Educação pela cidade e a formação de professores: mediações fotográficas na apreensão das questões socioambientais

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.11243

Resumo

O texto apresenta os resultados de pesquisa que buscou responder à pergunta: que contribuições à formação de professores as mediações fotográficas trazem para a compreensão de questões socioambientais na premissa de uma educação pela cidade? Exploramos a cidade de Belém, em um City Tour pedagógico, mediante registros fotográficos de suas paisagens e elaboração de textos críticos, na leitura destes registros. As leituras das fotografias permitiram a apreensão de “várias cidades”: (1) a cidade negligenciada; (2) a cidade das contradições; (3) a cidade que necessita pensar mais na natureza e (4) a cidade que revela singularidades, evoca memórias e se insere na contemporaneidade”. De um olhar desatento, um olhar sem ver, os professores passaram a perceber a cidade como espaço de confronto com a realidade, na apreensão das questões socioambientais, interrogando este estado de coisas, e permitindo sua concreta inserção no cenário citadino.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Manuella Teixeira Santos, Secretaria Estadual de Educação

Mestre (2012) e Doutora (2019) em Educação em Ciências e Matemáticas (Instituto de Educação Matemática e Científica - IEMCI/Universidade Federal do Pará - UFPA). Possui graduação em Licenciatura em Ciências Biológicas - UFPA (2008). É professora da Secretaria de Estado de Educação do Pará. Tem experiência com Ensino de Ciências, atuando principalmente nos seguintes temas: Questões socioambientais, Educação para o Desenvolvimento Sustentável e Fotografia.

Elinete Oliveira Raposo, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Licenciatura Plena em Física pela Universidade Federal do Pará (1998), mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará (2004) e doutorado em Educação em Ciências e Matemáticas pela Universidade Federal do Pará (2017). Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal do Pará. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação em ciências, atuando principalmente nos seguintes temas:educação para a sustentabilidade, ensino de física, formação inicial e continuada de professores.

Nadia Magalhães da Silva Freitas, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Nutrição, pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1976), mestrado em Ciências (Microbiologia), pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1982), doutorado em Desenvolvimento Sustentável do Trópico Úmido - Núcleo de Altos Estudos Amazônicos, da Universidade Federal do Pará (2008). Pós-doutorado em Ensino e Aprendizagem das Ciências, junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica (PPGECT), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) (2015/2016). Foi professora da Universidade Federal de Roraima (1992-2008). Atualmente é professora da Universidade Federal do Pará, com atuação no Instituto de Educação Matemática e Científica (IEMCI), junto a Licenciatura Integrada em Educação em Ciências, Matemática e Linguagem. Também atua no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemáticas. Tem experiência de pesquisa na área de Educação em Ciências, com ênfase em formação de professores, abordagem CTS, questões socioambientais, educação científica para o contexto amazônico, temas sociocientíficos, educação para sustentabilidade/desenvolvimento sustentável.

Referências

ADEROQUI, Silvia. Educação na cidade: responsabilidade contemporânea e solidariedade

institucional. Cadernos Cenpec, São Paulo, v. 1, n. 1, p. 1, 2006. Resumo. Disponível em:

http://cadernos.cenpec.org.br/cadernos/index.php/cadernos/article/view/144 . Acesso em:

dez. 2019.

ALVES, Humberto Prates da Fonseca. Vulnerabilidade socioambiental na metrópole paulistana: uma análise sociodemográfica das situações de sobreposição espacial de problemas e riscos sociais e ambientais. Revista Brasileira de Estudos da População, São Paulo, v. 3, n. 1, p. 43-59, 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/rbepop/v23n1/v23n1a04.pdf >. Acesso: 10 dez. 2019.

AZEVEDO, Jussara Moreira de. O ENQUADRAMENTO: um olhar sobre a cidade, a fotografia e sua história. In: Colóquio Internacional de História Cultural da Cidade - Sandra Jatahy Pensavento, 1. Porto Alegre, 9 a 11 de março de 2015. Disponível em: < http://www.ufrgs.br/gthistoriaculturalrs/31IMJussara_Moreira_deAzevedo.pdf>. Acesso em: 22 dez. 2019.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade líquida. São Paulo: Zahar, 2001.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para Consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

CAMPOS, Neide Pelaez de. A construção do olhar estático-crítico do educador. Florianópolis: Editora da UFSC, 2002.

