O conceito de politização da maternidade como legado de pesquisa

Maria Simone Vione Schwengber, Carin Klein

Resumo


O artigo aborda argumentos engendrados por Meyer (2003; 2005; 2006; 2009) sobre o conceito de politização da maternidade. As disputas em torno da maternidade no século XXI ocorrem marcadas pelo fortalecimento dos feminismos e em resposta ao adensamento de algumas práticas culturais e políticas que operam com recursos econômicos, simbólicos e educativos em alguns eixos: o controle sobre os corpos das mulheres, a maternidade e o lugar do Estado. Apresentamos análises decorrentes de duas pesquisas de doutorado, uma com foco nas responsabilidades individuais de uma politização da maternidade e outra voltada para a responsabilização coletiva pela via das políticas de inclusão social. A primeira examina a politização do corpo grávido, e a outra discute a politização da maternidade no âmbito de políticas públicas brasileiras, sobretudo, no Primeira Infância Melhor/RS.

Palavras-chave


Politização da maternidade; gênero e educação.

Texto completo:

PDF

Referências


AURÉLIO, Dicionário On-line. Legado. Disponível em: . Acesso em: 10 março 2018.

BRASIL. Estatuto da criança e do adolescente (1990). Estatuto da criança e do adolescente: Lei n. 8.069, de 13 de julho de 1990, Lei n. 8.242, de 12 de outubro de 1991. – 3. ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação de Publicações, 2001.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 3a ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira. 2010.

FISCHER, Rosa Maria Bueno. Problematizações sobre o exercício de ver: mídia e pesquisa em educação. Revista Brasileira de Educação, Campinas: Editores Associados/ANPED, n. 20, maio/jun./jul./ago. 2002.

FOUCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Foerense, 1993.

FRAGA, Alex Branco. Exercício da informação: governo dos corpos no mercado da vida ativa. Tese de Doutorado, Programa de Pós-Graduação em educação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2005.

KLEIN, Carin. Biopolíticas de inclusão social e produção de maternidades e paternidades para uma “infância melhor”. Tese de doutorado, Educação, UFRGS, 2010. KLEIN, Carin. Discursos que concorrem para a produção de infância e maternidade em políticas de inclusão social. Textura, Canoas, v. 20, n. 43, p. 53-78, mai.- ago. 2018.

KLEIN, Carin; MEYER, Dagmar Estermann. Pedagogias da maternidade no âmbito da Política Primeira Infância Melhor/RS. Teias, ProPED, UERJ. jul.- set. 2018. No prelo.

MEYER, Dagmar Estermann. Corpo, saúde e gênero: fragmentos de histórias sobre corpos e vidas maternas. In: TORNQUIST, Carmen et al. (org.). Leituras de resistência: corpo, violência e poder. vol. II. Florianópolis, Ed. Mulheres, 2009, p. 81-103.

MEYER, Dagmar Estermann. Educação, saúde e politização da maternidade: Olhares desde a articulação entre estudos culturais e estudos de gênero. In. SILVEIRA, Rosa Maria Hessel. (org.). Cultura, poder e educação: um debate sobre estudos culturais em educação. Canoas: Ed. ULBRA, 2005, p. 145-163.

MEYER, Dagmar Estermann. Educação, saúde e modos de inscrever uma forma de maternidade nos corpos femininos. Movimento, Porto Alegre, v. 9, n.3, p. 38-52, 2003.

MEYER, Dagmar. A politização contemporânea da modernidade. Gênero: núcleo transdisciplinar de estudos de gênero – NUTEG, Niterói, v. 6, n. 1, 2006.

______. A educação da família como estratégia governamental de inclusão social: um estudo situado na interface dos Estudos Culturais, de Gênero e de Vulnerabilidade. Projeto CNPQ. Porto Alegre: UFRGS/FACED, 2004a.

______. Direitos reprodutivos e educação para o exercício da cidadania reprodutiva: perspectivas e desafios. In: FONSECA, Claudia; TERTO, Veriano; ALVES, Calef, (Orgs). Antropologia, diversidade e direitos humanos: diálogos interdisciplinares Porto Alegre: UFRGS, 2004b.

______. Gênero e Educação: teoria e política. In: LOURO, Guacira; NECKEL, Jane Felipe. Petrópolis: Vozes, 2003a.

______. Educação, saúde e modos de inscrever uma forma de maternidade nos corpos femininos. Revista movimento, Porto Alegre, v. 9, n. 3, p. 38-52, 2003b.

______. Educar e assistir corpos grávidos para gerar e criar seres humanos “saudáveis”. Educação, saúde e constituição de sujeito “de direito” e “de risco”. Porto Alegre: UFRGRS/FACED, 2002a (Projeto de pesquisa).

______. Pedagogias do Aleitamento Materno. Educação, saúde e produção de identidades de gênero. Porto Alegre: UFRGS/FAPERGS, 2002. Relatório de Pesquisa. Faculdade de Educação da UFRGS/Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul, 2002b.

______. As mamas como constituintes da maternidade: uma história do passado? Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 25, n. 2, jul./dez., 2000.

MIRA, Maria Celeste. O leitor e a banca de revistas: a segmentação da cultura no Século XX. São Paulo: Olho D’Água/FAPESP, 2001.

PARAÍSO, Marlucy. Raciocínios genereficados no currículo escolar e possibilidades de aprender. In: LEITE, Carlinda et al. (org.). Políticas, fundamentos e práticas do currículo. Porto, Porto Editora, 2011, p.147-160.

RIO GRANDE DO SUL, Secretária Estadual da Saúde. Programa Primeira Infância Melhor. Pressupostos Teóricos. Disponível em: http://www.pim.saude.rs.gov.br/v2/o-pim/pressupostos-teoricos/ s/d a. Acesso em: 13 abr. 2018.

RIO GRANDE DO SUL, Secretária Estadual da Saúde. Programa Primeira Infância Melhor. Programa Criança Feliz no RS. Disponível em: http://www.pim.saude.rs.gov.br/v2/programa-crianca-feliz-no-rs/ s/d b. Acesso em: 13 abr. 2018.

RIO GRANDE DO SUL, Secretaria da Saúde, Programa Primeira Infância Melhor, Guia da Família, 7ª ed. POA. CORAG, 2016.

RIO GRANDE DO SUL, Secretaria da Saúde, Programa Primeira Infância Melhor, Guia da Gestante, 7ª ed. POA. CORAG, 2016b. 76 p.

______ Secretaria da Saúde do Estado do Rio Grande do Sul. Programa Primeira Infância Melhor. Guia de Orientação para GTM, Monitor e Visitador. Contribuições para políticas na área do desenvolvimento infantil. Porto Alegre: Relâmpago, 2007. 70 p.

SCHWENGBER, M. S. V. Donas de si? a educação de corpos grávidos no contexto da Pais & Filhos. 2006. 192 f. Tese. (Doutorado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade Federal Rio Grande do Sul, 2006.

WALKERDINE, Valerie. O raciocínio em tempos pós-modernos. Educação & Realidade 20 (2), Porto Alegre, 1995, pp. 207-226.

YALOM, Marilyn. A história do seio. Lisboa: Teorema, 1997.

Referências dos excertos

Pais & Filhos, São Paulo, n. 253, p. 21, jan. 1990.

Pais & Filhos, São Paulo, p. 76, jun. 1974.




DOI: https://doi.org/10.14295/momento.v28i3.8406

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM




MOMENTO - Diálogos em Educação, E-ISSN 2316-3100, Rio Grande/RS, Brasil

PROPESQ
PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ PROPESQ