A centralidade da Educação Ambiental no Projeto Pedagógico Institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA.

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.10892

Palavras-chave:

Educação, Meio ambiente, formação

Resumo

Trata-se de um estudo com abordagem qualitativa com o objetivo de “Compreender a concepção de Educação Ambiental contida no PPI-IFBA. Para tanto foi realizada Análise Documental em todo o corpo do documento, tendo como base Bardin (2009) a partir dos descritores Educação Ambiental e Meio Ambiente por meio de leitura preliminar, exploração, inferência, interpretação e compreensão da realidade. Constatamos que a apesar do IFBA se comprometer para a formação omnilateral, no que tange à Educação Ambiental, ela se encontra de forma muito tímida e conservadora e sem uma proposta clara para sua efetivação, refletindo desse modo, a concepção do IFBA de Meio Ambiente como recurso para ser poupado, sem questionar as bases de poder no modo de produção de bens, no qual homem e natureza se tomam mercadorias.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Emília dos Santos Gonçalves, Instituto Federal de ciência e Tecnologia da Bahia

Bacharelado em Enfermagem, especialização em educação e mestranda em Gestão social, desenvolvimento regional e educação. Professora do IFBA-Eunápolis

Damián Sánchez Sánchez, Universidade Federal do Espírito Santo

Doutor e Mestre em Educação pela Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), na linha de pesquisa: Cultura, Currículo e Formação de Educadores; Graduado em Pedagogia pela Universidade Federal do Espírito Santo. Professor da UFES

Referências

BAHIA [(PPI-IFBA 2013)]. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia Projeto Pedagógico Institucional do IFBA. Salvador, 2013. Disponível em: https://portal.ifba.edu.br/proen/PPIIFBA.pdf. Acesso em: 20 de dez. 2019

BARDIN, Laurence. Análise de Conteúdo. Portugal: Editora 70, 2009.

BRASIL. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as Diretrizes e Bases da Educação nacional. e.8. Brasília: Câmara dos Deputados, Edições Câmara, 2013.

BRASIL. Programa Nacional de Educação Ambiental (ProNEA). Ministério do Meio Ambiente e Ministério da Educação. Brasília: 2005.

BRASIL. Conferência das Nações Unidas sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento: de acordo com a Resolução. JP! 44/228 da Assembleia Geral da ONU, de 22-12-89, estabelece uma abordagem equilibrada e integrada das questões relativas a Meio Ambiente e desenvolvimento: a Agenda 21 - Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 1995.

BRASIL. Lei 9.795, de 27 de Abril de 1999. Dispõe sobre a Política Nacional de Educação Ambiental. Brasília: 1999. Disponível em:

https://www.mma.gov.br . Acesso em: 22 dez.2015.

BRASIL. Resolução nº 2, de 30 de Janeiro 2012. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. Ministério da Educação. Brasília, 2012. Disponível em:< http://portal.mec.gov.br>. Acesso em: 22 dez.2019.

BRASIL. Constituição Federal de 1988. 53 ed. Atualizada. Brasília: 2016. Disponível em: https://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/518231/CF88_Livro_EC91_2016.pdfAcesso em: 24 dez.2019

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. A Educação Ambiental no Brasil. In: BRASIL, TV Escola. Programa Salto para o Futuro. Educação Ambiental no Brasil. Ministério da Educação. Brasília, 2008. Disponível em:< http://cdnbi.tvescola.org.br/resources/VMSResources/contents/document/publicationsSeries/164816Educambiental-br.pdf>. Acesso em: 30 dez.2019

DIAS, Genebaldo Freire. Educação Ambiental. Princípios e práticas. 6. ed. Revisada e ampliada. São Paulo: Gaia, 2000.

DIEGUES, Antônio Carlos. Sociedades sustentáveis. Universidade de São Paulo. São Paulo: 2003. Disponível em: <http://nupaub.fflch.usp. br/sites/nupaub.fflch.usp. br/files/color/comsust >. Acesso em: 20 dez.2019

GADOTTI, Moacir. Pedagogia da terra e cultura de sustentabilidade. Revista Lusófona de Educação, n.6, 2005. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Portugal. Disponível em:<http://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article1>

Acesso em: 20 dez.2019.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Para que a educação ambiental encontre a educação. In: LOUREIRO, Carlo Federico Bernardo. Trajetória e fundamentos da educação ambiental. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2012.

LIBÂNEO, José Carlos. Democratização da Escola pública. A pedagogia crítico-social dos conteúdos. e.9. São Paulo: edições Loyola, 2005.

LIMA, Gustavo Ferreira da Costa. Educação ambiental crítica: do socioambientalismo às sociedades sustentáveis. Educação e Pesquisa, São Paulo, v.35, n.1, p. 145-163, jan./abr. 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ep/v35n1/a10v35n1.pdf.

Acesso em: 20 dez.2019.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Aspectos históricos e pedagógicos da Educação Ambiental no Brasil. In: BRASIL, TV Escola. Programa Salto para o futuro. Educação Ambiental no Brasil. Ministério da Educação. Brasília, 2008.

LOUREIRO, Carlos Frederico Bernardo. Fundamentos da Educação Ambiental. In: LOUREIRO, Carlos Frederico B. Trajetória e Fundamentos da Educação Ambiental.4.e. São Paulo: Cortez editora, 2012.

REIGOTA, Marcos. Meio Ambiente e representação social. 3. e. São Paulo: Cortez, 2010.

ROMEIRO, Ademar Ribeiro. Desenvolvimento sustentável :uma perspectiva econômico ecológica. Revista Estudos Avançados .v.26 , n.74. São Paulo, 2012. Disponível em < http://www.scielo.br/pdf/ea/v26n74/a06v26n74.pdf>. Acesso em :22 dez.2019.

SAUVÉ, Lucie. Educação Ambiental: possibilidades e limitações. Revista Educação e Pesquisa. São Paulo, v 31,n.2, p. 317-322, maio/ago. 2005. Disponível em:< www.scielo.br/pdf/ep/v31n2/a12v31n2.pdf> Acesso em: 20 dez.2019

SAVIANI, Dermival. Educação: do senso comum à consciência filosófica. São Paulo: Editora Autores Associados, 1982.

SAVIANI, Dermival. Sobre a natureza e a especificidade da Educação. In: SAVIANI, Demival Pedagogia Histórico-Crítica. 9 ed. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2005

SILVA, Tomaz Tadeu. O projeto educacional da nova direita e a retórica da qualidade total. In: Silva, Tomaz Tadeu; GENTILLI, Pablo (org). Escola S.A: quem ganha e quem perde no mercado educacional do neoliberalismo. Brasília: CNTE, 1996.

VEIGA, Ilma Passos Alencastro. (org) Projeto político: pedagógico da escola: uma construção possível.14ª edição Papirus, 2002.

Downloads

Publicado

2020-08-21

Como Citar

Gonçalves, M. E. dos S., & Sánchez, D. S. (2020). A centralidade da Educação Ambiental no Projeto Pedagógico Institucional do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Bahia – IFBA. REMEA - Revista Eletrônica Do Mestrado Em Educação Ambiental, 37(3), 162–183. https://doi.org/10.14295/remea.v37i3.10892

Edição

Seção

Artigos