Reflexões de professoras de educação infantil sobre a condição feminina na docência

Kelly Jessie Queiroz Penafiel, Claudiane Alencar da Silva, Marli Lúcia Tonatto Zibetti

Resumo


A pesquisa teve como objetivo investigar como as professoras que atuam na Educação Infantil em escolas municipais de Vilhena, Rondônia, compreendem o seu próprio trabalho e as questões de gênero no âmbito da docência. O trabalhou seguiu a abordagem qualitativa e utilizou como instrumento de coleta de dados a entrevista. Participaram do estudo quatro professoras. Os resultados demonstram concepções reducionistas sobre o protagonismo feminino na docência e uma associação da figura materna, carinhosa e abnegada, ao ideal de professora. As constatações se sustentam na concepção da “inclinação natural” da mulher para o cuidado. É notório que a questão de gênero precisa ser explorada nos currículos dos cursos de formação inicial, aprofundando as discussões sobre o tema, com o objetivo de abandonar discursos e práticas que fomentam a desigualdade de gênero.

Palavras-chave


Mulheres; Professoras; Educação Infantil

Texto completo:

PDF

Referências


AUAD, Daniela. Feminismo: que história é essa? Rio de Janeiro: DP&A, 2003.

BOURDIEU, Pierre. A dominação masculina. 2. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002.

BOURDIEU, Pierre. O Poder simbólico. 10. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2007.

CARVALHO, Maria P. de. No coração da sala de aula: Gênero e trabalho docente nas séries iniciais. São Paulo: Xamã, 1999.

COSTA, Ana P.; RIBEIRO, Paulo R. M. Ser professora, ser mulher: um estudo sobre concepções de gênero e sexualidade para um grupo de alunas de Pedagogia. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p.467-474, maio/ago. 2011. Disponível em: https://bit.ly/2EHxgYj . Acesso em: 23 jan. 2019.

HAHNER, June E. Escolas mistas, escolas normais: A coeducação e a feminização do magistério no século XIX. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 19, n. 2, p.467-474, maio/ago. 2011. Disponível em: https://bit.ly/2HdwGn6 . Acesso em:08 jun. 2018.

LAJOLO, Marisa; ZILBERMAN, Regina. Da chibata ao magistério: a trajetória da educação feminina no Brasil patriarcal. Estudos Feministas, Florianópolis, v. 15, n. 3, p. 823-841, set./dez.2007. Disponível em: https://bit.ly/2TaF0Ls . Acesso em: 23 jan. 2019.

LOPES, Eliane M. T.; GALVÃO, Ana M. de O. História da Educação: O que você precisa saber sobre. Rio de Janeiro: DP&A, 2001.

LOURO, Guacira L. Gênero, sexualidade e educação: uma perspectiva pós-estruturalista. 6. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1997.

LOURO, Guacira L. Mulheres na sala de aula. In: PRIORE, M. D.; BUSSANEZI, C. (Orgs.). História das mulheres no Brasil. 8 ed. São Paulo: Contexto, 2006.

PEREIRA, Ana C. F; FAVARO, Neide A. L. G. A história da mulher na educação e no magistério no Brasil. Paranavaí: Unespar, 2016.

PINTO, Céli R. J. Feminismo, História e Poder. Revista Sociologia e Política, Curitiba, v. 18, n. 36, p. 15-23, 2010. Disponível em: https://bit.ly/2h6WaSO . Acesso em: 20 mar. 2018.

PIO, Rosana M.; FRANÇA, Dilvano L. de; DOMINGUES, Soraya C. A pesquisa na prática pedagógica de professores. Revista Educare, João Pessoa, v.1, n 1, p. 101 – 115 jun., 2017.

VENTURINI, Angela M.; THOMASI, Katia B. A feminização na Educação Infantil: uma questão de gênero. Revista Científica Digital da Faetec, v. 1, n. 1, 2013. Disponível em: https://bit.ly/2C0InK8 . Acesso em: 11 jul. 2018.

ZIBETTI, Marli L. T.; PEREIRA, Sidnéia R. Mulheres e professoras: repercussões da dupla jornada nas condições de vida e no trabalho docente. Educar em Revista, Curitiba, n. especial, p. 259-276, 2010. Disponível em: https://bit.ly/2BZK5eY . Acesso em: 10 jun. 2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/momento.v28i3.8814

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




MOMENTO - Diálogos em Educação, E-ISSN 2316-3100, Rio Grande/RS, Brasil

PROPESQ
PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