O oti-pessimismo em Morin e as perspectivas sobre o futuro da humanidade
The oti-pessimism in Morin and the perspectives on the future of humanity
El oti-pisimismo en Morin y las perspectivas sobre el futuro de la humanidad

Vitor Hugo Balest Piovesan, Maria Cristina Pansera-de-Araújo

Resumo


Oti-pessimista é um adjetivo auto-atribuído por Edgar Morin para caracterizar sua perspectiva em relação ao futuro da humanidade, explicitada na obra A via para o futuro da humanidade. Este artigo examina esta acepção com base nas definições não convencionais de pessimismo e otimismo de José Eli da Veiga. Destaca-se como a matemática influenciou estas correntes, e aponta como a teoria da complexidade moriniana tende a aproximar-se da perspectiva pessimista. Com isso, procura-se questionar o que está na base das grandes divergências atuais sobre o futuro da humanidade, como entre as causas ambiental e econômica. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, explicativa, baseada em estudo bibliográfico. Consideramos que tratam-se de correntes em disputa para a compreensão da realidade, portanto, úteis para entender uma série de dilemas atuais, e que Morin defende a ambivalência.

Oti-pessimist is a self-attributed adjective by Edgar Morin to characterize his perspective on the future of mankind, spelled out in The Way to the Future of Mankind. This article examines this meaning based on the unconventional definitions of pessimism and optimism of José Eli da Veiga. It is noteworthy how mathematics influenced these currents, and points out how Morin's complexity theory tends to approach the pessimistic perspective. With this, we try to question what underlies the great current divergences on the future of humanity, as between the environmental and economic causes. It is a qualitative, explanatory research based on a bibliographic study. We consider that these are currents in dispute for the understanding of reality, therefore, useful to understand a series of current dilemmas, and that Morin defends the ambivalence.

Oti-pesimista es un adjetivo auto-atribuido por Edgar Morin para caracterizar su perspectiva en relación al futuro de la humanidad, explicitada en la obra La vía para el futuro de la humanidad. Este artículo examina esta acepción en base a las definiciones no convencionales de pesimismo y optimismo de José Eli da Veiga. Se destaca cómo las matemáticas influenciaron estas corrientes, y apunta como la teoría de la complejidad moriniana tiende a aproximarse a la perspectiva pesimista. Con ello, se busca cuestionar lo que está en la base de las grandes divergencias actuales sobre el futuro de la humanidad, como entre las causas ambiental y económica. Se trata de una investigación cualitativa, explicativa, basada en un estudio bibliográfico. Consideramos que se trata de corrientes en disputa para la comprensión de la realidad, por lo tanto, útiles para entender una serie de dilemas actuales, y que Morin defiende la ambivalencia.

Palavras-chave


caos matemático; complexidade; crescimento econômico.

Texto completo:

PDF

Referências


ALTA ANSIEDADE - A MATEMÁTICA DO CAOS. BBC. Londres, 2008. 59:01 min. Documentário. [S.l]. [Canal: TVEscola0004, Publicado em 25 mar. 2012]. Disponível em: acesso em: 19 jul. 2017.

GEORGESCU-ROEGEN, N. O decrescimento: entropia, ecologia, economia. Tradução de João Duarte. Lisboa: Instituto Piaget, 2012.

HARARI, Yuval Noah. Sapiens: Uma breve história da humanidade.Tradução de Janaína Marcoantonio. 1ed. Porto Alegre: L&PM, 2015.

MORIN, Edgar. A via para o futuro da humanidade. Tradução de Edgrd de Assis Carvalho e Mariza Perassi Bosco. 2 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2015.

MORIN, Edgar. Aos 91 anos, Edgar Morin prega uma nova via para o planeta. Entrevistador: Luciano Trigo. Out. 2012. [G1, blog: Máquina de Escrever]. Disponível em: acesso em 17 jul. 2017.

PEDROZO, E. A.; SEVERO, L. S. Desenvolvimento sustentável: o sistema integrado agronegocial (SIAN) como caminho de análise. In. XLV Congresso da Sociedade Brasileira de Economia, Administração e Economia Rural. Londrina: UEL, jul. 2007.

PRIGOGINE, Ilya. As leis do caos. Tradução Roberto Leal Ferreira. São Paulo: Editora UNESP, 2002.

RIDLEY, Matt. O otimista racional: porque o mundo melhora. Tradução de Ana Maria Mandim. 1 ed. Rio de Janeiro: Record, 2014.

SAVI, Marcelo. Caos em sistemas mecânicos. Revista Militar de Ciência e Tecnologia, vo1. XIV, n.4, out-dez, 1997. p 5-18. Disponível em Acesso em: 14 fev. 2019.

SILVA NETO, B. A Agronomia e o desenvolvimento sustentável: por uma ciência da complexidade. In: XII Conferência Internacional para o Realismo Crítico, 2009, Rio de Janeiro. Realismo Crítico e Emancipação Humana, Associação Internacional para o Realismo Crítico, XII Conferência Anual. Rio de Janeiro: Editora da UFF, 2009. p. 37-62.

VEIGA, José Eli da. Meio Ambiente e Desenvolvimento. 2 ed. São Paulo: SENAC, 2006.

VEIGA, José Eli da. Problemas da Transição à Agricultura Sustentável. Revista Estudos Econômicos, vol.24, número especial, 1994. p. 9-29.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8747

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.