A educação e o meio ambiente nas instituições públicas de ensino superior do estado do Rio de Janeiro: o perfil dos cursos de graduação que tratam da temática

Vanessa Marcondes de Souza, Joel de Araujo

Resumo


A Educação para o Meio Ambiente assume um importante papel no sentido de contribuir na construção de uma sociedade que busque justiça socioambiental. Em consequência da demanda crescente por profissionais habilitados a trabalhar com as questões ambientais, o número de cursos com a adjetivação Ambiental vem aumentando consideravelmente nos últimos anos. Assim, o objetivo desse artigo é conhecer o perfil dos profissionais da área de meio ambiente formados naqueles cursos de graduação adjetivados de ambientais e oferecidos por Instituições Públicas de Ensino Superior no estado do Rio de Janeiro. A metodologia construída de análises documentais e entrevistas com os coordenadores de cursos. A percepção do meio ambiente predominante nesses cursos é naturalista e/ou antropocêntrica. Priorizam-se a resolução das questões ambientais através de soluções técnicas sem criticas e discussões ao sistema hegemônico vigente. O foco principal da educação é a educação para o mercado.

Palavras-chave


Educação Ambiental; Meio Ambiente; Graduação; Instituição de Ensino Superior.

Texto completo:

PDF

Referências


Ahlert, A. A eticidade da educação: o discurso de uma práxis solidária/universal. 2.ed. Ijuí: UNIJUÍ, 2004. (Coleção - Fronteiras da educação).

Brügger, P. Educação ou adestramento ambiental? Santa Catarina: Letras Contemporâneas, 1994. 142 p.

Capra, F., 1999. A teia da vida. São Paulo: Cultrix, 256 p.

Guimarães, M., 1995. A dimensão ambiental na educação ambiental. Coleção: Magistério formação e trabalho pedagógico. Campinas, São Paulo, Editora Papirus.

Leal-Filho, W., 1999. Meio Ambiente: um tema de valor estratégico para a universidade brasileira. Ambiente & Sociedade 2(5):191-201.

Leff, E., 2000. Ecologia, capital e cultura: racionalidade ambiental, democracia participativa e desenvolvimento sustentável. Blumenau: Ed da FURB.

Leff, E., 2001 (a) Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidades, poder. Petrópolis, RJ: Vozes.

Luzzi, D. A “ambientalização” da educação formal. Um dialogo aberto na complexidade do campo educativo. In: A complexidade Ambiental. Leff, E. (Coord.). Elite Wolf. São Paulo: Cortez, 2003. 178-216.

Moraes, F. A.; Shuvartz, M.; Paranhos, R.D., 2008. A Educação Ambiental em Busca do saber Ambiental nas instituições de ensino superior. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 20: 63-77.

Reis, F.A.G; Giordano, L.C.; Cerri, L.U.S & Medeiros, G.A, 2005. Contextualização dos cursos superiores de Meio Ambiente no Brasil: Engenharia Ambiental, Engenharia Sanitária, Ecologia, Tecnólogos e sequenciais. Eng. ambient. - Espírito Santo do Pinhal, 2(1): 005-034.

Reigota, M. Oque é educação Ambiental. Editora brasiliense, São Paulo, 1994.63p.

Riojas, J. Complexidade Ambiental na Universidade. In: A complexidade Ambiental. Leff, E. (Coord.). Elite Wolf. São Paulo: Cortez, 2003. 217-237.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v31i2.3461

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.