Discursos ambientalistas no campo educacional

Celeste Dias Amorim, Luiz Artur dos Santos Cestari

Resumo


Este trabalho evidencia que a introdução do discurso ambientalista no campo educacional se faz pela apropriação da reivindicação ambiental intermediados pelos valores e concepções já consolidadas no campo educacional. Por isso, este texto tem como finalidades apresentar os discursos ambientalistas mais presentes na literatura pedagógica e educacional, destacando-se a educação ambiental; a educação para a sustentabilidade; a ecoformação; a ecopedagogia e a alfabetização ecológica. Em seguida, mostrar como estas concepções e os valores contidos nelas são apropriados pela racionalidade ambiental e se constituem como uma meta educacional, isso porque, pode visualizar-se um modelo de interdisciplinaridade na constituição do domínio da Educação Ambiental no campo educacional. Assim, pautou-se na argumentação arendtiana em que os discursos permitem aos homens que se mostrem e, por isso, após as incursões em torno dos discursos ambientalistas no domínio da educação, questionou-se o que mostram ou pretendem mostrar estes sujeitos com estes discursos. Então, identificou-se como a temática do meio ambiente encontra ressonâncias no campo educacional, percebendo-se uma pluralidade de intenções ambientalistas encontrando formas diferenciadas de interação com as questões educacionais.

Palavras-chave


Educação Ambiental. Educação para a Sustentabilidade. Ecoformação. Ecopedagogia. Alfabetização Ecológica.

Texto completo:

PDF

Referências


ARENDT, H. A condição humana. Tradução Roberto Raposo. 10. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2008.

BRASIL. MEC. Um pouco da história da educação ambiental. Disponível em: . Acesso em: 20 abr. 2012a.

BRASIL. Ministério da Educação. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior. Contribuição da pós-graduação brasileira para o desenvolvimento sustentável: Capes na Rio +20. Brasília: Capes, 2012b.

BRASIL. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: . Acesso em: 03 ago. 2012.

CAPRA, F. A teia da vida: uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Tradução Newton Roberval Eíchemberg. São Paulo: Cultrix, 1996.

CAPRA, F. Alfabetização ecologia: o desafio para a educação do século 21. In: TRIGUEIRO, A. (Coord.). Meio ambiente no século 21: 21 especialistas falam da questão ambiental nas suas áreas de conhecimento. 3. ed. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. p. 18-33.

CAPRA, F. Falando a linguagem da natureza: princípios da sustentabilidade. In: STONE, M. K.; BARLOW, Z. (Orgs.). Alfabetização ecológica: a educação das crianças para o mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006. p. 46-57.

CHARLOT, B. A pesquisa educacional entre conhecimentos, políticos e práticas: especificidades e desafios de uma área de saber. Revista Brasileira de Educação, v. 11, n. 31, p. 7-18, jan./abr. 2006.

FIGUEIREDO, R. X. Analfabetismo ecológico e (des)contextualização da matemática: limites e desafios à implantação de práticas pedagógicas ambientalistas na 1ª série dos cursos de modalidade integrada, no IFBA, Vitória da Conquista, BA. 2012. 148p. Dissertação (Mestrado) - Programa Regional de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Meio Ambiente. Universidade Estadual de Santa Cruz, Ilhéus, Bahia.

GADOTTI, M. Ecopedagogia, Pedagogia da terra, Pedagogia da Sustentabilidade, Educação Ambiental e Educação para a Cidadania Planetária Conceitos e expressões diferentes e interconectados por um projeto comum. Creative Commons, 2009. Disponível em: . Acesso em 15 set. 2011.

GADOTTI, M. Pedagogia da terra: ecopedagogia e educação sustentável. In: TORRES, Carlos Alberto. Paulo Freire y la agenda de la educación latinoamericana en el siglo XXI. CLACSO, 2001. p. 81-132. ISBN: 950-9231-63-0.

HABERMAS, J. El concepto de mundo de la viva y el idealismo hermenéutico de la sociología comprensiva. In: ______. Teoria de la acción comunicativa II: crítica de la razón funcionalista. Madri: Taurus, 1992. p. 169-215.

JACOBI, P. R.. Educação ambiental: o desafio da construção de um pensamento crítico, complexo e reflexivo. Educação e Pesquisa, São Paulo, v. 31, n. 2, p. 233-250, maio/ago. 2005.

LAYRARGES, P. P. Determinismo biológico: o desafio da alfabetização ecológica na concepção de Fritjof Capra. In: ENCONTRO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO AMBIENTAL, 2., 2003.Anais... CD ROM. Rio Claro: UFSCar, 2003. p. 1-11.

LAYRARGUES, P. P. Muito além da natureza: educação ambiental e reprodução social. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; Castro, R. C. de (Orgs.). Pensamento complexo, dialética e educação ambiental. São Paulo: Cortez, 2006. p. 72-103.

LIMA, G. F. da C. Educação e sustentabilidade: possibilidade e falácias de um discurso. In: I ENCONTRO ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA EM AMBIENTE E SOCIEDADE, 1., 2002. Anais... Indaiatuba, SP, 6 a 9 novembro de 2002. 15p.

LOUREIRO, C. F. B. Educação ambiental e participação popular. In: BOZELLI, R. L.; SANTOS, L. M. F. Dos; LOPES, A. F.; LOUREIRO, C. F. B. (Org.). Curso de formação de educadores ambientais: a experiência do projeto Pólen. Macaé: NUPEM/UFRJ, 2010. cap. VII. p. 169-189.

MORIN, E. A cabeça bem-feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Tradução Eloá Jacobina. 8. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003

MORIN, E. Ciência com consciência. Tradução Maria D. Alexandre e Maria Alice Sampaio Dória. 82. ed. revista e modificada pelo Autor. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005.

ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS. O futuro que queremos. In: CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL, Rio+20, 2012, Tema 10. Documento final da conferência. Rio de Janeiro, Brasil: ONU, 20 a 22 de junho de 2012.

ORR, D. Prólogo. In: STONE, M. K.; BARLOW, Z. (Orgs.). Alfabetização ecológica: a educação das crianças para o mundo sustentável. São Paulo: Cultrix, 2006. p. 9-11.

POMBO, O. Interdisciplinaridade e integração dos saberes. Liinc em Revista, v. 1, n. 1, p. 3 -15, mar. 2005.

POMBO, O.; LEVY, T.; GUIMARÃES, H. Interdisciplinaridade: conceito, problemas e perspectivas. In: ______. A interdisciplinaridade: reflexão e experiência. 2. ed. revista e aumentada. Lisboa: ed. Texto, 1994. p. 8-14.

REIGOTA, M. Fundamentos teóricos para a realização da educação ambiental popular. Em Aberto, Brasília, v. 10, n. 49, p. 34-41, jan./mar. 1991.

SATO, M.; PASSOS, L. A. Biorregionalismo: identidade histórica e caminhos para a cidadania. In: LOUREIRO, C. F. B.; LAYRARGUES, P. P.; CASTRO, R. S. Educação ambiental: repensando o espaço da cidadania. 4. ed. São Paulo: Cortez, 2008. p. 221-252.

SILVA, A. T. R. da. Ecoformação: reflexões para uma pedagogia ambiental, a partir de Rousseau, Morin e Pineau. Desenvolvimento e Meio Ambiente, Paraná: Ed. UFPR n. 18, p. 95-104, jul./dez. 2008.

SOUZA, R. F. Uma experiência em educação ambiental: formação de valores sócio-ambientais. 2003. 125p. Dissertação (Mestrado) - Departamento de Serviço Social, PUC, Rio de Janeiro.




DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v30i1.3456

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.