Separação de resíduos e horta como ferramentas de transformação do espaço escolar
Separación de residuos y huerta como herramientas de transformación del espacio escolar
Waste separation and school garden as school transformation tools

Ana Paula Schmitz Rodrigues, Eunice Aita Isaia Kindel

Resumo


O presente artigo apresenta uma pesquisa qualitativa, realizada com estudantes do Ensino Fundamental de uma escola da rede pública estadual de Porto Alegre, RS. O trabalho teve como objetivo sensibilizar o olhar ambiental dos alunos através do contato direto com atividades de elaboração de uma horta e separação dos resíduos sólidos da escola. O campo da Educação Ambiental serviu de alicerce das práticas e das análises. As falas dos estudantes foram registradas e agrupadas em categorias, possibilitando compreender as relações feitas das temáticas trabalhadas em sala de aula com o cotidiano, assim como suas concepções sobre resíduos sólidos, ciclagem de nutrientes e alimentação. Os dados mostram o distanciamento dos alunos com o meio ambiente e realçam a necessidade de práticas mais interdisciplinares e contínuas nas escolas.

El presente artículo presenta una investigación cualitativa, realizada con estudiantes de la Primaria de una escuela de la red pública estatal de Porto Alegre, RS. El trabajo tuvo como objetivo sensibilizar la mirada ambiental de los alumnos a través del contacto directo con actividades de elaboración de una huerta y separación de los residuos sólidos de la escuela. El campo de la Educación Ambiental sirvió de base de las prácticas y de los análisis. Las palabras de los estudiantes fueron registradas y agrupadas en categorías, posibilitando comprender las relaciones hechas de las temáticas trabajadas en el aula con el cotidiano, así como sus concepciones sobre residuos sólidos, ciclo de nutrientes y alimentación. Los datos muestran el desapego de los alumnos con el medio ambiente y subrayan la necesidad de prácticas más interdisciplinares y continuas en las escuelas

The following article presents a qualitative research carried out with elementary students of a state public school in Porto Alegre, RS. The objective of this research was to raise students' environmental awareness through direct contact with activities of elaboration of a vegetable garden and separation of the school’s solid waste. The field of Environmental Education served as a foundation for practices and analyzes. The students' speeches were recorded and grouped into categories, making it possible to understand the relationships made between the themes worked in the classroom and their daily lives, as well as their conceptions on solid waste, nutrient cycling and nutrition. The results show the students' distance from the environment and highlights the need for more interdisciplinary and continuous practices at schools.

Palavras-chave


Educação Ambiental; horta escolar; separação de resíduos.

Texto completo:

PDF

Referências


BOGDAN, R.; BIKLEN, S. Investigação qualitativa em educação: uma introdução a teoria e aos métodos. Lisboa: Porto Editora, 1994.

BRASIL. Decreto nº 73.030, de 30 de Outubro de 1973. Cria, no âmbito do Ministério do Interior, a Secretaria Especial do Meio Ambiente - SEMA, e da outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 1973.

________. Lei n° 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 1981.

_________. Constituição da República Federativa do Brasil, de 1988. Diário Oficial da União, Brasília, 1988.

_________.Ministério da Educação e do Desporto, Lei nº. 9.795 de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, n. 79, 28 abr. 1999.

________. Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação. Resolução CD nº 32, de 10 de agosto de 2006. Estabelece as normas para a execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar. Diário Oficial da União n.154; Seção I, 2006.

________. Resolução n. 2, de 15 de junho de 2012. Estabelece as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Ambiental. Diário Oficial da União, Brasília, n. 116, seção 1, p. 70, 18 jun. 2012.

CAMPOS, Paulo Tiago Cardoso. SCHWARTZ, Suzana. Motivação para ensinar e aprender: teoria e prática. CONJECTURA: filosofia e educação, v. 21, n. 3, p. 660-665, 2016.

CARVALHO, Isabel.A invenção ecológica: narrativas e trajetórias da educação ambiental no Brasil. -2 ed.- Ed. da UFRGS, 2002.

