Dilemas do lazer em áreas protegidas: o caso do Jardim Botânico de Brasília – JBB
Dilemmas of leisure in protected areas: the Brasilia´s Botanic Garden (JBB) case
Dilemas del ocio em áreas protegidas: el caso del Jardín Botánico de Brasilia – JBB

Vanessa Sousa de Oliveira, Neio Lúcio de Oliveira Campos

Resumo


A pesquisa em questão é fruto da dissertação de mestrado concluída no Centro de Excelência em Turismo da Universidade de Brasília - CET/UnB em 2018, que consiste no estudo da visitação a jardins botânicos. A finalidade é responder a duas questões: Quais são as representações do lazer elaboradas por visitantes de jardins botânicos? Como essas representações dialogam com as funções institucionais de jardins botânicos? Propomos como estudo de caso a visitação espontânea ao Jardim Botânico de Brasília – JBB. A pesquisa foi desenvolvida com base em pesquisa bibliográfica, análise documental e aplicação de questionário aos visitantes espontâneos. Utilizamos a técnica da análise de conteúdo para identificar as representações dos visitantes sobre lazer e colocá-las em perspectiva com as funções institucionais de jardins botânicos. Como resultado, encontramos uma rica experiência de lazer pautada nas relações de sociabilidade, mas desconectada do papel social e histórico assumido pelos jardins botânicos contemporâneos.

The following research consists on the studies of visitation in botanic gardens. The purpose is to answer two questions: what are the representations of leisure elaborated by botanic garden visitors? how do these representations dialogue with the institutional functions of botanic gardens? To do so, we propose as a case study the spontaneous visitation to the Brasília´s Botanic Garden (JBB). The study case was developed based on bibliographic research, documentary analysis and questionnaire application to spontaneous visitors. We use the technique of content analysis to identify the representations of visitors on leisure and put them in perspective with the institutional functions of botanic gardens. As a result, we find a rich leisure experience based on sociability relationships, but disconnected from the social and historical role assumed by contemporary botanical gardens.

La investigación en cuestión consiste en el estudio de la visita a jardines botánicos. La finalidad es responder a dos cuestiones: ¿qué representaciones del ocio son elaboradas por visitantes de jardines botánicos? ¿cómo esas representaciones dialogan con las funciones institucionales de jardines botánicos? Para ello, proponemos como estudio de caso la visita espontánea al Jardín Botánico de Brasilia – JBB. El estudio de caso fue desarrollado con base en investigación bibliográfica, análisis documental y aplicación de cuestionario a los visitantes espontáneos. Utilizamos la técnica del análisis de contenido para identificar las representaciones de los visitantes sobre el ocio y ponerlas en perspectiva con las funciones institucionales de jardines botánicos. Como resultado, encontramos una rica experiencia de ocio pautada en las relaciones de sociabilidad, pero desconectada del papel social e histórico asumido por los jardines botánicos contemporáneos.

Palavras-chave


Jardim Botânico de Brasília – JBB, Lazer, Visitação.

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Cássio Adriano B. e MARTINS, José Clerton O. Ócio, lazer e tempo livre na sociedade do consumo e do trabalho. Revista Mal Estar e Subjetividade, Fortaleza, Vol. II, Nº 2, Set, 2007.

BRASÍLIA. JARDIM BOTÂNICO DE BRASÍLIA. Plano Diretor do Jardim Botânico de Brasília. Brasília, 2010 (b).

BRUHNS, Heloisa Turini (org). Lazer e Ciências Sociais: diálogos pertinentes. São Paulo: Chronos, 2002.

CAMARGO, Luiz Otavio de Lima. O que é lazer? São Paulo: Braziliense, 1986.

CUENCA, Manuel. Ocio humanista, dimensiones y manifestaciones actuales del ocio (Documentos de Estudios de Ocio, Num.16). Bilbao, España: Instituto de Estúdios de Ócio/ Universidad de Deusto, 2003.

DISTRITO FEDERAL. Relatório de Prestação de Contas do Governador – SEPLAG/DF, 2016. Disponível em: http://www.seplag.df.gov.br/images/planejamento_governamental/Relatorio_de_Atividades_2016_compressed.pdf

DUMAZEDIER, Joffre. Sociologia empírica do lazer. Trad. Sílvia Mazza e J. Guinsburg. São Paulo: Perspectiva – SESC, 1999.

FELIPPE, Gil e ZAIDAN, Lilian Penteado. Do Éden ao Éden: jardins botânicos e a aventura das plantas. Editora Senac: São Paulo, 2008.

GOMES, Christianne Luce. Relações históricas – o processo de constituição do lazer no mundo ocidental. In: Lazer, trabalho e educação. Belo Horizonte: UFMG, 2008.

______________________ . Lazer: necessidade humana e dimensão da cultura. Revista Brasileira de Estudos do Lazer. Vol. 1, nº 1, Jan – Abr 2014.

IUCN-BGCS, WWF. Estratégias dos Jardins Botânicos para a Conservação/ Vernon H. Heywood, Rio de Janeiro: Jardim Botânico do Rio de Janeiro, 1989.

JARDIM BOTÂNICO DE BRASÍLIA. Carta de Serviços ao Cidadão do Jardim Botânico de Brasília, versão completa, 2015.

JARDIM BOTÂNICO DE BRASÍLIA

MARCELLINO, Nelson Carvalho. Lazer e educação. Campinas: Papirus, 1995.

___________________________ . Estudos do Lazer: Uma introdução. 4ª edição. Campinas: Autores Associados, 2006.

MARTINS, L. C. A relação museu/escola: teoria e prática educacionais nas visitas escolares ao Museu de Zoologia da USP. 2001. Dissertação (Mestrado). Faculdade de Educação, Universidade de São Paulo, 2006.

MASCARENHAS, Fernando. Entre o ócio e o negócio: tese acerca da anatomia do lazer. Tese (doutorado). Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, 2005.

MINAYO, Maria Cecília de Souza. Pesquisa Social: Teoria, Método, e Criatividade. Petrópolis: Vozes, 2004.

PARKER, Stanley. A sociologia do lazer. Ed. Zahar, 1978.

PRONOVOST, Gilles. Introdução à Sociologia do Lazer. Tradução: Marcelo Gomes. São Paulo: Editora Senac, 2011.

SILVA, Andressa de Araújo. Jardim Botânico de Brasília: análise da relação do público espontâneo com o discurso e espaço expositivos. 176fls. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharel em Museologia) – Faculdade de Ciência da Informação. Brasília: Universidade de Brasília – UnB, 2017.

WORLD LEISURE AND RECREATION ASSOCIATION – WLRA. Carta de Educação para o Lazer. Jerusalém, Israel, 1993. Disponível em http://www.saudeemmovimento.com.br/conteudos/conteudo_exibe1.asp?cod_noticia=195 Acesso em 2 out 2018.

YIN, Robert. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5ª Edição. Ed. Bookman, 2015.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v36i1.8712

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2019 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.