Influência das Unidades de Conservação sobre a percepção dos estudantes da educação básica em relação às aves
Influence of Conservation Units on students´ perception of basic education in relation to birds
Influencia de las Unidades de Conservación sobre la percepción de los estudiantes de la educación básica en relación a las aves

Danieli de Mello Pereira, Eliara Solange Muller

Resumo


As Unidades de Conservação (UCs) possuem importância ecológica e potencial para observação de aves, o que pode ser utilizado como ferramenta didática no desenvolvimento de atividades educativas para as escolas. As UCs atuam na conservação dos recursos naturais, e como locais de aprendizagem e sensibilização da comunidade acerca da problemática ambiental. Visando entender se UCs influenciam na percepção dos estudantes da educação básica em relação às aves, investigou-se quatro escolas próximas de UC e três escolas distantes. Aplicamos um questionário para 90 estudantes do 8° ano do ensino fundamental (40 moram distantes e 50 próximos de UCs). As UCs exercem influência em relação ao conhecimento de aves, estudantes que moram próximos de UCs, quando comparados, com estudantes que moram distantes das mesmas apresentam maior conhecimento da diversidade e ecologia das aves.

Conservation Units (UCs) are important for bird watching, which can be used as a didactic tool without the development of educational activities for schools. How UCs act in the preservation and conservation of natural resources, and as places of learning and awareness of the community on environmental issues. In order to understand that UCs influence the perception of the students of the basic education in question, investigate four schools near the UC and three distant schools. We applied a questionnaire to 90 8th middle school students, students, 40 living far from UCs and 50 near UCs. The present study points out how the UCs exert influence in relation to bird knowledge, since students who live near UCs when compared to students living far away are their greater knowledge of the diversity of birds and their ecology.

Las Unidades de Conservación (UCs) tienen importancia ecológica y potencial para observación de aves, lo que puede ser utilizado como herramienta didáctica en el desarrollo de actividades educativas para las escuelas. Las UCs actúan en la conservación de los recursos naturales, y como lugares de aprendizaje y sensibilización de la comunidad acerca de la problemática ambiental. Con el fin de entender si las UCs influencian en la percepción de los estudiantes de la educación básica en relación a las aves, se investigó cuatro escuelas cercanas a UC y tres escuelas distantes. Aplicamos un cuestionario para 90 estudiantes del 8º año de la enseñanza fundamental (40 viven distantes y 50 próximos de UCs). Las UCs ejercen influencia en relación al conocimiento de aves, estudiantes que viven cerca de UCs, cuando comparados, con estudiantes que viven distantes de las mismas presentan mayor conocimiento de la diversidad y ecología de las aves.

Palavras-chave


Áreas protegidas; Percepção ambiental; Avifauna.

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Alexandre Augusto de Abreu. O papel das Unidades de Conservação na preservação da natureza. 2001. 26 p. Monografia (Licenciatura em Biologia), Centro Universitário de Brasília, Distrito Federal, 2001.

BOSA, Cláudia Regina; COSTA, Ana Lucia da. Panorama das atividades de Educação Ambiental em Unidades de Conservação: uma revisão sistemática em meta-análise. Revista Monografias Ambientais - REMOA/UFSM, Santa Maria, v. 13, n. 4, p. 3610-3622, 2014. Disponível em: . Acesso em: 29 de nov. 2017.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: Ciências Naturais / Secretaria de Educação Fundamental. Brasília: MEC / SEF, 1998.

CASACA, Bruno de Matos. Importância do estudo da biodiversidade: concepção de estudantes finalistas do ensino médio. Educare XII Congresso Nacional de Educação. 2015. p. 13. Disponível em: . Acesso em 04 de dez. 2017.

CERVO, Armando Luiz; BERVIAN, Pedro A. Metodologia científica: para uso dos estudantes universitários. 2. ed. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1978. 144 p.

COSTA, Ronaldo Gonçalves de Andrade. Observação de aves como ferramenta didática para a Educação Ambiental. Revista Didática Sistêmica, vol. 6, p. 33 - 44, 2007. Disponível em: . Acesso em 23 de mai. 2017.

DICK, Edilaine; PROCHNOW, Miriam. (Org.). Projeto araucária: conservando e recuperando a Mata Atlântica. 1. ed. Santa Catarina: Apremavi, 2015. 116 p.

FARIA, Débora Chaves; PINTO, Daniel Marques; DUARTE, Júlia Maria de Aguiar; ALMEIDA, Fábio Souto. Arborização urbana no município de Três Rios-RJ: espécies utilizadas e a percepção de seus benefícios pela população. Revista da Sociedade Brasileira de Arborização Urbana, 2013, v. 8, n. 2, p. 58-67. Disponível em: . Acesso em 02 de dez. 2017.

