Diretrizes Curriculares Nacionais para formação docente: em foco as alterações de 2015

Christina Vargas Miranda Carvalho, Hélder Eterno da Silveira

Resumo


A presente pesquisa analisa os avanços, divergências ou convergências ocorridas nas Diretrizes Curriculares Nacionais para formação de professores a partir das Resoluções de 2002 e 2015 do Conselho Nacional de Educação. Evidenciamos por meio da análise dos documentos que estes mais convergem em relação às orientações para formação docente do que divergem e que, as atuais diretrizes transcende a de 2002, sendo mais minuciosa em suas informações. No tocante à formação pedagógica para graduados não licenciados, a Resolução de 2015 diverge da Resolução de 2002 ao propiciar a atuação de bacharéis e tecnólogos como docentes da Educação Básica, contrariando assim os pressupostos defendidos pelos cursos de licenciatura. Destacamos que, essas alterações somente se concretizarão mediante mudanças nas políticas públicas voltadas à educação que priorizem a profissionalização docente.

Palavras-chave


diretrizes curriculares, formação docente, reformulação.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAGÃO, Rosália Maria Ribeiro de; SANTOS NETO, Elydio dos; SILVA, Paulo Bessa da. Tratando da indissociabilidade: ensino, pesquisa e extensão. São Bernardo do Campo: UMESP, 2002.

BAPTISTA, Joice de Aguiar; SILVA, Roberto Ribeiro da; GAUCHE, Ricardo; MACHADO, Patrícia Fernandes Lootens; SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos; MÓL, Gerson de Souza. Formação de professores de Química na universidade de Brasília: construção de uma proposta de inovação curricular. Química nova na Escola, v. 31, n. 2, p. 140-149, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011. 229 p.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Lei nº 9394 de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB). Estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. Brasília: MEC, 1996.

_______. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação. Resolução nº 01 de 18 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica. Brasília: MEC/CNE/CP, 2002a.

_______. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 02 de 19 de fevereiro de 2002. Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da Educação Básica em nível superior. Brasília: MEC/CNE/CP, 2002b.

_______. Ministério da Educação, Conselho Nacional de Educação, Conselho Pleno. Resolução CNE/CP nº 02 de 01 de julho de 2015. Define as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial em nível superior e para a formação continuada. Brasília: MEC/CNE/CP, 2015.

CARVALHO, Isis Azevedo da Silva; GONÇALVES, Suzane da Rocha Vieira. Diretrizes Curriculares para a Formação de Professores: Avanços e Perspectivas para as Licenciaturas. Revista Didática Sistêmica, v. 19, n. 1, p. 83-97, 2017.

DINIZ-PEREIRA, Júlio Emílio. O ovo ou a galinha: a crise da profissão docente e a aparente falta de perspectiva para a educação brasileira. Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos, v. 92, n. 230, p. 34-51, 2011.

DOURADO, Luiz Fernandes. Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação inicial e continuada dos profissionais do magistério da Educação Básica: concepções e desafios. Educação & Sociedade, v. 36, n. 131, p. 299-324, 2015.

_________. Formação de profissionais do magistério da Educação Básica: novas diretrizes e perspectivas. Comunicação & Educação, n. 1, p. 27-39, 2016.

FRANCISCO-JR, Wilmo E.; OLIVEIRA, Ana Carolina Garcia de. Oficinas Pedagógicas: uma proposta para reflexão e a formação de professores. Química Nova na Escola, v. 37, n. 2, p. 125-133, 2015.

________; PETERNELE, Wilson Sacchi; YAMASHITA, Miyuki. A formação de professores de Química no estado de Rondônia: necessidades e apontamentos. Química Nova na Escola, v. 31, n. 2, p, 113-122, 2009.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GATTI, Bernardete A. Formação de professores no Brasil: características e problemas. Educação & Sociedade, v. 31, n. 113, p. 1355-1379, 2010.

