AVALIAÇÃO SOCIOAMBIENTAL DOS FREQUENTADORES DA PRAIA DE MURO ALTO, MUNICÍPIO DE IPOJUCA – PE

Raimundo Nonato de Pinho Alves, Luciano Cintrão Barros

Resumo


A praia de Muro Alto esta localizada no município de Ipojuca, litoral sul de Pernambuco, entre as
praias de Camboa e Cupê. A beleza cênica formada por coqueirais, piscinas naturais e vegetação nativa faz de
Muro Alto umas das praias mais visitadas do Estado e até mesmo do Brasil. Em meados do ano de 2000 houve
uma intensificação turística no local com a implantação de resorts, flats e condomínios residenciais de alto
padrão aquisitivo. Essa expansão turística trouxe sérias mudanças socioambientais para a região tanto positivas
quanto negativas. No âmbito de diagnosticar os aspectos positivos e negativos e suas conseqüências promovidos
pelo desenvolvimento turístico, fez-se necessário uma investigação que teve como base uma pesquisa de opinião
para conhecer o perfil dos frequentadores de Muro Alto e também os principais problemas ambientais
encontrados na região. Foram aplicados in loco 100 questionários aos frequentadores da praia de Muro Alto no
mês de novembro de 2010. De acordo com os resultados obtidos pela pesquisa foi observado que a maioria das
pessoas entrevistadas são oriundas de Pernambuco, com elevado poder aquisitivo e que frequentam a praia há
pelo menos mais de 10 anos. Com relação aos impactos ambientais presentes no local, os mais relevantes de
acordo com os entrevistados foram: as atividades do Porto de Suape, em função de sua proximidade com a
região, o que pode causar diversos problemas ambientais, tais como o derramamento de óleo combustível, e a
acumulação de contaminantes; o comércio irregular na orla da praia que pode gerar acúmulo de lixo e
conseqüentemente a manifestação de insetos; a falta infraestrutura para os frequentadores sazonais; a falta de
fiscalização com a legislação ambiental vigente; a ausência de campanhas relacionada à educação ambiental
visando à preservação dos ecossistemas existentes na região e a falta de uma política para limitar as construções
de hotéis e condomínios, para não comprometer seu equilíbrio ambiental. Apesar destes problemas a praia ainda
apresenta características naturais bem peculiares, fato que promove a atração dos visitantes ao local. Os aspectos
positivos estão relacionados à geração de empregos, fato em que as atividades turísticas promovem juntamente
com as atividades consideradas informais (ambulantes), o sustento de boa parte de moradores da região.
Entretanto, a falta de planejamento urbano e a fiscalização dos órgãos competentes podem acarretar sérios
problemas à região, tais como, danos ambientais irreversíveis a toda região, que uma vez impactados
negativamente, poderão não mais ser recuperados, promovendo assim, um declive econômico na região que temcomo alicerce as paisagens naturais.

Palavras-chave


Desenvolvimento Turístico; Sustentabilidade; Meio Ambiente.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/remea.v28i0.3111

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


Direitos autorais 2014 REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado de Educação Ambiental



Indexadores
Portal de Periódicos - Capes Repositório DSpace Portal do Sistema Eletrônico de Editoração de Revistas - IBICT Diadorim Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras Google Acadêmico The Elektronische Zeitschriftenbibliothek (Alemanha) OEI - Biblioteca Digital Diretório Luso-Brasileiro Repositórios e Revistas de Acesso Aberto LATINDEX REDIB (Red Iberoamericana de Innovación y Conocimiento Científico)
Rev. eletrônica Mestr. Educ. Ambient., E-ISSN 1517-1256, ISSN 2318-4884, Rio Grande, Brasil.