A educação ambiental no ensino de biologia do currículo oficial da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo
Environmental education in biology teaching the official curriculum Department of Education State of São Paulo

Reginaldo dos Santos, Rita de Cássia Frenedozo

Resumo


O presente artigo relata um estudo de abordagem qualitativa caraterizado como pesquisa bibliográfica e documental, desenvolvido em 2013 com o objetivo de identificar e analisar as orientações acerca da Educação Ambiental oferecidas aos professores de biologia pelo currículo oficial da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo (SEE/SP). Tal objetivo buscou responder a seguinte pergunta: que tendência de Educação Ambiental o currículo oficial da SEE/SP promove por meio do ensino de biologia? Como instrumento de coleta de dados/informações, o estudo recorreu às últimas publicações dos documentos que compõem tal currículo e que se encontram diretamente nas mãos dos professores em sala de aula. Os resultados alcançados revelaram que a Educação Ambiental apresentada nesses documentos possui significativa tendência à concepção conservadora e pragmática de Educação Ambiental.

Palavras-chave


Educação Ambiental; Currículo; Ensino Formal.

Texto completo:

PDF

Referências


Referências

ARROYO, Miguel Gonzalez. Currículo, território em disputa. Petrópolis: Vozes, 2011.

BARBOSA, Gláucia Soares; QUINTÃO, Danuza do Carmo. O cenário da educação ambiental nas escolas de ensino fundamental de Ubá-MG. In: VII Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental – EPEA, Rio Claro, SP, 2013. Anais do VII EPEA, Rio Claro, SP: USP/UNESP/UFSCAR, 2013.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos: apresentação dos temas transversais. Brasília, DF: MEC/SEF, 1998.

______. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros curriculares nacionais: para o ensino médio. Brasília, DF: Ministério da Educação, 1999.

______. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias: orientações curriculares para o Ensino Médio. Brasília, DF: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2006.

CARVALHO, Isabel Cristina de Moura. Educação ambiental: a formação do sujeito ecológico. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

GOODSON, Ivo. Tradução: Vera Joscelyne. As políticas de currículo e de escolarização. Petrópolis: Vozes, 2008.

GUIMARÃES, Mauro; SÁNCHEZ, Celso. Diálogo sobre percepção e metodologias na educação ambiental. In: VI Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental – EPEA, Ribeirão Preto, SP, 2011. Anais do VI EPEA, Ribeiro Preto, SP: USP/UNESP/UFSCAR, 2011.

GUIMARÃES, Zara Faria Sobrinha; SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos. In: VII Encontro de Pesquisa em Educação Ambiental – EPEA, Rio Claro, SP, 2013. Anais do VII EPEA, Rio Claro, SP: USP/UNESP/UFSCAR, 2013.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. O cinismo da reciclagem: o significado ideológico da reciclagem da lata de alumínio e suas implicações para a educação ambiental. In: LOURENÇO, Carlos Frederico Bernardo; ______; CASTRO, Ronaldo Souza (Orgs.). Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2011. p. 185-225.

LEFF, Enrique. Epistemologia ambiental. 5. ed. São Paulo: Cortez, 2010.

LORENZETTI, Leonir. Estilos de pensamentos em educação ambiental: uma análise a partir das dissertações e teses. 2008. 406f. Tese (Doutorado em Educação Científica e Tecnológica). – Programa de Pós-Graduação em Educação Científica e Tecnológica, Universidade Federal de Santa Catarina, 2008.

MARTINEZ, Paulo Henrique. História ambiental no Brasil: pesquisa e ensino. São Paulo: Cortez, 2006.

REIGOTO, Marcos. O que é educação ambiental. 2. ed. São Paulo: Brasiliense, 2009.

SÃO PAULO (Estado). Secretaria da Educação. Saresp 2008: matrizes de referência para a avaliação: ciências, biologia, química e física. São Paulo: SEE, 2009. v. 4.

SAUVÉ, Lucie. Educação ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, v. 31, n. 2, p. 317-322, maio/ago. 2005.

SILVA, Rosana Louro Ferreira; CAMPINA, Nilva Nunes. Concepções de educação ambiental na mídia e em práticas escolares: contribuições de uma tipologia. Pesquisa em Educação Ambiental, v. 6, n. 1, p. 29-46, 2011.

SILVA, Tomaz Tadeu. Documentos de identidade: uma introdução às teorias do currículo. 3. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2011.

SORRENTINO, Marcos. et al. Educação ambiental como política pública. Educação e Pesquisa v. 31, n. 2, p. 285-299, maio/ago. 2005.

TOZONI-REIS, Maria Freitas Campos. Fundamentos teóricos para uma pedagogia crítica da educação ambiental: algumas contribuições. In: 30ª Reunião Anual da Anped, Caxambu, MG, 2007. Anais da 30ª Reunião Anual da Anped, Caxambu, MG, 2007a.

______. Contribuições para uma pedagogia crítica da educação ambiental: reflexões teóricas. In. LOURENÇO, Carlos Frederico Bernardo. (Org.). A questão ambiental no pensamento crítico: natureza, trabalho e educação. Rio de Janeiro: QUARTET, 2007b. p. 177-217.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v30i2.3947

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.