Educação Ambiental, Vigilância em Saúde e o Controle do Vetor Aedes aegypti (Linnaeus, 1762) (Diptera: Culicidae)
Educación Ambiental, Vigilancia em Salud y el Control del Vector Aedes aegypti (Linnaeus, 1762) (Diptera: Culicidae)
Environmental Education, Health Surveillance and the Control of the Vector Aedes aegypti (Linnaeus, 1762) (Diptera: Culicidae)

Ana Taís Bassani, Ana Carolina Tramontina, Francine Fioravanso Tramontina

Resumo


O mosquito Aedes aegypti é o principal vetor responsável pela transmissão de diversas doenças, dentre elas a dengue. Seu sucesso adaptativo deve-se a muitos fatores. Diante desta problemática, o objetivo deste artigo é aproximar a Educação Ambiental aos esforços das Vigilâncias em Saúde, para evitar a proliferação da espécie. Trata-se de uma pesquisa de cunho bibliográfico, em termos metodológicos, que num primeiro momento remonta à necessidade de intervenção pelo Poder Público, através das ações das Vigilâncias. Num segundo momento aos aspectos relacionados ao vetor, e, por último, colocando a Educação Ambiental como transformadora e constituinte de uma nova racionalidade pautada no cuidado para com o ambiente, gerando possíveis soluções para a temática em questão.

El mosquito Aedes aegypti es el principal vector responsable de la transmisión de varias enfermedades, entre ellas el dengue. Su éxito adaptativo se debe a muchos factores. En vista de este problema, el objetivo de este artículo es aproximar la Educación Ambiental a los esfuerzos de las Vigilancias en Salud para evitar la proliferación de la espécie. Se trata de uma investigación bibliográfica, en términos metodológicos, que, al principio, remonta a la necesidad de intervención del poder público, através de las acciones de las Vigilancias. En un segundo momento, a los aspectos relacionados con el vector, y por último, poner la Educación Ambiental como transformador y constituyente de una nueva racionalidade basada en la atención al medio ambiente, generando posibles soluciones para el tema en cuestión.

The mosquito Aedes aegypti is the main responsible vector for the transmission of several diseases, among them dengue. His success adaptive is due to many factors. In view of this problematic, the objective of this article is to approximate the Environmental Education to the efforts of the Health Surveillance, to avoid the proliferation of the species. This is a bibliographical research, in methodological terms, which, at first, goes back to the need for intervention by the Public Power, through the actions of the Surveillances. In a second moment to the aspects related to the vector, and, lastly, putting the Environmental Education as transformative and constituent of a new rationality based on care for the environment, generating possible solutions for the theme in question.

Palavras-chave


Educação Ambiental. Vigilância em Saúde. Vetor.

Texto completo:

PDF

Referências


BARCELLOS, Christovam; QUITERIO, Luiz Antônio Dias. Vigilância ambiental em saúde e sua implantação no Sistema Único de Saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo , v. 40, n. 1, p. 170-177, Feb. 2006 . Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S003489102006000100025&lng=en&nrm=iso. Acesso em 10 Jul. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0034-89102006000100025.

BAUMAN, Zygmunt. Vidas desperdiçadas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2005.

BAUMAN, Zygmunt. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadorias./ Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2008.

BOFF, Leonardo. Saber cuidar: ética do humano – compaixão pela terra. Petrópolis, RJ: Vozes, 1999.

BRAGA, Ima Aparecida; VALLE, Denise. Aedes aegypti: vigilância, monitoramento da resistência e alternativas de controle no Brasil. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília , v. 16, n. 4, p. 295-302, dez. 2007a. Disponível em http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742007000400007&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 22 mai. 2018. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742007000400007.

BRAGA, Ima Aparecida; VALLE, Denise. Aedes aegypti: inseticidas, mecanismos de ação e resistência. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília , v. 16, n. 4, p. 179-293, dez. 2007b. Disponível em http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1679-49742007000400006&lng=pt&nrm=iso. Acesso em 06 dez. 2018. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742007000400006.

BRASIL. Decreto nº 24.643, de 10 de julho de 1934. Decreta o Código de Águas. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/D24643.htm Acesso em 28 nov. 2018.

BRASIL. Lei nº 4.771, de 15 de setembro de 1965. Institui o novo Código Florestal. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L4771.htm Acesso em 28 nov. 2018.

BRASIL. Lei nº 6.902, de 27 de abril de 1981. Dispõe sobre a criação de Estações Ecológicas, Áreas de Proteção Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6902.htm Acesso em 27 nov. 2018.

BRASIL. Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: https://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L6938.htm Acesso em 17 nov. 2018.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm Acesso em 26 nov. 2018.

BRASIL. Lei nº 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9605.htm Acesso em 10 nov. 2018.

