O papel da Educação Ambiental diante dos modos de vida insustentáveis da contemporaneidade
The role of environmental education in the face of unsustainable lifestyles of contemporary

Patricia María Ingrasiotano, José Marcelo Freitas de Luna

Resumo


Frente aos modos de vida insustentáveis da contemporaneidade este estudo se propôs compreender práticas de organização social pré-patriarcais, decorrentes de um princípio feminino genetriz, a fim de integrar seus contributos às discussões da EA. Documentos ambientalistas e teológicos foram examinados, assim como a pré-história e sua iconografia sagrada feminina a partir dos dados apresentados por Leroi-Gourhan (1968), Gimbutas (1997), Eisler (1998)e Mellart (2000). Agamben (2009), Boff (1999, 2003, 2013), Sauvé (2016), Pereira (2016), Dittrich (2001), Duarte Jr. (2010), dentre outros, subsidiaram as reflexões. Os antigos organizavam-se a partir da concepção de uma força criadora imanente à Terra, que os dotava da habilidade de saber habitar. Apropriar-se de esse saber pode considerar-se uma contribuição fundamental na inversão axiológica apontada por Pereira (2016) como o grande desafio da EA.

Palavras-chave


Educação Ambiental. Culturas Pré-patriarcais. Saberes sensíveis.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Tradução Vinícius Nicasstro Honesko. Chapecó, SC: Argos, 2009.

ALENCASTRO, Mario Sergio Cunha; SOUZA-LIMA, José Edmilson. Educação ambiental: breves considerações epistemológicas. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, vol. 8, n.4, jan - jun, 2015. Disponível em: < http://www.grupouninter.com.br/web/revistameioambiente/index.php/meioAmbiente/article/view/421/262>. Acesso em: 21 mai. 2016.

ARTAXO, Paulo. Uma nova era geológica em nosso planeta: o Antropoceno?. Revista USP, v. 1, p. 13-24, 2014. Disponível em: < http://www.revistas.usp.br/revusp/article/viewFile/99279/97695>. Acesso em: 17 abr. 2016.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2003.

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. 5 ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

______. Ética e Moral: a busca dos fundamentos. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

______. O cuidado necessário: na vida, na saúde, na educação, na ecologia, na ética e na espiritualidade. 2. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013

CORSETTI, Berenice. Análise documental no contexto da metodologia qualitativa. UNIrevista, vol.1, n°1: 32-46, jan., 2006. Disponível em: . Acesso em: 11 maio 2016.

DITTRICH, Maria Glória. Natureza e criatividade: o ensino da arte pictórica. Itajaí: UNIVALI, 2001.

DUARTE JUNIOR, João Francisco. O sentido dos sentidos. 5. ed. Curitiba: Criar, 2010.

EISLER, Riane Tennenhaus. O Cálice e a espada: Nossa história, nosso futuro. Rio de Janeiro, Imago editora, 1998. Disponível em: Acesso em: 3 de abr. 2016.

GIMBUTAS, Marija Alseikaite. The living goddesses. In// DEXTER, Miriam Robins (Org.). The living goddesses. Estados Unidos de América: University of California Press.1997.

GONZALEZ-GAUDIANO, Edgar Javier; KATRA, Lyle Figueroa de. Valores e educação ambiental: aproximações teóricas em um campo em contínua construção. ResearchGate, nov., 2009. Disponível em: . Acesso em: 3 de abr. 2016.

JACOBI, Pedro Roberto. Mudanças climáticas e ensino superior: a combinação entre pesquisa e educação. Educação, n.3, p.57-72, 2014. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/er/nspe3/a05nspe3.pdf>. Acesso em: 12 abr. 2016.

LEROI-GOURHAN, Andre. La Préhistoire. 2. ed. Paris: Presses Universitaires de France, 1968.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli Eliza Dalmazo de. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo, EPU, 1986.

MAFFESOLI, Michel. Elogio da razão sensível. Tradução Albert Christophe Migueis Stuckenbruck. Petrópolis, RJ : Vozes, 1998.

MELLART, J. Le néolithique et le chalcolithique en Asie occidentale (depuis il y a 12 000 ans jusqu’à il y a 5 000 ans). In// UNESCO (Org.). History of Humanity – Vol I : Prehistory and the Beginning of Civilization Publié par l’Organisation des Nations Unies pour l’éducation, la science et la culture. Paris et Routledge, Londres, 2000, cap. 41, p. 1026-1065. Disponível em: < http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001210/121055f.pdf>. Acesso em: 13 abr. 2016.

MERLEAU-PONTY, Maurice. O visível e o invisível. Tradução de José Arthur Gianotti e Armando Mora de Oliveira. São Paulo, Perspectiva, 2000.

NOBLE, Vicky. Madre Paz: Un camino hacia la Diosa a través del Mito, Arte e Tarot. Editorial: Cuatro Vientos, Santiago de Chile, 1991.

PAPA FRANCISCO. Carta Encíclica Laudato Si’: sobre o cuidado da casa comum. São Paulo: Paulinas, 2015.

PEREIRA, Vilmar Alves. ECOLOGIA COSMOCENA: uma perspectiva ontológica para Educação Ambiental Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient. E -ISSN 1517-1256, Ed. Especial, julho/2016, p.139 -162. Disponível em: . Acesso em: 25 jul. 2016.

ROCKSTRÖM, Johan et. al. Safe Operating spece for humanity. Nature. v.461, n. 461, n. 24, p. 471-475, set., 2009. Disponível em: < http://www.nature.com/nature/journal/v461/n7263/full/461472a.html>. Acesso em: 12 abr. 2016.

SANTOS, Antonio Raimundo dos. Metodologia Científica: a construção do conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2000.

SAUVÉ, Lucie. Viver juntos em nossa Terra: Desafios contemporâneos da educação ambiental. Revista Contrapontos - Eletrônica, Vol. 16 - n. 2 - Itajaí, mai-ago 2016, p.288-299. Disponível em: . Acesso em: 15 jul. 2016.

TEASS. Tratado de educação ambiental para sociedades sustentáveis e responsabilidade global. Rio de Janeiro, 1992. Disponível em: . Acesso em: 16 abr. 2016.

UNESCO; PNUMA. Carta de Belgrado. Colóquio sobre Educação Ambiental, 13 a 22 de outubro de 1975. Disponível

em:. Acesso em: 5 jun. 2016.

______. Educação ambiental: as grandes orientações da Conferência de Tbilisi. Brasília, DF: IBAMA, 1997. Disponível em:

. Acesso em: 6 jun. 2016.

¬______. Carta da Terra, 2003. Disponível em: . Acesso em: 6 jun.2016




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v33i3.6052

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2016 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.