A teoria Fleckiana como subsidio a uma Educação Ambiental holística na práxis educativa docente

Raimunda Kelly Silva Gomes

Resumo


Este artigo objetiva refletir sobre as teoria Fleckiana sobre os estilos de pensamento (EP) e o coletivo de pensamento (CP) e suas implicações para uma educação ambiental holística, para tanto é preciso identificar as práticas, as concepções, as tradições e as normas que caracterizam o Coletivo de Pensamento (CP) dos (as) educadores (as) ambientais, uma vez que, cada CP apresenta uma maneira particular de ver o objeto do conhecimento e de relacionar-se com ele, o que implica em um direcionamento do olhar que orienta e pode interferir na práxis educativa e na construção de currículo para além do ambiente escolar. Portanto, é necessário que o EP e o CP sirvam como base para a construção de uma EA holística no currículo escolar e na práxis educativa docente.

Palavras-chave


Educadores Ambientais. Currículo Escolar. Saberes.

Texto completo:

PDF

Referências


APPLE, Michael. Repensando ideologia e currículo. In: MOREIRA, Antonio Flávio. Barbosa; SILVA, Thomas Tadeu da. Currículo, cultura e sociedade. 6. ed. São Paulo: Cortez, 2002.

BUSNARDO, Flávia; LOPES, Alice Casimiro. os discursos da comunidade disciplinar de ensino de biologia: circulação em múltiplos contextos. Ciência & Educação, n. 1, v. 16, p. 87-102, 2010.

BACKES, Dirce Stein; COLOMÉ, Juliana Silveira; ERDMANN, Rolf Herdmann; LUNARDI, Valéria Lerch. Grupo focal como técnica de coleta e análise de dados em pesquisas qualitativas. O mundo da saúde, v. 35, n. 4, p. 438-442, 2011.

BARROS, João Henrique Ávila. Conhecimento e Discurso: reflexões sobre articulações entre a epistemologia de Fleck e a Análise de Discurso em Educação Científica e Tecnológica e no Ensino de Ciências. In: VIII ENPEC - Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências, Campinas, 2011.

BRASIL. Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs). Brasília: MEC/SEF, 1998.

BRASIL. Resolução nº 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. DOU nº 116, Seção 1, págs. 70-71

BOMFIM, Alexandre Maia; ANJOS, Maylta Brandão dos; FLORIANO, Marcio Douglas; FIGUEIREDO, Carmen Simone Macedo; SANTOS, Denise Azevedo dos; SILVA, Carolina Luiza de Castro da. Parâmetros curriculares nacionais: uma revisita aos temas transversais meio ambiente e saúde. Revist. Trab. Educ. Saúde, n. 1, v. 11, p. 27-52, 2013.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. A invenção ecológica. Editora da UFRGS, 2001.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura. Educação Ambiental: a formação do sujeito ecológico. São Paulo: Cortez, 2012.

COSTA, Cesar Augusto Soares da; LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Interdisciplinaridade e educação ambiental crítica: questões epistemológicas a partir do materialismo histórico-dialético. Ciência e Educação, v. 21, n. 3, p. 693-708, 2015.

FLECK, Ludwik. Gênese e desenvolvimento de um fato científico. Belo Horizonte: Fabrefactum, 2010.

FLECK, Ludwik. La génesis y el desarrollo de un hecho científico. Madrid: Alianza Editorial, 1986.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes; VARELLA, Ana Maria Ramos Sanches; ALMEIDA, Telma Teixeira de Oliveira. Interdisciplinaridade: tempos, espaços, proposições. Revista e-Curriculum, n.11, v. 3, p. 847-862, 2013.

FAZENDA, Ivani Catarina Arantes. Interdiciplinaridade-Transdisciplinaridade: visões culturais e epistemológicas e as condições de produção. Revist. Interdisciplinaridade, v.1, n. 2, p. 34- 42, 2012.

FERREIRA, Nali Rosa Silva. Atitude interdisciplinar, formador dos (as) professores (as) e autonomia profissional. Tese (doutorado em educação: currículo). 197 f. Programa de Pós-graduação em Educação- Pontifícia Universidade Católica de São Paulo - PUC/SP, São Paulo, 2011.

GUIMARÃES, Mauro. A formação de educadores ambientais. 8 ed. Campinas, são Paulo: papirus, 2012, 173 p.

GALLO, Silvio. Transversalidade e Meio Ambiente. Ciclo de Palestras sobre Meio Ambiente - Programa Conheça a Educação do CIBEC/INEP- MEC/SEF/COEA, 2001

GALLO, Silvio. Conhecimento, transversalidade e currículo. Tese de livre docência, 2009.

GOODSON, Ivor. Currículo: teoria e história. 6ª edição. Petrópolis: Vozes, 1995.

GAVIDIA, Valentin. A construção do conceito transversalidade. In: ÁLVAREZ, Maria Neves; et al. Valores e temas transversais no currículo. Porto Alegre: Artmed, 2002, p. 15-30.

GONZÁLEZ GAUDIANO, Edgar. Los desafíos de la transversalidade enel curriculum de la educación básica en México. Tópicos em Educación Ambiental, México, n.6, v.2, p. 63-69, 2000.

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da terra. São Paulo, Petrópolis, 2000.

GUIMARÃES, Mauro; CARDOSO, Cristiane. Dos desertos geográficos a desertificação da vida. A educação ambiental em tempos de crise. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 31, p. 324-338, 2014.

GOMES, Raimunda Kelly Silva; NAKAYAMA, Luiza; SOUSA, Francele Benedito Baldez. Educação Ambiental formal como Princípio da Sustentabilidade na Práxis Educativa. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Ed. Especial, p. 11-39, 2016.

