Abordagem etnobotânica no ensino de Biologia

André Boccasius Siqueira, Samira Martins Pereira

Resumo


Objetivou-se trabalhar os conhecimentos botânicos e etnobotânicos, demonstrando a importância da contextualização do conhecimento e da valorização dos saberes populares. Para isto, alunos do ensino médio, na disciplina de Biologia, pesquisaram, com seus vizinhos e parentes, sobre as plantas medicinais que estes utilizam, bem como participaram de discussões sobre este tema, onde receberam a contribuição de pessoas da comunidade, e de um grupo de senhoras do bairro. Concluiu-se que a comunidade está disponível para desenvolver atividades com os alunos na instituição escolar e fora dela, embora ainda possua o receio de adentrar nos muros da instituição formal. Os estudantes esperam dos docentes métodos diferenciados dos tradicionais, necessários à formação de cidadãos atuantes e comprometidos com as questões socioambientais.

Palavras-chave


Etnobotânica; Educação formal; Plantas medicinais; Saberes Populares; Etnobiologia.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBUQUERQUE, U. P. de. Introdução à etnobotânica. 2 ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2005.

AMOROSO, M. C. M. A abordagem etnobotânica na pesquisa de plantas medicinais. In: DI STASI, L. C. Plantas medicinais: arte e ciência – um guia de estudo interdisciplinar. São Paulo: Editora da UNESP, p. 47-68. 1996.

AMOROSO, M. C. M. Uso e diversidade de plantas medicinais em Santo Antônio de Levenger, MT, Brasil. Acta Botânica Brasílica, v.16, n.2, 2002. p. 189-203.

ARENAS, A.; CAIRO, C. Del. Etnobotánica, modernidad y pedagogía crítica del lugar. Utopía y Praxis Latinoamericana - Revista Internacional de Filosofía Iberoamericana y Teoría Social, Maracaibo, Venezuela, a.14, n.44, Jan./Mar. 2009, p. 69 - 83

BARBOSA, A. M. Educação escolar, não escolar e a etnobotânica: o conhecimento sobre plantas medicinais em Sombrio/SC. 2013. 111f. Dissertação (Mestrado em Educação) – Universidade do Sul de Santa Catarina, 2013.

BARCELOS, V. Educação ambiental e antropofagia: Antropofagia, Educação ambiental e intercultura – tecendo uma não-pedagogia. In: GUIMARÃES, L. B.; KRELLING, A. G.; BARCELOS, V. (orgs.). Tecendo educação ambiental na arena cultural. Petrópolis: DP et Alii, 2010. (p. 11-31).

BARCELOS, V. Uma educação dos trópicos: contribuições da antropofagia cultural brasileira. Petrópolis, RJ: Vozes, 2013.

CALIL, P. O Professor-Pesquisador no Ensino de Ciências. Curitiba: Ibpex, 2009. (Coleção metodologia do ensino de biologia e química; v. 2).

CORAZZA, S. M. Tema Gerador: concepção e práticas. 3. ed. Ijuí: Ed. UNIJUÍ, 2003.

DI STRASI, L. C. Plantas medicinais: verdades e mentiras: o que os usuários e os profissionais de saúde precisam saber. São Paulo: UNESP, 2007. (Saúde e cidadania).

FERREIRA, T. T. Manejo, gestão de recursos naturais e luta pela terra pelos Borari de Novo Lugar – TI Maró, Santarém, Pará. 2011. 199f. Dissertação (Mestrado em Agriculturas Familiares e Desenvolvimento Sustentável). Universidade Federal do Pará. 2011.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GUIMARÃES, M. Intervenção Educacional: do “de grão em grão a galinha enche o papo” ao “tudo junto ao mesmo tempo agora”. Encontros e Caminhos: Formação de Educadores Ambientais e coletivo educador. Brasília, p 191-199, 2005

GUIMARÃES, M. Educação ambiental: participação para além dos muros da escola. In: MELLO, S. S. de; TRAJBER, R. (coord.). Vamos cuidar do Brasil: conceitos e práticas em educação ambiental na escola. Brasília. Ministério da Educação, Coordenação geral de Educação Ambiental: Ministério do Meio Ambiente, Departamento de Educação Ambiental: UNESCO, 2007. p. 85-93.

LÓPEZ, A. V.; MARTÍ, V. B.; RODRÍGUEZ, J. F. La etnobotánica como recurso didáctico

en la educación ambiental. Idea La Mancha: Revista de Educación de Castilla – La Mancha, Espanha. n. 2, 2005, p. 240-247. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2014.

PASSOS, L. A.; SATO, M. Educação Ambiental: o currículo nas sendas da Fenomenologia Merleau-pontyana. In: SAUVÉ, L.; ORELLANA, I.; SATO, M. (dir.) Sujets choisis em éducation relative à I’environnement – D’une Amérique à I’autre. Montréal: ERE-UQAM, 2002, Tome I: p. 129-13.

SILVEIRA, A. P.; FARIAS, C. C.; SATÓRIO, R.; SIQUEIRA, A. B. Etnobotânica de plantas medicinais aplicada ao ensino fundamental. In: MENDONÇA, A. W.; SIQUEIRA, A. B.; MARCOMIN, F. E. Educação, Sociedade e Meio Ambiente no Estado de Santa Catarina: abordagens múltiplas. São Leopoldo: Oikos, 2012. (p. 137-156).

SIQUEIRA, A. B. Etnobiología en la educación básica. Revista de Educación en Biología. Argentina. v.15, n.2, p. 12-19, dez. 2012.

TRÉZ, T. de A. e. Feyerabend, Interculturalismo e etnobiologia: algumas possíveis articulações no ensino de Biologia. Biotemas, Florianópolis, n. 24, v. 3, set. 2010, p. 129-140.

URBANO, C. A.; YUNI, J. A. Envejecimiento activo y dispositivos socio-culturales ¿Una nueva forma de normativizar los modos de envejecer? Publ. UEPG Humanit. Sci. Linguist. Lett. Arts. Ponta Grossa, n. 21, v. 2, p. 259-270, jul./dez. 2013. Disponível em: . Acesso em: 28 jan. 2014.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v31i2.4711

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.