Escola, Universidade e Unidade de Conservação: a Educação Ambiental como conexão, um estudo de caso em Itapuã – RS

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v37i1.11069

Palavras-chave:

Educação Ambiental, Unidades de Conservação, Escolas. Environmental Education, Conservation Areas, Schools. Educación ambiental, Unidades de conservación, Escuelas.

Resumo

Este trabalho tem como propósito apresentar algumas experiências realizadas em Itapuã, Viamão, RS, entre 2018 e 2019, com foco na relação entre o Parque Estadual de Itapuã (PEI) e as escolas da região. Foi realizada uma revisão bibliográfica e levantamento das escolas que visitaram o PEI nos últimos anos. Foram oferecidas atividades de Educação Ambiental para estudantes e para professores das escolas da região. Essas e as ações propostas pelo PEI foram acompanhadas por observação participante. Observaram-se dificuldades relacionadas aos processos burocráticos exigidos das escolas, como a falta de recursos humanos e financeiros nestas e nas unidades de conservação. Por outro lado, foi possível perceber que a parceria entre as instituições na promoção de ações conjuntas de Educação Ambiental é um ganho para ambas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Bettina Rubin de Souza, Universidade Federal de Rio Grande do Sul UFRGS

Técnica em Meio ambiente pelo Instituto Federal do Rio Grande do Sul (2016), atualmente cursa a graduação em Ciências Biológicas na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Taís Cristine Ernst Frizzo, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

É graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (1999) e Mestre em Ecologia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2002). Desde 2007, é professora efetiva do Departamento de Ciências Exatas e da Natureza, Colégio de Aplicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente cursa o doutorado no Programa de Pós-Graduação em Educação da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Dayse Aparecida dos Santos Rocha, Universidade Federal de Sergipe (UFS)

É graduada em Ciências Biológicas, Licenciada pela Universidade Federal de Sergipe (1994) e especialista em Ecologia de Ecossistemas Costeiros (UFS/2007). Coordenou de 1994 a abril de 2009 as atividades de Educação Ambiental da Fundação Pró-TAMAR. Tem experiência na área de Educação, com ênfase em Educação Ambiental, atuando principalmente nos seguintes temas: conservação ambiental, articulação com comunidades, valorização cultural, unidades de conservação, ecossistemas costeiros. Coordenou o processo de mobilização de planos diretores em Sergipe e na Bahia através da FAPESE. Atualmente é Técnica Ambiental da Secretaria Estadual do Rio Grande do Sul, lotada no Parque Estadual Itapuã como Gestora da Unidade de Conservação.

Rafaela Delacroix, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)

Licenciada em ciências biológicas pela UFRGS em 2015, estagiária do parque estadual de Itapuã (2018 - 2019). Integrante do grupo Macacos Urbanos (conservação do bugio ruivo) desde 2008.

Referências

BORGES, Marcelo Gules. Formas de aprender em um mundo mais que humano: emaranhados de pessoas, coisas e instituições na ambientalização do contexto escolar. 2014. 197f. Tese (Doutorado em Educação) ─ Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS, 2014.

BREDA, Gabriela; FARIA-CORREA, Mariana de Andrade; BALBUENO, Rodrigo Agra; HARTZ, Sandra Maria. Ocorrência de Puma concolor (Linnaeus, 1771) na região metropolitana de Porto Alegre, RS, Brasil. Natureza & Conservação, v. 6, n. 1, p. 18-34, abril 2008.

BRASIL. Lei no 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Brasília, 27 abr. 1999. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm>. Acesso em: 24 out. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Resolução n. 2, de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Brasília, 15 jun. 2012. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2012/Lei/L12608.htm>. Acesso em: 24 out. 2019.

CARVALHO, Isabel Cristina Moura; TONIOL, Rodrigo. Ambientalização, cultura e educação: diálogos, traduções e inteligibilidades possíveis desde um estudo antropológico da educação ambiental. Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 1, p. 28-39, 2010.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura; FARIAS, Carmen Roselaine; PEREIRA, Marcos Villela. A missão “ecocivilizatória” e as novas moralidades ecológicas: a educação ambiental entre a norma e a antinormatividade. Ambiente e Sociedade, Campinas, v. 14, n. 2, p. 35-49, jul./dez. 2011.

CUSTÓDIO, Aline. Itapuã com portas fechadas. Zero Hora, Porto Alegre, 04 jan. 2017. Disponível em: <https://gauchazh.clicrbs.com.br/porto-alegre/noticia/2017/01/parque-estadual-de-itapua-seguira-de-portas-fechadas-neste-verao-8996552.html>. Acesso em: 02 mar. 2020

FARIAS, Carmem Roselaine de Oliveira. A ambientalização do currículo do ensino básico segundo nossos olhares e práticas de pesquisa. In: CONGRESO INTERNACIONAL SOBRE INVESTIGACIÓN EN DIDÁCTICA DE LAS CIENCIAS, 9., 2013, Girona: 2013. Anais do IX Congresso Internacional sobre Investigación en Didáctica de Las Ciencias. Girona, 2013. Disponível em <https://www.raco.cat/index.php/Ensenanza/article/view/307065>. Acesso em 02 mar. 2020.

FRIZZO, Taís Cristine Ernst. Educação e Natureza: os desafios da ambientalização em escolas próximas a unidades de conservação. 2018. 281 f. Tese (Doutorado em Educação) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2018. Disponível em: <http://tede2.pucrs.br/tede2/handle/tede/8085>. Acesso em: 25 fev. 2020.

GRIZA, Ádria. Também somos paisagem: um estudo antropológico sobre o engajamento humano na natureza e a educação ambiental no Parque Estadual de Itapuã. 2009. Monografia (Bacharelado em Ciências Sociais) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2009.

LEITE LOPES, José Sergio. Sobre processos de ambientalização dos conflitos e sobre dilemas da participação. Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, v. 12, n 12, p. 31-64, 2006.

PRINTES, Rafaela Biehl. Território e territorialidade: revisando conceitos diante da complexidade da sociodiversidade. Rio Grande do Sul. 2015. Disponível em <http://repositorio.unisinos.br/ihu/v-seminario-observatorios/27-printes-territorio-territorialidade.pdf>Acesso em: 26 fev. 2020.

RIO GRANDE DO SUL. Secretaria da Agricultura e Abastecimento. Secretaria da Coordenação e Planejamento. Secretaria Executiva Pró-Guaíba. Plano de Manejo: Parque Estadual de Itapuã. Porto Alegre: Departamento de Recursos Naturais Renováveis, 1997. Disponível em: <https://www.sema.rs.gov.br/upload/arquivos/201610/15171153-plano-manejo-peitapua.pdf>. Acesso em: 19 fev. 2020.

SCHULZ, Francine; PRINTES, Rodrigo C.; OLIVEIRA, Larissa R. Depredation of domestic herds by pumas based on farmer’s information in Southern Brazil. Journal of Ethnobiology Ethnomedicine, n. 73, 2014. Disponível em: <https://ethnobiomed.biomedcentral.com/articles/10.1186/1746-4269-10-73> Acesso em 14 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2020-04-17

Como Citar

de Souza, B. R., Frizzo, T. C. E., Rocha, D. A. dos S., & Delacroix, R. (2020). Escola, Universidade e Unidade de Conservação: a Educação Ambiental como conexão, um estudo de caso em Itapuã – RS. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 37(1), 336–346. https://doi.org/10.14295/remea.v37i1.11069

Edição

Seção

Seção Especial: XI EDEA - Encontro e Diálogos com a Educação Ambiental