CORNELL, Joseph. A alegria de aprender com a natureza: atividades ao ar livre para todas as idades. Editora SENAC, 1997.

CRIBB, Sandra. Contribuições da educação ambiental e horta escolar na promoção de melhorias ao ensino, à saúde e ao ambiente. Ensino, Saúde e Ambiente, v. 3, n. 1, 2010.

CUNHA, A. B. et al. Gestão de Áreas Verdes Objetivando a Implementação de Espaço para Lazer na Cidade de Porto Alegre, RS, Brasil. In: IV Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental, 2004, Porto Alegre. Anais do IV Simpósio Internacional de Qualidade Ambiental, 2004.

DE ANDRADE, Leonardo Biage; DOS SANTOS PINTO, Vicente Paulo. Os Riscos, a Vulnerabilidade Ambiental e o Estado Capitalista: a proposta de uma Educação Ambiental como ato político. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, v. 34, n. 4, p. 207-225, 2017.

FORTUNA, Tânia Ramos. Sala de aula é lugar de brincar. Planejamento em destaque: análises menos convencionais. Porto Alegre: Mediação, p. 147-164, 2000.

FREIRE, Jamile; NASCIMENTO, M. de F.; SILVA, SAH. Diretrizes curriculares de educação ambiental: as escolas da rede municipal de ensino de Salvador. Salvador: Secretaria Municipal da Educação e Cultura, 2006.

FREIRE, Paulo. Medo e ousadia: o cotidiano do professor. Editora Paz e Terra, 1986.

_____________. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática docente. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GALLO, Sílvio. Transversalidade e meio ambiente. Ciclo de palestras sobre meio ambiente. Secretaria de Educação Fundamental–Brasília: MEC, p. 56, 2001.

GRÜN, Mauro. Ética e educação ambiental: a conexão necessária. Campinas, SP: Papirus Editora, 1996.

KINDEL, Eunice Aita Isaia. Práticas pedagógicas em ciências: espaço, tempo e corporeidade. Edelbra Editora Ltda, 2012.

KRAHL, Guilherme. Educação ambiental na formação inicial de professores: concepções e perspectivas de graduandos das licenciaturas da UFRGS. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2015

LISBOA, Cassiano Pamplona; KINDEL, EAI. Educação Ambiental: da teoria à prática. Porto Alegre: Mediação, 2012. 144 p.

LÜDKE, Menga; ANDRÉ, Marli EDA. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU, 1986.

MENINO, Hugo Lopes; CORREIA, Sílvia Oliveira. Concepções alternativas: ideias das crianças acerca do sistema reprodutor humano e reprodução. Educação & Comunicação, p. 97-117, 2001.

MUCELIN, Carlos Alberto; BELLINI, Marta. Lixo e impactos ambientais perceptíveis no ecossistema urbano. Sociedade & natureza, v. 20, n. 1, p. 111-124, 2008.

RIBEIRO, Helena; JAIME, Patrícia Constante; VENTURA, Deisy. Alimentação e sustentabilidade. Estudos Avançados, v. 31, n. 89, p. 185-198, 2017.

SANTOS, M. E. V. M. Tendências e resultados no interior da linha de investigação sobre concepções alternativas. Mudança conceptual na sala de aula, p. 90-135, 1991.

SANTOS, Helaine Maria Naves dos et al. Educação ambiental por meio da compostagem de resíduos sólidos orgânicos em escolas públicas de Araguari. Revista Caminhos de Geografia Uberlândia v. 8, n. 24, p. 163-183, 2007

SANTOS, Odilani Sousa dos. A sustentabilidade através da horta escolar: um estudo de caso. Monografia (Licenciatura em Ciências Biológicas) – Universidade Federal da Paraíba. 2014.

SEGURA, Denise de Souza Baena. Educação ambiental na escola pública: da curiosidade ingênua à consciência crítica. Annablume, 2001.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8733

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.