As canções de Antônio Baiano na promoção da Educação Ambiental: expressão de luta, religiosidade e amor pela natureza

Luciene Francisco Vieira, Wender Faleiro

Resumo


A Educação Ambiental é um tema amplamente discutido, contudo, muitas vezes, é trabalhada em desacordo com a lei n° 9.795/99, tendo em vista a necessidade de a EA ser realizada de forma politizada e crítica, para que o aluno vá além da sala de aula e coloque em prática o que foi aprendido. Assim, neste estudo qualitativo apresentamos a análise de 29 letras das canções do compositor e cantor popular Antônio Baiano, demonstrando como o discurso do eu lírico retrata a luta pela terra, a religiosidade e a defesa da natureza, e possibilita aos professores e formadores de professores a utilização das mesmas na promoção da EA como tema transversal. Partindo do princípio de que a EA é uma questão, também, política e social, e as canções apresentam um discurso consciente, que nos convida a refletir sobre o poder do capitalismo, que reina (e sempre reinou) em nosso país, tornando a nossa sociedade uma sociedade desigual e sofredora.

Palavras-chave


Música, Educação Ambiental, Canção Popular.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADES, Tiago Oliveira de; GANIMI, Rosângela Nasser. Revolução Verde e a Apropriação Capitalista. CES Revista, v.21. Juiz de Fora, 2007.

ARROYO, Miguel Gonzales. Outros sujeitos, outras pedagogias. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. 336 p.

BALDIN, Nelma. ALBUQUERQUE, Cristina. Cidadania ecológica. Conceções e práticas de estudantes universitários. Edição electrónica. URL: http://journals.openedition.org/sociologico/681 DOI: 10.4000/sociológico. 681. ISSN: 2182-7427. Editora CICS. NOVA - Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa.

BOGDAN, Robert; BIKLEN, Sari. Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Portugal: Porto Editora, 1994.

BOGO, Ademar. Arquiteto dos sonhos. São Paulo: 2003. 452 p.

BRITO, Felipe; ALVES, José Cláudio; LOBO, Roberta. Violência Social. In: CALDART, Roseli et al. (Org.). Dicionário da educação do campo. Rio de Janeiro: Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio: Expressão Popular, 2012. p. 770-777.

BRASIL. Lei nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre Educação Ambiental e institui a Política Nacional de Educação Ambiental, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 28 abr. 1999.

DUARTE, Camila Fernandes; HERDT, Bettina; SOLDAN, Angelita Machado; PROCIDONIO, Maristela; COSTA, Milena Mattoso da; GROFOSKI, Luan César. Educação Ambiental: A música como meio para expressar as noções de meio ambiente. Revbea, São Paulo, V. 11, Nº 4: 60-77, 2016.

FALEIRO, Wender; FARIAS, Magno Nunes. Inclusão de mulheres camponesas na universidade: entre sonhos, desafios e lutas. Educ. Pesqui., São Paulo, v. 43, n. 3, p. 833-846, jul./set., 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 17ª. ed. Rio de Janeiro, Paz e Terra,1987. 107 p.

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da Terra e Cultura de Sustentabilidade. Revista Lusófona de Educação, 2005, 6, 15-29.

GOHN, Maria da Glória. Educação Não formal e cultura política: impactos sobre o

associativismo do terceiro setor. 4 ed. São Paulo: Cortez, 2008. 104 p.

GUIMARÃES, Mauro. Educação ambiental Crítica. In: MELLO, Soraia Silva; TRAJBER, Rachel. (Coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília: Ministério da Educação: Ministério do Meio Ambiente: UNESCO, 2007, p. 25-34.

LEONARDI, M. L. A. A educação ambiental como um dos instrumentos de superação da insustentabilidade da sociedade atual. In: CAVALCANTI, Clóvis. Meio ambiente,desenvolvimento sustentável e políticas públicas. 2ª ed. São Paulo: Cortez, 1999. cap. 23, p. 405.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo; LAYRARGUES, Philippe Pomier. Ecologia política, justiça e educação ambiental crítica: perspectivas de aliança contra-hegemônica. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, v. 11 n. 1, p. 53-71, jan./abr. 2013.

LÖWY, Mchael. Crise ecologica, crise capitalista, crise de civilização: a alternativa ecossocialista. CADERNO CRH, Salvador, v. 26, 67, p. 79-86, Jan./Abr. 2013.

MAHEIRIE, Katia. Processo de criação no fazer musical: uma objetivação da subjetividade, a partir dos trabalhos de Sartre e Vygotsky. Psicologia em Estudo, Maringá, v. 8, n. 2, p. 147-153, 2003.

MORIN, Edgar. Introdução ao pensamento complexo. Tradução Eliane Lisboa. 4.ed. – Porto Alegre: Sulina, 2011.120 p.

NUNES, Talita Rodrigues. A influência da música sobre as representações sociais de meio ambiente no contexto de uma exposição científica. 2005. 156f. Dissertação de

Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, 2005.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 2014. (Coleção Primeiros Passos) 112 p.

PESSOA, Vanira Matos; RIGOTTO, Raquel Maria. Agronegócio: geração de desigualdades sociais, impactos no modo de vida e novas necessidades de saúde nos trabalhadores rurais. Rev. bras. saúde ocup. vol.37 nº125, São Paulo jan./jun. 2012.

SILVA, Denise Gomes da. A importância da música no processo de aprendizagem da criança na educação infantil: uma análise da literatura. TCC, Graduação em Pedagogia- Universidade Estadual de Londrina, 2010, P.1-42.

SORRENTINO, Marcos. De Tbilisi a Tessaloniki, a educação ambiental no Brasil. In: JACOBI, P.et al (Orgs.). Educação, meio ambiente e cidadania: reflexões e experiências. São Paulo: SMA. 1998. p.27-32.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.11056

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2020 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.