FATMA. Fundação do Meio Ambiente. Unidades de Conservação. s/d. Disponível em: . Acesso em 08 de mai. 2017.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. 43. Ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2011. 26 p.

HASSLER, M. L. A importância das Unidades de Conservação no Brasil. Revista Sociedade & Natureza. Uberlândia, v. 17, n.33, p. 79-89, 2005. Disponível em: . Acesso em: 29 de nov. 2017.

HANZAN, Sabrina Monitchele; TAVARES, Paulo Roberto de Abreu; GIMENES, Marcio Rodrigo. O acréscimo do conhecimento sobre aves aplicado à educação ambiental na escola Estadual Senador Filinto Müller no município de Ivinhema – MS. Atualidades Ornitológicas, n. 188, p. 29, 2015. Disponível em: http://www.ao.com.br/download/AO188_33.pdf. Acesso em 07 de mai. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de Santa Catarina. 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 de mai. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico de Santa Catarina. 2016. Disponível em: . Acesso em: 08 de mai. 2017.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Cidades. 2017. Disponível em: . Acesso em: 08 de mai. 2017.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes. Unidades de Conservação. 2013. Disponível em: . Acesso em: 05 de mai. 2017.

ICMBIO. Instituto Chico Mendes. Listas de espécies ameaçadas. 2014. Disponível em: . Acesso em 04 de dez. 2017.

JACOBI, Claudia Maria; FLEURY, Lorena Cândido; ROCHA, Ana Carolina Costa Lara. Percepção Ambiental em Unidades de Conservação: Experiência com Diferentes Grupos Etários no Parque Estadual da Serra Do Rola Moça, MG. Anais do 2º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária Belo Horizonte, 2004, p. 3610-3622. Disponível em: < https://www.ufmg.br/congrext/Meio/Meio12.pdf>. Acesso em: 02 de dez. 2017.

LARANJA, Diego Hernandes Rodrigues. Observação de aves: uma ferramenta de Educação Ambiental no Parque Estadual Cantareira. Revista Brasileira de Ecoturismo, São Paulo, v. 4, n. 4, p. 552, 2011, Disponível em: . Acesso em 23 de mai. 2017.

MACHADO, Evandro Luiz Mendonça; GONZAGA, Anne Priscila Dias; MACEDO, Renato Luiz Grisi; VENTURIN, Nelson; GOMES, Jozébio Esteves. importância da avifauna em programas de recuperação de áreas degradadas. Revista Científica Eletrônica de Engenharia Florestal de Garça/ FAEF. n. 07, p. 19, 2006. Disponível em: . Acesso em: 23 de mai. 2017.

MALDANER, Otavio Aloisio; ZANON, Lenir Basso; BAZZAN, Alessandro Callai; DRIEMEYER, P. R.; PRADO, M. C.; LAUXEN, Marla Tânia Cocenski. Currículo contextualizado na área de Ciências da natureza e suas tecnologias: a Situação de Estudo. In: ZANON, Lenir Basso; MALDANER, Otavio Aloisio (org.). Fundamentos e propostas de ensino de Química para a educação básica no Brasil. Ijuí: Ed. Unijuí, 2007, p. 109-138.

MARINI, Miguel Ângelo; GARCIA, Frederico Innecco. Conservação de aves no Brasil. Megadiversidade, v. 1, n. 1. p. 95-102, 2005.

MARTINS, Larissa; MARENZI, Rosemeri Carvalho; LIMA, Amanda de. Levantamento e representatividade das Unidades de Conservação instituídas no Estado de Santa Catarina. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Itajaí. v. 33, p. 19, 2015. Disponível em: . Acesso em: 08 de mai. 2017.

MÉLO, Bárbara Priscila Moreira de. Proposta de observação de aves como atividade estratégica à conservação ambiental no Jardim Botânico Benjamim Maranhão em João Pessoa - PB. 2015. Dissertação (Mestrado) Universidade Federal de Paraíba, João Pessoa, 2015.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. Pilares para a sustentabilidade financeira do sistema nacional de unidades de conservação. 2. ed. Brasília: MMA, 2009. 100 p.

MMA. Ministério do Meio Ambiente. O Sistema Nacional de Unidades de Conservação da natureza. 2018. Disponível em: http://www.mma.gov.br/images/arquivo/80229/CNUC_JUL18%20-%20B_Cat.pdf

Acesso em: 19 de dez. 2018.