BRASIL. Lei n° 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L9795.htm Acesso em 11 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde. Vigilância Epidemiológica. Dengue instruções para pessoal de combate ao vetor: manual de normas técnicas. - 3. ed., rev. – Brasília, 2001a. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/man_dengue.pdf Acesso em 18 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde. Vigilância ambiental em Saúde. Controle de Vetores - Procedimentos de Segurança. 1ª edição- Brasília, 2001b. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/funasa/controle_vetores.pdf

Acesso em 19 jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde. Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD). Brasília, 2002a. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/pncd_2002.pdf Acesso em 04 nov. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde: Fundação Nacional de Saúde. Vigilância ambiental em saúde. Brasília, 2002b. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_sinvas.pdf Acesso em 20 jul. 2018.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente, Diretoria de Educação Ambiental; Ministério de Educação, Coordenação Geral de Educação Ambiental. Programa Nacional de Educação Ambiental. 3. ed. Brasília, DF, 2005. Disponível em http://portal.mec.gov.br/secad/arquivos/pdf/educacaoambiental/pronea3.pdf Acesso em 21 Set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Programa Nacional de Controle da Dengue (PNCD). Amparo legal à execução das ações de campo – Imóveis fechados, abandonados ou com acesso não permitido pelo morador. 2. ed. Brasília, DF, 2006. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/dengue_amparo_legal_web.pdf Acesso em 18 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Caderno de Atenção Básica 21: Vigilância em Saúde – Dengue, Esquistossomose, Hanseníase, Malária, Tracoma e Tuberculose. Brasília, 2007. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/cadernos_atencao_basica_vigilancia_saude.pdf

Acesso em 12 set. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Diretrizes nacionais para prevenção e controle de epidemias de dengue. Brasília, DF, 2009. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/diretrizes_nacionais_prevencao_controle_dengue.pdf Acesso em 15 out. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Doenças infecciosas e parasitárias: guia de bolso / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância Epidemiológica. – 8. ed. rev. – Brasília: Ministério da Saúde, 2010. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/doencas_infecciosas_parasitaria_guia_bolso.pdf

Acesso em 01 de jul. 2018.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis. Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa) para vigilância entomológica do Aedes aegypti no Brasil: metodologia para avaliação dos índices de Breteau e Predial e tipo de recipientes / Ministério da Saúde, Secretaria de Vigilância em Saúde, Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis – Brasília : Ministério da Saúde, 2013. 84 p.: il. ISBN 978-85-334-1999-5 Disponível em http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_liraa_2013.pdf Acesso em 07 ago. 2018.

CORRÊA, Lourdes Maria Campos. As representações sociais dos agentes de controle de zoonoses sobre a dengue em Uberlândia, MG. 2012. 96 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia, 2012. Disponível em: https://repositorio.ufu.br/bitstream/123456789/13364/1/d.pdf Acesso em 30 abr. 2018

FERREIRA, Beatriz Jansen et al . Evolução histórica dos programas de prevenção e controle da dengue no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 14, n. 3, p. 961-972, Junho de 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232009000300032&lng=en&nrm=iso. Acesso em 02 out. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232009000300032.

GARCIA, Klauss Kleydmann Sabino. Potenciais estratégias para o controle de populações de Aedes aegypti (Linnaeus, 1762) no Brasil. Monografia de Graduação. Universidade de Brasília. Faculdade de Ceilândia. Brasília, 2016. 58 p. Disponível em: http://bdm.unb.br/handle/10483/15532. Acesso em 24 abr. 2018.

GUZMAN, Alfonso; ISTÚRIZ, Raul E. Update on the global spread of dengue. International Journal of Antimicrobial Agents, v. 36, n. SUPPL. 1, 2010. Disponível em: https://www.ijaaonline.com/article/S0924-8579(10)00259-1/fulltext. Acesso em 22 abr. 2018.

LEFF, Enrique. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução de Lúcia Mathilde Endlich Orth. 11. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2015.

MIYAZAKI, Rosina Djunko et al. Monitoramento do mosquito Aedes aegypti (Linnaeus, 1762) (Diptera: Culicidae), por meio de ovitrampas no Campus da Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, Estado de Mato Grosso. Rev. Soc. Bras. Med. Trop., Uberaba , v. 42, n. 4, p. 392-397, Ago. 2009 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0037-86822009000400007&lng=en&nrm=iso. Acesso em 29 Nov. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0037-86822009000400007.

NASCIMENTO, Fellipe Albano Melo do. Padronização e implementação do uso de armadilhas de oviposição nas ações de monitoramento do mosquito Aedes aegypti (Diptera: Culicidae) no município de Natal, RN. 2017. 57f. Dissertação (Mestrado em Ciências Biológicas) - Centro de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, 2017. Disponível em: https://repositorio.ufrn.br/jspui/handle/123456789/24059. Acesso em 20 abr. 2018.

OLIVEIRA, Cátia Martins de; CRUZ, Marly Marques. Sistema de Vigilância em Saúde no Brasil: avanços e desafios. Saúde debate, Rio de Janeiro , v. 39, n. 104, p. 255-267, Mar. 2015 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-11042015000100255&lng=en&nrm=iso. Acesso em 01 set. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/0103-110420151040385.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DE SAÚDE (OMS). Global strategy for dengue prevention and control 2012-2020. Geneve, 2012. Disponível em: http://www.who.int/immunization/sage/meetings/2013/april/5_Dengue_SAGE_Apr2013_Global_Strategy.pdf Acesso em 25 abr. 2018.

REIGOTA, Marcos. O que é educação ambiental. São Paulo: Brasiliense, 2012.

TAUIL, Pedro Luiz. Urbanização e ecologia do dengue. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro , v. 17, supl. p. S99-S102, 2001 . Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2001000700018&lng=en&nrm=iso. Acesso em 02 ago. 2018. http://dx.doi.org/10.1590/S0102-311X2001000700018.

ZARA, Ana Laura de Sene Amâncio et al. Estratégias de controle do Aedes aegypti: uma revisão. Epidemiol Serv Saúde, Brasília, v. 25, n. 2, p. 391-404, jun. 2016. Disponível em http://www.scielo.br/pdf/ress/v25n2/2237-9622-ress-25-02-00391.pdf. Acesso em 29 abr. 2018. http://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742016000200017.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8772

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.