras-chave


Conflitos Socioambientais e Territoriais; Povo Guarani e Kaiowá; Educação Ambiental Intercultural;

Texto completo:

PDF

Referências


ACSELRAD, Henri. Conflitos ambientais no Brasil. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2004.

BALLESTRIN, Luciana. América Latina e o giro decolonial. Revista Brasileira de Ciência Política, no 11, Brasília, maio-agosto de 2013, p. 89-117.

BECK, Ulrich. Sociedade de risco: rumo a uma outra modernidade. Rio de Janeiro: Editora 34, 2011.

BRAND, Antonio Jacó. Os complexos caminhos da luta pela terra entre os Kaiowá e Guarani no MS. Tellus, Campo Grande, v. 6, n. 1, p. 137-150, 2004.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental crítica: nomes e endereçamentos da educação. In: Identidades da educação ambiental brasileira. Ministério do Meio Ambiente, p. 13-24, Brasília, 2004.

CAVALCANTE, Thiago Leandro Vieira. Colonialismo, território e territorialidade: a luta pela terra dos Guarani e Kaiowa em Mato Grosso do Sul. Tese (Doutorado em História) – UNESP, Assis, SP: 2013.

CHAMORRO, Graciela. Terra Madura. Yvy Araguyje: Fundamento da palavra Guarani. Dourados: Edufgd, 2008.

FIAN & CIMI, O Direito Humano à Alimentação Adequada e à Nutrição do povo Guarani e Kaiowá: um enfoque holístico. FIAN Brasil: Brasília, 2016.

GAUDIANO, Edgar González. Prólogo. In: ORTEGA, Miguel Angel (org). La construción del campo de la educación ambiental: análisis, biografias y futuros posibles. Guadalajara: Editorial Universtara, 2012.

LEFF, Enrique Zimmermman. A Aposta Pela Vida: Imaginação Sociológica e Imaginários Sociais nos Territórios Ambientais do Sul. Vozes, 2016.

LITTLE, Paul. Os conflitos socioambientais: um campo de estudo e de ação política. In: BURSZTYN, M. (Org.) A difícil sustentabilidade: política energética e conflitos ambientais. Rio de Janeiro: Garamond; 2001.

______. Ecologia política como etnografia: um guia teórico e metodológico. Horizontes Antropológicos, 2006.

MELIÁ, Bartomeu (Ed.). Guarani Retã: Povos Guarani na fronteira Argentina, Brasil e Paraguai, 2008.

MIGNOLO, Walter. El pensamento decolonial: desprendimento y apertura. In Santigo Castro-Gómez y Rámon Grosfóguel. El giro decolonial: reflexiones para uma diversidade epistêmica más allá del capitalismo global. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, 2007.

MOSCOVICI, Michel. Natureza: para pensar a ecologia. Rio de Janeiro: Mauad X, Instituto Gaia, 2007.

ONU. Relatora especial da ONU sobre povos indígenas divulga comunicado final após visita ao Brasil, 2016.

QUIJANO, Aníbal. Colonialidad y modernidad-racionalidad. Perú Indígena. 13(29): 11-20, 1992.

REIS DA SILVA. Currículo e representações sociais de homem e natureza: implicações a prática pedagógica. Revista Brasileira de Educação, v 18, n 55, out-dez, p. 861-876, 2013.

______.A conservação da biodiversidade entre os saberes da tradição e a ciência. Estudos avançados, 29 (83), p. 233-259, 2015.

SAITO, Carlos Hiroo, et al. Conflitos Socioambientais, Educação Ambiental e Participação Social na Gestão Ambiental. Sustentabilidade em Debate - Brasília, v. 2, n. 1, p. 121-138, 2011.

SANTOS, Boaventura de Souza. Para Além do Pensamento Abissal: das linhas globais a uma ecologia de saberes. Novos Etudos, 2007.

SAUVÉ, Lucie. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 317-322, 2005.

WALSH, Catherine. Interculturalidad y (de)colonialidad: Perspectivas críticas y políticas. Visão Global, Joaçaba, v. 15, n. 1-2, p. 61-74, jan./dez. 2012.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.7149

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2017 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.