A circulação de memes nas redes como táticas de resistências cotidianas

Leonardo Ferreira Peixoto, Maria Cecília Castro, Marcelo Ferreira Machado

Resumo


A partir da ideias de ‘redes educativas’ (Alves, 2019) - as quais cotidianamente formamos e somos formados através de múltiplos e diferentes ‘conhecimentossiginificações’- pretendemos neste artigo ‘fazerpensar’ com imagens, em especial os memes, sobre questões atuais veiculadas nos diversos ‘espaçostempos’ da cibercultura (Santos, 2013). Nosso objetivo é compreender como tais imagens possibilitam a criação de diferentes narrativas a respeito de importantes temas que circulam na/pela internet. Compreendemos que as imagens circuladas nas ‘ambiências virtuais’ (Santos, 2013) promovem agenciamentos, negociações, criações em grande velocidade e maior abrangência. Além disso, acreditamos na relevância das conversas com as imagens para ‘verouvirpensar’ a partir dos muitos sentidos por elas aguçados, criando narrativas contra hegemônicas acerca de questões sociais.

Palavras-chave


Imagem; Memes; Redes Educativas

Texto completo:

PDF

Referências


ADICHIE, CHIMAMANDA. Para educar crianças feministas. São Paulo, Companhia das Letras, 2009.

ALBUQUERQUE JUNIOR, Durval. Xenofobia: medo e rejeição ao estrangeiro. São Paulo: Cortez, 2016.

ALMEIDA,Wallace; OLIVEIRA, Rosimery& SANTOS, Edméa. A discursividade dos memes- mimetizando-se nas redes educativas. Revista Periferia - Educação, Cultura e Comunicação, 2019. p. 57-89.

ALVES,Nilda. Práticas Pedagógicas em Imagens e Narrativas - memórias de processos didáticos e curriculares para pensar as escolas hoje. São Paulo, Cortez,2019.

ALVES, Nilda. A formação com as imagens. Revista Interistitucional Artes de Educar. Rio de Janeiro, V. 2 N. Especial – jun. out. 2016, p.235-252.

BARBERO, Jesús Martin. Novos regimes de visualidade e descentramentos culturais. In: FILÉ, V. Batuques.Fragmentações e fluxos: zapeando pela linguagem audiovisual escolar. Rio de Janeiro: DP&A, 2000. p. 83-112.

BORRILLO,Daniel. Homofobia: história e crítica de um preconceito. Belo Horizonte: Autentica, 2010.

CASTRO, Maria Cecilia. Currículo como enunciação: performance de criação e recriação – o caso do curso de extensão em diversidade sexual e identidades de gênero.2011. 120f. Dissertação (Mestrado em Educação) — Faculdade de Educação, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2011.

CERTEAU, Michel de. A invenção do cotidiano – 1. Artes de fazer. Petrópolis/RJ: Vozes, 2012.

CIAVATTA, MARIA. O Mundo do Trabalho em Imagens: Memória, História e Fotografia.Revista Psicologia: Organizações e Trabalho, 12(1), jan-abr 2012, pp . 33-46 . Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpot/v12n1/v12n1a04.pdf Acesso em 18/04/2020.

DELEUZE, Gilles; GUATTARI, Félix. Personagens conceituais. In DELEUZE, Gilles e GATTARI, Félix. O que é filosofia? Rio de Janeiro: Ed 34, 1992: 81-109

GOMES, N. L. Alguns termos e conceitos presentes no debate sobre relações raciais no Brasil: uma breve discussão. In: BRASIL. Educação Antirracista: caminhos abertos pela Lei federal nº 10.639/03. Brasília, MEC, Secretaria de educação continuada e alfabetização e diversidade, 2005.

KRENAK, Aílton. O amanhã não está à venda. São Paulo, Companhia das Letras,2020.

MUNANGA, KABENGUELE.Uma abordagem conceitual das noções de raça, racismo, identidade e etnia. Palestra proferida no 3º Seminário Nacional Relações Raciais e Educação-PENESB-RJ, 05/11/03 Disponível em https://www.ufmg.br/inclusaosocial/?p=59

RIBEIRO, Mayra Rodriguês Fernandes; CARVALHO, Felipe da Silva Ponte & SANTOS, Rosemary dos. Ambiências híbridas-formativas na educação online: desafios e potencialidades em tempos de cibercultura. Rio de Janeiro: Redoc, v. 2, n.1, 2018, p.3. Disponível em:https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/re-doc/article/view/30589/23532. Acesso em 08 abr. 2020.

SANTOS, Edméa. & WEBER, Aline. A criação de atos de currículo no contexto de espaços intersticiais. teccogs n. 7, 156 p, jan.-jun, 2013, p.42 -60.

SCHWARCZ, LILIA M. O espetáculo das raças - cientistas, instituições e questão racial no Brasil 1870-1930. São Paulo: Companhia das Letras, 1993.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.11370

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.