A percepção de educação ambiental no Assentamento Ander Rodolfo Henrique em Diamante do Oeste/PR

Caroline Monique Tietz, Daiana Caroline Refati, Irene Carniatto

Resumo


No decorrer deste século, para se atender a demanda das necessidades humanas foi-se desenhando uma equação desbalanceada: retirar, consumir e descartar sem repor. Essa exploração inadequada vem causando sérios impactos ambientais. Dessa forma, esta pesquisa teve como objetivo investigar o conhecimento, percepção e consciência ambiental dos moradores do Assentamento Ander Rodolfo Henrique, no município de Diamante do Oeste/PR, verificar se os mesmos são cientes dos problemas causados ao ambiente devido à ação do homem e avaliar a percepção ambiental destes a respeito do meio ambiente com o intuito de verificar se o tema é abrangente a todos do movimento em questão, como garantia de qualidade de vida no ambiente onde moram. Como referencial metodológico, utilizou-se de levantamento de dados por meio de uma revisão da literatura e também aplicação de questionários direcionados aos assentados com a finalidade de avaliar o seu grau de conhecimento em relação à educação ambiental. Constatou-se que o assentamento em questão não disponibiliza de estrutura e materiais suficientes relacionados à Educação Ambiental, mas a comunidade possui uma boa percepção ambiental, havendo apenas a necessidade de a Educação Ambiental ser mais estimulada e incentivada, colaborando para a construção de uma sociedade mais justa e um mundo mais saudável.

Palavras-chave


Meio ambiente; Movimento; Consciência

Texto completo:

PDF

Referências


AQUINO, Ana Lúcia Tostes de; MININNI-MEDINA, Naná. Educação ambiental: curso

básico à distância de educação ambiental. 2. ed. ampl. Brasília: MMA, 2001.

BOFF, Leonardo. Sustentabilidade: o que é o que não é. Petropolis: Vozes, 2012.

BRASIL. Lei n. 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 28 abr. 1999.

CAPRA, Fritjof. Alfabetização ecológica: o desafio para a educação do século 21. Meio ambiente no século 21: 21 especialistas falam da questão ambiental nas suas áreas de conhecimento. 3 ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2003.

FABRINI, João Edmilson. A resistência camponesa nos assentamentos de sem–terra. Cascavel: EDUNIOESTE, 2003.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Espacialização e territorialização da luta pela terra: a formação do MST - Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra no Estado de São Paulo. 1994. 236 f. Dissertação (Mestrado em Geografia Humana) - Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1994.

FERNANDES, Bernardo Mançano. Questão Agrária, Pesquisa e MST. São Paulo: Cortez, 2001.

GADOTTI, Moacir. Eco 92 e educação ambiental. Revista de Educação Pública, Cuiabá, v. 2, n. 2, p. 29-44, out.1993.

GOULD, Kenneth. Classe social, justiça ambiental e conflito político. In: ACSELRAD, Henri et al. (org.). Justiça ambiental e cidadania. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2004.

IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Divisão Regional. 2013. Disponível em: . Acesso em: 17 de setembro de 2013.

INCRA/PDA. Plano de Desenvolvimento Sustentável do Assentamento. Curitiba: AMBIENS, 2003.

IPARDES (Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social). Caderno Estatístico Município de Diamante do Oeste. 2013. Disponível em: . Acesso em: 17 de setembro de 2013.

LENIS, Jakeline Nataly Roseti et al. Avaliação da percepção e educação ambiental na comunidade do Jardim Flórida II, Dourados – MS. In: III Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, 2012, Goiânia. Anais. IBEAS – Instituto Brasileiro de Estudos Ambientais. p. 01-06.

MARTINS, José de Souza. Caminhada no chão da noite: emancipação política e libertação nos movimentos no campo. São Paulo: Hucitec, 1989.

MEDEIROS, Leonilde Sérvolo de. História dos Movimentos Sociais no Campo. Rio de Janeiro: Fase, 1989.

MORAES, Edmundo Carlos de; LIMA JR, Enio; SCHABERLE, Fábio Antonio. Representações de meio ambiente entre estudantes e profissionais de diferentes áreas do conhecimento. Revista de Ciências Humanas, Florianópolis, v. 1, n. 1, p. 83-96, Edição Especial Temática, 2000.

MOREIRA, Alberto. A Igreja e a Questão Agrária. Bragança Paulista: EDUSF. Cadernos do IFAN, 1994.

MST. Nossa História: vinte e seis anos de movimento sem terra. 2009.

SAUVÉ, Lucie. Educação Ambiental e desenvolvimento sustentável: uma análise complexa. Revista de Educação Pública, v. 10, jul./dez. 1997.

SORRENTINO, Marcos. De Tbilisi a Thessaloniki, a educação ambiental no Brasil. In: CASCINO, Fábio et al. (org.). Educação ambiental, meio ambiente e cidadania: reflexões e experiências. São Paulo: SMA/CEAM, 1998.

UNESCO. Educação para um futuro sustentável: uma visão transdisciplinar para uma ação compartilhada. Brasília: IBAMA, 1999.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v0i0.4614

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2015 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental

URL da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc/3.0/br/

Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.