Os rios e a vida: percepções para uma educação ambiental

Wagner Fonseca, Carlos Renato Carola

Resumo


o presente artigo busca demonstrar as diversas percepções construídas ao longo da história sobre esses elementos naturais tão fundamentais à vida: os rios. Dessa forma analisando perspectivas históricas e literárias que envolvem a existência dos rios para além de um olhar unicamente geográfico ou “natural”, estabelecendo assim possibilidades de entender os rios como sujeitos ativos no pensar humano. Almeja-se que tais percepções provoquem inquietações quando voltadas à educação, em especial as questões ambientais que, muitas vezes, tendem a uma visão puramente naturalista.

This study presents the variety of perceptions built throughout the history of mankind about these natural elements so essential to life: rivers. It analyzes historical and literary perspectives that involve the existence of rivers beyond a singular geographical or "natural" view that establishes opportunities to understand rivers as active subjects in human thinking. It is hoped that such perceptions cause restlessness when it comes to education, in particular the environmental issues that often tend to a purely naturalistic view.

El presente artículo busca demostrar las diversas percepciones construidas a lo largo de la historia sobre esos elementos naturales tan fundamentales a la vida: los ríos. De esta forma analizando perspectivas históricas y literarias que involucran la existencia de los ríos más allá de una mirada únicamente geográfica o "natural", estableciendo así posibilidades de entender los ríos como sujetos activos en el pensar humano. Se espera que tales percepciones provoquen inquietudes cuando se dirigen a la educación, en especial las cuestiones ambientales que a menudo tienden a una visión puramente naturalista.

Palavras-chave


rios; educação ambiental; meio ambiente

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Rubem. Educação dos sentidos e mais. Campinas, SP: Verus Editora, 2005.

______. Gaiolas e asas. São Paulo, Folha de S. Paulo, Tendências e debates, 05/12/2001.

ARRUDA, Gilmar (org.) A natureza dos rios: história, memória e territórios. Curitiba: Editora UFPR, 2008.

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos: ensaio sobre a imaginação e da matéria. 2. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2013.

BONIFÁCIO, José. O pensamento vivo de José Bonifácio. São Paulo: Martins Editora, 1965.

BOURRE, Jean-Paul. Princípios de vida: tradição indígena norte-americana. Rio de Janeiro: Record/Nova Era, 2005.

BRANCO, Samuel Murgel. Poluição: a morte de nossos rios. 2. ed. São Paulo: Ascetesb, 1983.

______ . Ecologia na cidade. São Paulo: Moderna, 1991.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental/Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1998a.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental/História. Brasília: MEC/SEF, 1998b.

______. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental/Geografia. Brasília: MEC/SEF, 1998c.

BRUNI, José Carlos. A água e a vida. In: Tempo Social, Rev. Sociol. USP, S. Paulo, v. 5, n. 1-2, p.53-65, 1993 (editado em nov. 1994). Disponível em: http://www.revistas.usp.br/ts/article/viewFile/84942/87671. Acesso em 8 de março de 2016.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da educação ambiental no Brasil. Porto Alegre: Ed. Universidade/UFRGS, 2001.

CORRÊA, Dora Shellard. Os rios na formação territorial do Brasil: considerações sobre a historiografia paulista. In: ARRUDA, Gilmar (org.). A natureza dos rios: história, memória e territórios. Curitiba: Editora UFPR, 2008. p. 47-72

COY, Martin. A interação rio-cidade e a revitalização urbana: experiências europeias e perspectivas para a América Latina. Confins. [Online], 18 | 2013, Disponível em: http://confins.revues.org/8384. Acesso em 16 de abril de 2015.

DIEGUES, Antônio Carlos. Água e cultura nas populações tradicionais brasileiras. São Paulo, I Encontro Internacional Governança da Água, novembro 2007. Disponível em: http://nupaub.fflch.usp.br/sites/nupaub.fflch.usp.br/files/color/simbolagua.pdf. Acesso em 26 de maio de 2017.

DUARTE, Regina Horta. História e natureza. Belo Horizonte: Autêntica, 2005.

FREYRE, Gilberto. Nordeste: aspectos da influência da cana sobre a vida e a paisagem do Nordeste do Brasil. 7. ed. São Paulo: Global, 2004.

GANDARA, Gercinair Silvério. Rio Parnaíba: sua figuração humana e poética. Revista Mosaico, v. 1, n. 2, p.112-122, jul./dez., 2008. Disponível em: http://seer.ucg.br/index.php/mosaico/article/view/570/454. Acesso em 16 de abril de 2015.

LEONARDI, Victor. Os historiadores e os rios: natureza e ruína na Amazônia brasileira. Brasília: Paralelo 15, 1999.

LIMA, Maria de Fátima Gonçalves. O discurso do poema “O rio” de João Cabral. In: Anais da XXI Jornada Nacional de Estudos Linguísticos, p. 1887-1904, 2006. Disponível em: http://www.cpgss.pucgoias.edu.br/ArquivosUpload/18/file/O%20Rio%20de%20Jo%C3%A3o%20Cabral.pdf . Acesso em 14 de abril de 2015.

MELO NETO, João Cabral de. Poemas para ler na escola (seleção e apresentação Regina Zilberman). Rio de Janeiro: Objetiva, 2009.

MORE, Thomas. A Utopia. Trad. Luís de Andrade. São Paulo: Editora Nova Cultural, 2004.

OLIVER, Elide V. “A terceira margem do rio”: fluxo do tempo em Guimarães Rosa (com reflexões em Drummond de Andrade). Revista USP, São Paulo, n. 49, p. 114-125, mar/mai 2001. Disponível em: http://www.usp.br/revistausp/49/08-elide.pdf. Acesso em 14 de abril de 2015.

PESSOA, Fernando. Mensagem. São Paulo: Martin Claret, 2005.

RIMBAUD, Arthur. Uma estadia no inferno/Poemas escolhidos/Carta ao vidente. São Paulo: Martin Claret, 2002.

REGO, José Lins do. Menino de engenho. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

ROSA, João Guimarães. Primeiras estórias. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2005.

SARAIVA, Maria da Graça Amaral Neto. O rio como paisagem: gestão de corredores fluviais no quadro do ordenamento do território. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1999.

SCHAMA. Simon. Paisagem e memória. São Paulo: Companhia das Letras, 1996.

TOMMASINO, Kimiye. Concepções simbólicas da água e dos rios na mitologia e na história dos Guarani e Kaigang. In: ARRUDA, Gilmar (org.). A natureza dos rios: história, memória e territórios. Curitiba: Editora UFPR, 2008. p. 209 – 226.

THOMAS, Keith. O homem e o mundo natural: mudanças de atitude em relação às plantas e aos animais, 1500-1800. São Paulo: Cia das Letras, 1988.

VERUNSCHK, Micheliny. Rio abaixo, rio afora, rio adentro: os rios (2008). Disponível em: http://novo.itaucultural.org.br/materiacontinuum/abril-2008-rio-abaixo-rio-afora-rio-adentro-os-rios/. Acesso em 15 de abril de 2015.

WORSTER, Donald. Pensando como um rio. In: ARRUDA, Gilmar (org.) A natureza dos rios: história, memória e territórios. Curitiba: Editora UFPR, 2008. p. 27-46.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v34i2.7009

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2017 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.