MOURÃO, Roberto M. F. (Org.). Manual de melhores práticas para o ecoturismo. Rio de Janeiro: FUNBIO; Instituto ECOBRASIL, Programa MPE, 2004. p. 45. Disponível em: . Acesso em: 02 de dez. 2017.

NARDI, Roberto (Org.). Ensino de ciências e matemática, I: temas sobre a formação de professores [online]. São Paulo: Editora UNESP; São Paulo: Cultura Acadêmica, 2009. 272 p. Disponível em: http://books.scielo.org/id/g5q2h. Acesso em: 02 de dez. 2017.

NEGRET, A. J.; R. M. NEGRET. As aves migratórias do Distrito Federal. Boletim

Técnico n. 6. Instituto Brasileiro de Desenvolvimento Florestal, Brasília, 1981.

PIACENTINI, Vítor de Q.; ALEIXO, Alexandre; AGNE, Carlos Eduardo; MAURICIO, Giovanni Nachtigall; PACHECO, José Fernando; BRAVO, Gustavo A.; BRITO, Guilherme R. R.; NAKA, Luciano N.; OLMOS, Fabio; POSSO, Sergio; SILVEIRA, Luís Fábio; BETINI, Gustavo S.; CARRANO, Eduardo; FRANZ, Ismael; LEES, Alexander C.; LIMA, Luciano M.; PIOLI, Dimas;, SCHUNCK, Fabio; AMARAL, Luciano M.; BENCKE, Glayson A.; COHN-HAFT, Mario; FIGUEIREDO, Luiz Fernando A.; STRAUBE Fernando C.; CESARI Evaldo. Lista comentada das aves do Brasil pelo Comitê Brasileiro de Registros Ornitológicos. Revista Brasileira de Ornitologia, v. 23, n. 2, p. 90-298, 2015.

PIVELLI, Sandra Regina Pardini. Análise do potencial pedagógico de espaços não-formais de ensino para o desenvolvimento da temática da biodiversidade e sua conservação. 2006. Dissertação (Mestrado em Educação) Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2006. 165 p.

PRADEICZUK, Aline; RENK, Arlene; DANIELI, Marcos Alexandre. Percepção ambiental no entorno da Unidade de Conservação Parque Estadual das Araucárias. Revista Grifos, Chapecó, v. 24, n.38/39, p. 20, 2015.

RIBEIRO, Leonardo Barros; SILVA, Melissa Gogliath. O comércio ilegal põe em risco a diversidade das aves no Brasil. Cienc. Cult. 2007, vol.59, n.4, p. 4-5. Disponível em: . Acesso em: 02 de dez. 2017.

RENCTAS. Rede Nacional de Combate ao Tráfico de Animais Silvestres. Tráfico de aves. 2015. 108 p. Disponível em: . Acesso em: 04 de dez. 2017.

SAMPAIO, Darlison Fontenele; GUZZI, Anderson. Educação ambiental no combate ao tráfico de aves silvestres na zona urbana do município de Caxingó. Universidade Federal do Piauí - UFPI. Piauí, 2016. p. 3. Disponível em: . Acesso em: 02 de dez. 2017.

SILVA, Carlos Sérgio Gurgel da; AGUIAR FILHO, Valfredo de Andrade. Contribuições do zoneamento ambiental para o desenvolvimento sustentável dos núcleos urbanos. Revista Jus Navigandi, v. 18, n. 3556, 2013. Disponível em: . Acesso em: 29 nov. 2017.

SILVÉRIO NETO, Rogério. Caracterização espacial da cobertura florestal dos municípios da microrregião de Três Rios – RJ. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Três Rios, 2014. 48 p.

SHUNCK Fabio; SOMENZARI, Marina; LUGARINI, Camile; SOARES, Elisiário Strike (org). Plano de ação nacional para a conservação dos papagaios da Mata Atlântica. Brasília: Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, 2011. 128 p.

SNFI. Sistema Nacional de Unidades de Conservação. s./d. Unidades de Conservação. Disponível em: < http://www.florestal.gov.br/snif/recursos-florestais/sistema-nacional-de-unidades-de-conservacao>. Acesso em: 23 de mai. 2017.

VIEIRA, Lorena Brito Góes, FERNANDES, Geraldo Wellington Rocha; MALDANER, Otavio Aloisio; MASSENA, Elisa Prestes. Situação de Estudo: o que vem sendo publicado em eventos e periódicos da área de Ensino de Ciências? Ensaio: Pesquisa em Educação em Ciências, v. 20, 2018.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8762

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.