O confronto discursivo entre o conservadorismo empresarial e a memória ambientalista e sindical alagoana
El enfrentamiento discursivo entre el conservadorismo empresarial y la memoria ambientalista y sindical alagoana
The discursive confrontation between business conservatism and the alagoan ambientalist and sindicalist memory

Clay Ewerthon Alves do Nascimento, Maria do Socorro Aguiar de Oliveira Cavalcante

Resumo


Este trabalho é parte de pesquisa desenvolvida em nível de mestrado e tem por objetivo analisar efeitos de sentido produzidos no discurso do Programa de Educação Ambiental “Lagoa Viva”, desenvolvido pela empresa cloroquímica Braskem, situada no estuário lagunar Mundaú/Manguaba, Alagoas, confrontando com o discurso do ambientalismo histórico e as atuais ações sindicais. Analisamos a disputa de sentidos engendrados em acontecimentos discursivos antagônicos. Recorremos ao referencial teórico metodológico da Análise do Discurso ancorada no materialismo histórico dialético. Foi possível perceber sentidos antagônicos nos referidos discursos, constatando que a Educação Ambiental defendida pela empresa está dissociada das lutas históricas ambientalistas, constituindo-se um mecanismo da classe dominante empresarial que apropria-se de elementos da formação ideológica antagônica para silenciar/apagar os conflitos sociais e ambientais provocados pela instalação da referida empresa.

Este trabajo es parte de investigación desarrollada en nivel de máster y tiene por objetivo analizar efectos de sentido producidos en el discurso del Programa de Educación Ambiental “Lagoa Viva”, desarrolhado por la empresa cloroquímica Braskem, situada en el estuario lagunar Mundaú/Manguaba, Alagoas, confrontando con el discurso del ambientalismo histórico y las actuales acciones sindicales. Analizamos la disputa de sentidos engendrados en acontecimientos discursivos antagônicos. Recurrimos al referencial teórico metodológico del Análisis del Discurso anclada en el materialismo histórico dialético. Fue posible percibir sentidos antagônicos en los referidos discursos, constatando que la Educación Ambiental defendida por la empresa está disociada de las luchas históricas ambientalistas, constituyéndose un mecanismo de la clase dominante empresarial que se apropia de elementos de la formación ideológica antagônica para silenciar/borrar los conflictos sociales y ambientales provocados por la instalación de la referida empresa.

The work presented here is part of a research developed in a master’s level and aims to analyze the effects produced in the discourse of the educational environmental program “Lagoa Viva”, developed by the chlorochemical company Braskem, located on the estuary lagoon Mundaú/Manguaba, in the state of Alagoas, confronting with the historical environmental discourse and the current syndicalist actions. We analyzed the dispute of engendered sense in antagonistic discursive happenings. For this end, we recurred into the theoretical methodological referential of the discursive analysis anchored in dialectic historical materialism. From this referential, it is possible to notice antagonistic senses in the referred speeches. Finding that the EE defended by the company dissociated it is with the historical environmental struggle, constituting a mechanism of the dominant corporative class that appropriate from formational antagonistic ideological elements to silence/erase the social and environmental conflicts provoked by the installation of the mentioned company.

Palavras-chave


Educação Ambiental; Discurso; Ideologia

Texto completo:

PDF

Referências


ALAGOAS, SECRETARIA DE PLANEJAMENTO, COORDENAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO. Projeto de levantamento ecológico e cultural da região das lagoas Mundaú/Manguaba. 2ª edição ampliada. Maceió: SEPLAN/AL, 1980. v. II.

BRANDÃO, O. Canais e lagoas. 3ª edição. Maceió: Edufal, 2001.

BAKHTIN, M. (VOLOCHÍNOV). Marxismo e filosofia da linguagem. São Paulo: Hucitec, 2010.

CPT, Comissão Pastoral da Terra. Agrocombustíveis: energia limpa? Disponível em: http://cptalagoas.blogspot.com.br/2009/09/agrocombustiveis-energia-limpa.html. Acesso em : 10 de Fev. 2013.

CAVALCANTE, M. S. O; FLORÊNCIO, A. M. G. ; MAGALHÃES, B. & SILVA SOBRINHO, H. F. Análise do discurso: fundamentos e prática. Maceió: Edufal, 2009.

COURTINE, J. Jacques. Análise do Discurso político. O discurso comunista endereçado aos cristãos. São Carlos, EdUFSCar. 2009.

FLORES, A. Meio ambiente (uma contribuição para Alagoas). Maceió: Imagem Gráfica Rápida, 1999.

ILV, INSTITUTO LAGOA VIVA. Instituto lagoa viva. Revista. Ano 1; n°1, 2010.

KAZAN-ALLEN, L. Campanha global pelo banimento do amianto. ABREA, 2009. (cartilha). Disponível em https://issuu.com/estudomarxista/docs/cartilha_amianto

LAYRARGUES, P. P. A cortina de fumaça: o discurso empresarial verde e a ideologia da racionalidade econômica. São Paulo: Annablume, 1998.

_____. Apresentação: (re)conhecendo a educação ambiental brasileira. In: LAYRARGUES, P. P. (coord). Identidades da educação ambiental brasileira. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004.

LIMA, M. J. A. Ecologia humana: realidade e pesquisa. Petrópolis: Vozes, 1984.

MARX, Karl. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Centauro 2009.

MOREIRA, L. A. L. A insustentabilidade do discurso do desenvolvimento sustentável. (Doutorado em Linguística), Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2010.

ORLANDI, E. P. Análise de discurso. princípios & procedimentos. Campinas-SP: Pontes, 2005.

PÊCHEUX, M. O discurso: estrutura ou acontecimento. 4ª ed. Campinas-SP: Pontes Editores, 2006.

PINTO, J. M. Política ambiental e ambientalismo em Alagoas: surgimento, conflitos e interações. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente), Universidade Federal de Alagoas, Maceió, 2004.

SINDPETRO AL/SE. Campanha pelo banimento do amianto. trabalhar sim. morrer não. Cartilha. Maceió: SINDPETRO AL/SE, 2009.

SOUZA, G. L. Programa lagoa viva: formação de educadores ambientais em escolas do ensino fundamental da rede pública de Maceió-AL. Dissertação (Mestrado em Educação), Universidade Federal da Paraíba, Paraíba, 2010.

VAISMAN, E. A ideologia e sua determinação ontológica. São Paulo: Revista Ensaio, n°17/18, 1989.

VIEIRA, M. C. “Daqui só saio pó”. Conflitos urbanos e mobilização popular - a salgema e o pontal da barra. Maceió: EDUFAL, 1997.

_____. Meio ambiente. nova cidadania ou utopia de poucos? Maceió: Edufal, 2003.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v35i2.7551

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2018 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Compartilhar igual 4.0 Internacional.

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.