GAUCHE, Ricardo; SILVA, Roberto Ribeiro da; BAPTISTA, Joice de Aguiar; SANTOS, Wildson Luiz Pereira dos; MÓL, Gerson de Souza; MACHADO, Patrícia Fernandes Lootens. Formação de professores de química: concepções e proposições. Química Nova na Escola, n. 27, p. 26-29, 2008.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 6 ed. São Paulo: Atlas, 2008. 200 p.

HONÓRIO, Mirtes Gonçalves; LOPES, Maria do Socorro Leal; LEAL, Francisca Lourdes Santos; HONÓRIO, Teresa Christina Torres; SANTOS, Vilmar Aires dos. As novas Diretrizes Curriculares Nacionais para formação inicial e continuada de professores da educação básica: entre recorrências e novas inquietações. Revista Ibero-Americana de Estudos em Educação, v. 12, n. 3, p. 1736-1755, 2017.

MARCOLAN, Simone Gobi; MALDANER, Otavio Aloisio. Espaços de formação continuada de professores em escolas pequenas e isoladas: uma lacuna a ser preenchida. Química Nova na Escola, v. 37, n. 3, p. 214-223, 2015.

MELLOUKI, M´Hammed; GAUTHIER, Clermont. O professor e seu mandato de mediador, herdeiro, intérprete e crítico. Educação & Sociedade, v. 25, n. 87, p. 537-571, 2004.

MOITA, Filomena Maria Gonçalves da Silva Cordeiro; ANDRADE, Fernando Cézar Bezerra de. Ensino-pesquisa-extensão: um exercício de indissociabilidade na pós-graduação. Revista Brasileira de Educação, v. 14, n. 41, p. 269-393, 2009.

PELOZO, Rita de Cássia Borguetti. Prática de Ensino e o Estágio Supervisionado enquanto mediação entre ensino, pesquisa e extensão. Revista Científica Eletrônica de Pedagogia, ano V, n.10, p. 1-7, 2007.

PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004.

SILVA, Filomena L. G. R. Plano Nacional de Educação e seus desdobramentos sobre as novas diretrizes para a formação de professores da educação profissional: identidades profissionais em construção. HOLOS, v. 6, p. 156-177, 2016.

SILVA, Kleyfton S. da; NASCIMENTO, Mayrane C. M. do; SIQUEIRA, Enaura F. V. de; SANTOS, Karla C. H. dos; ALVES, Maria R. C.; OLIVEIRA, Fernando M. de; FREITAS, Alan J. D. de; FREITAS, Johnnatan D. de. A importância do PIBID na realização de atividades experimentais alternativas no ensino de Química. Química Nova na Escola, v. 36, n. 4, p. 283-288, 2014.

SILVA, Rejane Maria G. da; SCHNETZLER, Roseli P. Concepções e ações de formadores de professores de Química sobre o estágio supervisionado: propostas brasileiras e portuguesas. Química Nova, v. 31, n. 8, p. 2174-2183, 2008.

VOLSI, Maria Eunice França. Políticas para formação de professores da Educação Básica em nível superior: em discussão as novas diretrizes nacionais para a formação dos profissionais do magistério. In: XXIV Seminário Nacional UNIVERSITAS/BR. Universidade Estadual de Maringá – UEM. Maringá, PR. 2016. p. 1505-1520.

ZANLORENZI, Maria Josélia; SANDINI, Sabrina Pla. Política docente: formação de professores e as Diretrizes Curriculares Nacionais para a formação de professores da Educação Básica. In: XIII Congresso Nacional de Educação – EDUCERE. Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR. Curitiba, PR, 2017. p. 4209-4220.




DOI: https://doi.org/10.14295/momento.v27i2.8102

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM


MOMENTO - Diálogos em Educação, E-ISSN 2316-3100, Rio Grande/RS, Brasil

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

Indexadores

PROPESQ

Indexadores

PROPESQ