CARDOSO, Ana Cláudia Duarte; VENTURA NETO, Raul da Silva. A evolução urbana de Belém: trajetória de ambiguidades e conflitos socioambientais. Cadernos Metrópoles, São Paulo, v. 15, n. 29, p. 55-75, 2013. Disponível em: < https://revistas.pucsp.br/metropole/article/viewFile/15816/11840 >. Acesso em: 16 de nov. 2019.

CHAVES, Silvia Nogueira. Por que ensinar ciências para as novas gerações? Uma questão central para a formação docente. Contexto & Educação, Ijuí, v. 22, p. 11-24, 2007. Disponível em: < https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/1083 >. Acesso em: 10 dez. 2019.

CHAVES, Silvia Nogueira. Reencantar a Ciência, reinventar a docência. São Paulo: Livraria da Física, 2013.

COLOMBIJN, Freek; RIAL, Carmen. Introdução: abordagens antropológicas dos resíduos sólidos em sociedades pós-industriais. In: RIAL, Carmen. (Org.). O poder do lixo: abordagens antropológicas dos resíduos sólidos. Rio de Janeiro: Associação Brasileira de Antropologia, 2016. p. 9- 40.

COSTA, Chirla Miranda da. O lixo como tema de estudo na formação inicial de professores. 2016. 95 f. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemáticas). Instituto de Educação Matemática e Científica, Universidade Federal do Pará, Belém, 2016.

CRESWELL, John W. Investigação qualitativa e projeto de pesquisa: escolhendo entre cinco abordagens. Tradução: Sandra Mallmann da Rosa. 3. ed. Porto Alegre: Penso, 2014.

CRUZ, Paulo Márcio; FERRER, Gabriel Real. Direito, sustentabilidade e a premissa tecnológica como ampliação de seus fundamentos. Seqüência, Florianópolis, n. 71, p. 239-278, dez. 2015. Disponível em: < https://periodicos.ufsc.br/index.php/sequencia/article/view/2177-7055.2015v36n71p239>. Acesso em 06 out. 2019.

CUNHA, José Marcos Pinto da. Planejamento municipal e segregação socioespacial: por que importa? In: BAENINGER, Rosana (Org.). População e Cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. 1. ed. Brasília, 2010. p. 65-77.

DIETZSCH, Mary Julia Martins. Leituras da cidade e educação. Cadernos de Pesquisa, São Paulo, v. 36, n. 129, p. 727-759, 2006. Disponível em: < http://www.scielo.br/pdf/cp/v36n129/a1136129.pdf >. Acesso em: 13 de nov. 2019.

FERREIRA, Anelise Barra. Aluno faz foto? O fotografar na escola (especial). 2012. 167 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre (RS), 2012.

GONÇALVES, Pólita. A cultura do supérfluo: lixo e desperdício na sociedade de consumo. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

GRAU, Eliseo Cortina. El aprendizaje de las ciencias sociales en escenarios urbanos

proyecto de aula “marcando pasos en nuestra ciudad, Barranquilla". Nodos y

Nudos, Bogotá, v. 3, n. 30, p. 89-96, 2011. Disponível em: < https://revistas.pedagogica.edu.co/index.php/NYN/article/view/962>. Acesso em: 16 nov. 2019.

LANES, Karoline Goulart; LANES, Dário Vinícius Ceccon; PESSANO, Edward Frederico Castro; FOLMER, Vanderlei. O ensino de ciências e os temas transversais: sugestões de eixos temáticos para práticas pedagógicas no contexto escolar. Contexto & Educação, Ijuí, v. 29, n. 92, p. 21-51, 2014. Disponível em: < https://www.revistas.unijui.edu.br/index.php/contextoeducacao/article/view/2371>. Acesso em 18 nov. 2019.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardes; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza de. Educação ambiental: repensando o espaço de cidadania. São Paulo: Cortez, 2011. p. 185-225.