JAPIASSU, Hilton. Ciências: questões impertinentes. São Paulo: Ed. Ideias & Letras, 2011.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; VIÉGAS, Aline. Princípios normativos da educação ambiental no Brasil: abordando os conceitos de totalidade e de práxis. Pesquisa em educação ambiental, n.1, v. 8, p. 11-23, 2013.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; FRANCO, Jussara Botelho. Aspectos teóricos e metodológicos do Círculo de Cultura: uma possibilidade pedagógica e dialógica em educação ambiental. Ambiente e Educação, n.1, v.17, p. 11-27, 2012.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo e TORRES, Juliana Rezende (Org.). Educação ambiental: dialogando com Paulo Freire. São Paulo: Cortez, 2014.

LORENZETTI, Leonir. Estilos de pensamento em Educação Ambiental: uma análise a partir das dissertações e teses. Tese de doutorado. Programa de Pós-graduação em Educação Científica e Tecnológica/UFSC: Florianópolis, 2008.

LUIZARI, Rosa Acássia; CAVALARI, Rosa Maria Feiteiro. A contribuição do pensamento de Edgar Morin para a educação ambiental. Educação: teoria e pratica, v. 11, nº. 20, jan/jun, 2003, p. 7-13

LEFF, Enrique. Saber ambiental. Petrópolis-RJ: Vozes. 2001. 224 p.

LEFF, Enrique. Discursos sustentáveis. São Paulo: Cortez, 2010

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Trajetórias e fundamentos da Educação Ambiental. São Paulo: Cortez, 2006.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Teoria social e questão ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza (org.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2012, cap. I, 17-54 p.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; TOZONI-REIS, Marilia Freitas Campos. Teoria social crítica e pedagogia histórico-critica: contribuições à educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, Ed. Especial, p. 68-82, 2016.

LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabeth. A estabilidade do currículo disciplinar: o caso das Ciências. In: LOPES, Alice Casimiro; MACEDO, Elizabet (orgs). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002. p.73-94.

LEITE, Raquel Crosara Maia; FERRARI, Nadir; DELIZOICOV, Demétrio. A história das leis de Mendel na perspectiva fleckiana. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, Bauru, v. 1, n. 2, p. 97-108, 2001.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Educação para a gestão ambiental: a cidadania no enfrentamento político dos conflitos socioambientais. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza (org.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2012, cap. IV, 89-156 p.

MATIAS, Virgínia Coeli Bueno de Queiroz. A transversalidade e a construção de novas subjetividades no currículo escolar. Currículo sem Fronteiras, n.1, v.8, p.62-75, 2008.

MENDES, Regina; VAZ, Arnaldo. Educação ambiental no ensino formal: narrativas de professores sobre suas experiências e perspectivas. Educação em Revista, n.3, v.25, p.395-411, 2009.

MORIN, Edgar. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2002.

MORALES, Angélica Góis Muller. Processo de institucionalização da educação ambiental: tendências, correntes e concepções. Pesquisa em Educação Ambiental, n. 1, v. 4, p. 159-175, 2009.

REIGOTA, Marcos. Meio ambiente e representação social. 8 edição, São Paulo: Cortez, 2010 (coleção questões da nossa época, v. 12).

SACHS, Ignacy. Desenvolvimento: includentes, sustentável, sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004.

SORRENTINO, Marcos. et al. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa, n. 2, v. 31, p. 285-299, 2005.

SILVA, Thomas Tadeu. Os novos mapas culturais e o lugar do currículo numa paisagem pós-moderna. Educação, sociedade e cultura, n. 3, p. 125-142, 1995.

SHULMAN, Lee. Those Who Understand: knowledge growth in teaching. Educational Researcher, n. 2, v. 15, p. 4-14, 1986.

SACRISTÁN, José Gimeno. Poderes instáveis em educação. Porto Alegre: Artmed, 1999.

TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. 2. ed. Petrópolis: Vozes, 2002.

TOZETTO, Susana Soares. Os saberes da experiência e o trabalho docente. Rev. Teoria e Prática da Educação, n. 3, v. 14, p. 17-24, 2011.

TOZONNI- REIS, Marilia Freitas Campos. Educação ambiental: natureza, razão e história. Campinas são Paulo. 2 ed: autores associados, 2008, 166p.

TORRES, Juliana Rezende. Apropriações da Concepção Educacional de Paulo Freire na Educação Ambiental: Um Olhar Crítico. Revista Contemporânea de Educação N º 14 – agosto/dezembro de 2012.

TEIXEIRA, Cristina; TORALES, Marilia Andrade. A questão ambiental e a formação de professores para a educação básica: um olhar sobre as licenciaturas. Educar em Revista. Ed. Especial n. 3, p. 127-144, 2014.

TORALES, Marilia Andrade. A inserção da educação ambiental no currículo escolar e o papel dos (as) professores (as): da ação escolar a ação educativa-comunitária como compromisso político ideológico. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. esp., p.1-15, 2013.

TEIXEIRA, Lucas André; TOZONI-REIS, Marília Freitas Campos; TALAMONI, Jandira Líria Biscalquine. A teoria, a prática, os (as) professores (as) e a educação ambiental: algumas reflexões. Revista olhar de professor, n. 2, v. 14, p. 227-237, 2011.

UNESCO. Congresso Internacional UNESCO/PNUMA sobre la educacion y la Formación Ambiental, Moscou. In: Educação Ambiental, Situação Espanhola e Estratégia Internacional. DGMA-MOPU, Madri, 1987.

VEIGA-NETO, Alfredo. De Geometrias, Currículo e Diferenças. Educação e Sociedade, n. 79, p. 163-186, 2002.

VALENTIN, Leirí. A dimensão política na formação continuada de professores em educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, n. 2, v. 31, p. 58-72, 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v34i1.6685

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2017 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.