DESAFIOS AMBIENTAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

Rosemeri Henn, Fábio da Purificação de Bastos

Resumo


Trabalhar a Educação Ambiental na Educação Infantil torna-se relevante quando esse trabalho
é diferenciado em relação ao que se presencia nos currículos e nas práticas escolares das
instituições, o qual se restringe a ser esporádico, superficial e equivocado, subjugando o
próprio sujeito “criança” como um ser que não irá entender conceitos mais elaborados e com
isso, se nega o próprio diálogo em volta de informações que possibilitam a reflexão das
mesmas. No currículo, apenas são enfocadas datas comemorativas e o meio ambiente fica
restrito ao seu dia, sem profundidade para construção do conhecimento sobre a diversidade
das realidades ambientais. Frente a isso, enfrentou-se o desafio de trabalhar questões
ambientais na Educação Infantil, através da investigação-ação, utilizando materiais didáticos
produzidos pelo Projeto de Conservação e Utilização Sustentável da Diversidade Biológica
Brasileira (PROBIO), a fim de contribuir para a conscientização dos alunos, familiares e
comunidade, em relação à conservação e utilização sustentável da biodiversidade brasileira.

Palavras-chave


Educação Ambiental, Educação Infantil, Referenciais Curriculares, Material Didático do PROBIO.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL, MEC/SEF. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil: introdução,

vol.1, Brasília, 1998.

__________,MEC/SEF. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil:

conhecimento de mundo, vol.3, Brasília, 1998.

__________, MEC/SEF. Parâmetros curriculares nacionais: Meio Ambiente e saúde. vol. 9,

Brasília, 1997.

DE BASTOS, F. P; KRUG, H. N; TOMAZZETTI, C. M. Investigação-ação e formação de

professores: estratégias articuladoras da prática formativa. Revista Educação, vol. 29, n. 2,

Santa Maria, 2004, Disponível em: http://coralx.ufsm.br/revce/revce/2004/02/a8.htm Acesso

em: 04 de maio de 2006.

EWARDS, C.; GANDINI, L. e FORMAN G. As cem Linguagens da criança: a abordagem de

Reggio Emilia na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 3.ed. São

Paulo: Paz e Terra, 1997. p.165.

__________.Educação como Prática da Liberdade. 14.ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.

p.150.

__________. Pedagogia do Oprimido. 24° ed., São Paulo, Paz e Terra, 1987.

GARUTI, F. As Escolas Infantis Municipais de Módena II: As Práticas Educativas. In:

ZABALZA, M. A:. Qualidade em educação infantil. Porto Alegre: Artmed, cap.6, 1998.

p.119-140.

HANNOUN, Hubert. Actividades Exploradoras em la Escuela Primaria: El Nino Conquista

el Medio. Biblioteca da Cultura Pedagógica, 1977.

RINALDI, C. O Currículo Emergente e o Construtivismo Social. In: EWARDS, C.;

GANDINI, L. e FORMAN G. As cem Linguagens da criança: a abordagem de Reggio Emilia

na educação da primeira infância. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999. p.113-122.

ROSA, R. Ensino de Ciências e Educação Infantil . In: CRAIDY, C. e KAERCHER G.E.

Educação Infantil: Pra que te quero?. Porto Alegre: Artmed, 2001. p.153-164.

RUSCHEINSKY, A. As Rimas da Ecopedagogia: uma Perspectiva Ambientalista. In:

RUSCHEINSKY, A. (Org.) Educação Ambiental: Abordagens Múltiplas. Porto Alegre:

Artmed, 2002. p. 61-71.

SAITO, C. H. Política Nacional de educação ambiental e construção da cidadania: desafios

contemporâneos. In: RUSCHEINSKY, A. (Org.) Educação Ambiental: Abordagens

Múltiplas. Porto Alegre: Artmed, 2002. p. 47 – 60.

SAITO, C.H. (Org) Educação Ambiental PROBIO: livro do professor. Brasília: MMA,

Departamento de Ecologia da UNB, 2006, p.136. Disponível em:

http://www.unb.br/ib/ecl/eaPROBIO/livro.pdf, acesso em: 01 de dezembro de 2006.

SOUZA, C.A. Investigação-ação escolar e resolução de problemas de física: o potencial dos

meios tecnológico-comunicativos. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de

Santa Catarina, Florianópolis, 2004.

TOMAZZETTI, C. M. Pedagogia e Infância na Perspectiva Intercultural: Implicações para

a Formação de Professores. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Santa

Catarina, Florianópolis, 2004.

TRIPP, D. Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa. São Paulo:

vol.31 n. 3, 2005, p.443-466. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1517-97022005000300009&lng=pt

&nrm=iso , acesso em 30 de Julho de 2007.

UNESCO. Educación para el Desarrollo Sostenible. Disponível em:

http://portal.unesco.org/education/es/ev.php

URL_ID=23295&URL_DO=DO_TOPIC&URL_SECTION=201.html, acesso em 24 de

Outubro de 2007.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v20i0.3853

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.