LEFÈVRE, Fernando. Discurso do sujeito coletivo: nossos modos de pensar nosso eu coletivo. São Paulo: Andreoli, 2017.

LEFÈVRE, Fernando; LEFÈVRE, Ana Maria Cavalcante. O discurso do sujeito coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (Desdobramentos). Caxias do Sul: Educs, 2005.

LEFF, Enrique. A aposta pela vida: imaginação sociológica e imaginários sociais nos territórios ambientais do Sul. Petrópolis: Vozes, 2016.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Teoria social e questão ambiental: pressupostos para uma práxis crítica em educação ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier; CASTRO, Ronaldo Souza (Orgs.). Sociedade e meio ambiente: a educação ambiental em debate. São Paulo: Cortez, 2012. p. 17- 54.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. O desafio da pesquisa social. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza; DELANDES, Suely Ferreira; GOMES, Romeu. (Org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 27. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016. p. 09-28.

MORIN, Edgar; CIURANA, Emilio Roger; MOTTA, Raúl Domingo. Educar na era planetária: o pensamento complexo como método de aprendizagem no erro e na incerteza humana. São Paulo: Cortez. 2003.

PACHECO, Tania. Racismo ambiental: expropriação do território e negação da cidadania. In: Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Superintendência de Recursos Hídricos (Bahia). Justiça pelas águas: enfrentamento ao racismo ambiental. Salvador: Superintendência de Recursos Hídricos, 2008. (Série Textos Água e Ambiente).

PAGANI, Eliane Barbosa Santos; ALVES, Jolinda de Moraes; CORDEIRO, Sandra Maria Almeida. Segregação socioespacial e especulação imobiliária no espaço urbano. Argumentum, Vitória, v. 7, n. 1, p. 167-183, 2015. Disponível em: < http://www.periodicos.ufes.br/?journal=argumentum&page=article&op=view&path[]=8637>. Acesso em: 10 nov. 2019.

PESAVENTO, Sandra Jatahy. História, memória e centralidade urbana. Revista Mosaico, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 3-12, 2008. Disponível em: < http://seer.pucgoias.edu.br/index.php/mosaico/article/view/225 >. Acesso em: 10 de dez. 2019.

PORTELLA, Eduardo. Homem, cidade e natureza. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2012.

PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. Os (Des)caminhos do Meio Ambiente. São Paulo: Contexto, 2018.

SARGES, Maria de Nazaré. Belém: riquezas produzindo a Belle Époque (1870-1912). Belém: Paka-Tatu, 2010.

SOARES, Ana Maria Dantas; OLIVEIRA, Lia Maria Teixeira de; PORTILHO, Edilene Santos; CORDEIRO, Lilian Couto; CAVALCANTE, Deise Keller. Educação ambiental: construindo metodologias e práticas participativas. 2004. Disponível em: < http://www.anppas.org.br/encontro_anual/encontro2/GT/GT10/ana_maria_dantas.pdf >. Acesso em: 20 dez. 2019.

TOMIO, Daniela; GRIMES, Camila; RONCHI, Daiane Luchetta; PIAZZA, Fernanda; REINICKE, Karina; PECINI, Vanessa. As imagens no ensino de ciências: o que dizem os estudantes sobre elas? Caderno Pedagógico, Lajeado, v. 10, n. 1, p. 25-40, 2013. Disponível em: <http://www.univates.br/revistas/index.php/cadped/article/view/869>. Acesso em: 24 nov. 2019.

VITTE, Claudete de Castro Silva. Cidadania, qualidade de vida e produção do espaço urbano: desafios para a gestão urbana e para o enfrentamento da questão social. In: BAENINGER, Rosana (Org.). População e Cidades: subsídios para o planejamento e para as políticas sociais. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp. 2010. p. 79-97.

Downloads

Publicado

2020-08-21

Como Citar

Santos, M. T., Raposo, E. O., & Freitas, N. M. da S. (2020). Educação pela cidade e a formação de professores: mediações fotográficas na apreensão das questões socioambientais. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 37(3), 241–262. https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.11243

Edição

Seção

Artigos