Políticas de inclusão e os efeitos nas práticas docentes no ciclo de alfabetização

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/momento.v29i1.9265

Palavras-chave:

Políticas de inclusão, práticas docentes, alfabetização

Resumo

Este texto discute sobre as políticas de inclusão e os efeitos nas práticas alfabetizadoras desenvolvidas nos anos iniciais da escolarização. Parte-se de uma pesquisa intitulada Alfabetização na “idade certa” numa perspectiva inclusiva: tensões e desafios às práticas docentes alfabetizadoras (2016-2019/FAPERGS), para analisar práticas de professoras que atuam nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental em escolas municipais localizadas no estado do Rio Grande do Sul. Considera-se que as políticas de inclusão produzem efeitos nas práticas alfabetizadoras ao instigar as professoras a individualizar os sujeitos e a flexibilizarem o currículo a fim de garantir a alfabetização de todos na idade certa. Compreendem-se estas práticas na perspectiva da in/exclusão como produzidas pelos discursos que constituem os sujeitos incluídos em uma sociedade neoliberal.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Rejane Ramos Klein, Universidade Luterana do Brasil - ULBRA

Doutora (2010), Mestre (2005) em Educação pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (UNISINOS) e Pedagoga (2002) pela mesma Universidade. Atualmente é bolsista PNPD no Programa de Pós-Graduação em Educação na ULBRA. Além disso, é pesquisadora no Grupo de Estudo e Pesquisa em Inclusão (GEPI/CNPq) e do Grupo de Estudos e Pesquisa em Educação e In/Exclusão (GEIX/CNPQ) desenvolvendo projetos de pesquisas sobre as temáticas como: Formação de Professores, Políticas Educacionais, Inclusão Escolar e Alfabetização.

Referências

ARNOLD, Delci Knebelkamp. Dificuldade de aprendizagem em tempo de escola para todos. In.: LOPES, M. C.; DAL´IGNA, M.C. (Orgs). In/exclusão: nas tramas da escola. Canoas: Ed ULBRA, 2007.p. 89-114

BRASIL. Plano Nacional de Educação – Lei nº 10.172. Ministério da Educação, 2001.

________. Ministério da Educação, Conselho Nacional De Educação. Resolução nº 7, de 14 de dezembro de 2010: Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Fundamental de 9 (nove) anos. 2010.

________. Decreto nº 7611 de 17 de novembro de 2011. Dispõe sobre a educação

especial, o atendimento educacional especializado e dá outras providências. Brasília, 2011.

______. Ministério da Educação/SEESP. Política Nacional de Educação Especial na

Perspectiva da Educação Inclusiva. Documento elaborado pelo Grupo de Trabalho

nomeado pela Portaria Ministerial nº 555, de 05 de junho de 2007, prorrogado pela Portaria nº 948, de 09 de outubro de 2007. Brasília: MEC/SEESP, 2007.

______. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa: formação de professores no pacto nacional pela alfabetização na idade certa. Brasília: MEC, SEB, 2012.

______. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional.

Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Interdisciplinaridade no ciclo de alfabetização. Caderno de Apresentação / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. – Brasília: MEC, SEB, 2015a.

______. Secretaria de Educação Básica. Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade: as Diretrizes Curriculares Nacionais da Educação Básica e o ciclo de alfabetização. Caderno 01 / Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, Diretoria de Apoio à Gestão Educacional. – Brasília: MEC, SEB, 2015b. 104 p.

ENZWEILER, Deise Andreia; FRÖLICH, Raquel. Discursos sobre inclusão escolar no ciclo de alfabetização: uma análise sobre o pacto nacional pela alfabetização na idade certa (PNAIC). Anais de eventos 38º Reunião Anual da Anped. Maranhão, 2017. Disponível em: <http://38reuniao.anped.org.br/sites/default/files/resources/programacao/trabalho_38anped_2017_GT13_977.pdf>. Acesso em 19 abr. 2018.

FRANGELLA, Rita de Cássia Prazeres. Políticas de formação do alfabetizador e produção de políticas curriculares: pactuando sentidos para formação, alfabetização e currículo. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 11, n. 1, p. 107-128, jan./abr. 2016. Disponível em: <http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa> Acesso em: 12de jul. de 2019.

GARRIDO, Solenilda Guimarães. Um panorama sobre a educação inclusiva no Brasil: uma política de atendimento educacional ou uma mera prestação de serviços? 37ª Reunião Nacional da ANPEd, 04 a 08 de outubro de 2015, UFSC/Florianópolis. p.1-17

LOCKMANN, Kamila; TRAVERSINI, Clarice. Alargamento das funções da escola e redefinição dos conhecimentos escolares: implicações da educacionalização do social. Revista Educação Pública - Cuiabá, v. 26, n. 63, p. 817-835, set./dez. 2017.

LOPES, Maura Corcini. (IM)possibilidades de pensar a inclusão. Anais de eventos 30º Reunião Anual da Anped. Minas Gerais, 2007. Disponível em: <http://www.anped.org.br/sites/default/files/gt15-3203-int.pdf>. Acesso em 19 abr. 2018.

LOPES, Maura Corcini .Políticas de Inclusão e Governamentalidade. Educação e Realidade. V. 34(2): p.153-169. mai/ago 2009.

LOPES, Maura Corcini; FABRIS, Eli Henn. Inclusão e Educação. Belo Horizonte: Autêntica, 2013.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. Alfabetização no Brasil: conjecturas sobre as relações entre políticas públicas e seus sujeitos privados. Revista Brasileira de Educação.V. 15 n. 44, maio/ago, 2010. p. 329-34.

SARDANHA, H. V. Educação para todos: uma política do mundo global. Revista Liberato, Novo Hamburgo, 2006. Disponível em: <http://www.liberato.com.br/sites/default/files/arquivos/Revista_SIER/v.%207%2C%20n.%208%20%282006%29/1.%20EDUCA%C7%C3O%20PARA%20TODOS%20UMA%20POL%CDTICA%20DO%20MUNDO%20GLOBAL.pdf> Acesso em: 12 de mar de 2019.

SCHERER, Renata Porcher; GRÄFF, Patrícia. Das adaptações às flexibilizações curriculares: uma análise de documentos legais e revistas pedagógicas. Programa de Pós-Graduação em Educação: Currículo. Revista e-curriculum. PUC- SP: v. 15, n. 2, 2017. p.376-400.

TRAVERSINI, Clarice Salete; BELLO, Samuel Edmundo López. O Numerável, o Mensurável e o Auditável: estatística como tecnologia para governar. Revista Educação e Realidade. 34(2): p. 135-152 mai/ago 2009.

VEIGA-NETO, Alfredo; LOPES, Corcini Lopes. Inclusão e Governamentalidade. Revista Educação e Sociedade, Campinas, vol. 28, n. 100 - Especial, p. 947-963, out. 2007. Disponível em http://www.cedes.unicamp.br

Downloads

Publicado

2020-07-22

Como Citar

Klein, R. R. (2020). Políticas de inclusão e os efeitos nas práticas docentes no ciclo de alfabetização. Momento - Diálogos Em Educação, 29(1), 272–291. https://doi.org/10.14295/momento.v29i1.9265

Edição

Seção

Dossiê temático