Políticas de atenção à diversidade: do pagamento da dívida social ao respeito à diferença

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/momento.v29i1.9133

Palavras-chave:

inclusão, diversidade, políticas educacionais

Resumo

As políticas de atenção à diversidade constituem a materialidade da presente pesquisa, que tomou o deslocamento de ênfase entre a desigualdade e o direito à diferença como foco de análise, buscando entender com a educação se coloca nesse quadro ao se propor a reduzir uma dívida social histórica direcionada a alguns grupos identitários específicos. Vinculada ao campo dos Estudos Foucaultianos, a pesquisa usou os conceitos de prática e de normalização como ferramentas, no exercício analítico empreendido sobre um conjunto de materiais publicado pelo Ministério da Educação. Os resultados apontam que as políticas de atenção à diversidade fazem circular práticas de normalização da diferença e têm se mostrado insuficientes para reduzir as desigualdades e para atenuar as práticas de discriminação, na Contemporaneidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patrícia Graff, Universidade Federal da Fronteira Sul

Doutora em Educação (UNISINOS), Mestre em Educação nas Ciências (UNIJUÍ), Licenciada em Educação Especial e em Pedagogia (UFSM). Atua nos cursos de licenciatura e no Mestrado em Educação.

Referências

BRASIL. Ministério da Educação. Diferentes diferenças: educação de qualidade para todos. Brasília: SECAD, 2006.

BRASIL. Ministério da Educação. Educação Escolar Indígena: diversidade sociocultural indígena ressignificando a escola (Cadernos SECAD – 3). Brasília: SECAD, 2007.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014 – Aprova o Plano Nacional de Educação – PNE e dá outras providências. Brasília: Casa Civil, 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Parâmetros Curriculares Nacionais: Pluralidade Cultural. Brasília: Secretaria de Educação Fundamental, 1997.

CASTEL, Robert. A discriminação negativa: cidadãos ou autóctones? Petrópolis, RJ: Vozes, 2011.

CASTEL, Robert. As transformações da questão social. In: BELFIORE-WANDERLEY, Mariangela, BÓGUS, Lucia; YAZBEK, Maria Carmelita. Desigualdade e a questão social. São Paulo: EDUC, 2013.

CASTRO, Edgardo. Vocabulário de Foucault: um percurso pelos seus temas, conceitos e autores. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2009.

CASTRO-GÓMEZ, Santiago. Historia de la gubernamentalidad. Razón de Estado, liberalismo y neoliberalismo en Michel Foucault. Bogotá: Siglo del Hombre Editores, Pontificia Universidad Javeriana – lnstituto Pensar, Universidad Santo Tomás de Aquino, 2010.

CUNHA JUNIOR, Henrique. Nós, afro-descendentes: história africana e afrodescendente na cultura brasileira. In: ROMÃO, Jeruse (Org.). História da Educação do Negro e outras histórias. Brasília: SECAD, 2005.

FÁVERO, Osmar; IRELAND, Timothy Denis (Org.). Educação como exercício de diversidade. Brasília: UNESCO, MEC, ANPED, 2005.

FOUCAULT, Michel. Os intelectuais e o poder. In: Ditos e escritos IV. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2006.

FOUCAULT, Michel. Nascimento da Biopolítica: Curso dado no Collège de France (1978-1979). São Paulo: Martins Fontes, 2008a.

FOUCAULT, Michel. Segurança, território e população: Curso dado no Collège de France (1977-1978). São Paulo: Martins Fontes, 2008b.

GALLO, Sílvio. A educação sob os parâmetros da biopolítica: o efeito Foucault. Entrevista especial com Sílvio Gallo. São Leopoldo: IHU, 2010. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/entrevistas/36831-a-educacao-sob-os-parametros-da-biopolitica-o-efeito-foucault-entrevista-especial-com-silvio-gallo. Acesso em: 19 fev. 2018.

GALLO, Sílvio. Políticas da diferença e políticas públicas em educação no Brasil. In: Educação e Filosofia. Uberlândia, v. 31, n. 63, p. 1497-1523, set./dez. 2017.

GUERRERO, Diego Alfonso Iturralde. Direitos Culturais Indígenas e Educação Intercultural Bilíngüe: a situação legal na América Central In: HERNAIZ, Ignácio (Org.). Educação na Diversidade: experiências e desafios na educação intercultural bilíngue. Brasília: SECAD, UNESCO, 2007

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Síntese dos indicadores sociais: uma análise das condições de vida da população brasileira. Informação Demográfica e Socioeconômica n. 27. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

LOPES, Maura Corcini. Políticas de Inclusão e Governamentalidade. In: Educação & Realidade. V.34, n.2. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, maio/ago. 2009.

LUCIANO, Gersem dos Santos. O índio brasileiro: o que você precisa saber sobre os povos indígenas no Brasil de hoje. Brasília: SECAD, LACED/Museu Nacional, 2006.

MAZZON, José Afonso. Projeto de estudo sobre ações discriminatórias no âmbito escolar, organizadas de acordo com áreas temáticas, a saber, étnico-racial, gênero, geracional, territorial, necessidades especiais, socioeconômica e orientação sexual (relatório analítico final). São Paulo: FIPE, MEC, INEP, 2009.

OXFAM. Recompensem o trabalho, não a riqueza. Brasil: Oxfam GB, 2018.

TODOS PELA EDUCAÇÃO. Cenários da educação. Disponível em:

https://www.todospelaeducacao.org.br/pag/cenarios-da-educacao. Acesso em: 24 jun. 2019.

UNESCO. Alcançar os excluídos da educação básica: crianças e jovens fora da escola no Brasil. Brasília: UNESCO, 2012a.

UNESCO. Declaração Universal sobre a Diversidade Cultural. Brasília: UNESCO, 2002.

UNESCO. Exclusão intraescolar nas escolas públicas brasileiras: um estudo com dados da Provas Brasil 2005, 2007 e 2009. Brasília: UNESCO, 2012b.

VARELA, Julia; ALVAREZ-URIA, Fernando. A maquinaria escolar. In: Teoria & Educação. N. 6, 1992.

WIEVIORKA, Michel. A diferença. Lisboa: Fenda, 2002.

Downloads

Publicado

2020-07-22

Como Citar

Graff, P. (2020). Políticas de atenção à diversidade: do pagamento da dívida social ao respeito à diferença. Momento - Diálogos Em Educação, 29(1), 106–121. https://doi.org/10.14295/momento.v29i1.9133

Edição

Seção

Dossiê temático