Caminhos da organização temporal da alfabetização: da institucionalização escolar ao PNAIC

Autores

  • Marineiva Moro Campos de Oliveira Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste Campus de Francisco Beltrão
  • Benedita de Almeida Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Palavras-chave:

Políticas de alfabetização. Reforma educativa. PNAIC. Ciclo de alfabetização

Resumo

Este trabalho apresenta reflexões sobre elementos de permanência de políticas de alfabetização que permitem estabelecer relações entre o processo de institucionalização da educação, pela Reforma Dória de 1920, e a perspectiva de alfabetização em ciclos, presente no Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa (PNAIC). Analisam-se documentos que tratam do processo de, progressivamente, tornar a educação uma prática institucional escolar e as especificidades desse fator na alfabetização; documentos orientadores do PNAIC; e dados de entrevistas realizadas com vinte alfabetizadoras participantes do PNAIC, no município de Xaxim/SC. A análise possibilitou identificar fatores da alfabetização em ciclos e aponta que, mesmo, parecendo inovadora, a proposta de alfabetização do PNAIC repete parâmetros da institucionalização e da reforma Dória que centraram seu foco na reestruturação do tempo destinado à alfabetização.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Marineiva Moro Campos de Oliveira, Universidade Estadual do Oeste do Paraná - Unioeste Campus de Francisco Beltrão

Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Educação

Benedita de Almeida, Universidade Estadual do Oeste do Paraná

Programa de Pós-Graduação em Educação Centro de Ciências Humanas

Referências

ALVES, Gilberto Luiz. A produção da escola pública contemporânea. Campo Grande, MS: Ed. UFMS; Campinas, SP: Autores Associados, 2001.

AZEVEDO, Fernando de. A cultura brasileira. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, 1963.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Lei 15 de outubro de 1927. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/LIM/LIM-15-10-1827.htm>. Acesso em 16 jan. de 1015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Decreto 3.029 de 9 de janeiro de 1881. Disponível em: <http://www.tse.jus.br/hotSites/CatalogoPublicacoes/pdf/eleicoes-no-brasil-uma-historia-de-500-anos-2014.pdf>. Acesso em 12 jan. de 1015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Decreto 8.529 de 2 de janeiro de 1946. Disponível em <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/declei/1940-1949/decreto-lei-8529-2-janeiro-1946-458442-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em 10 jan. de 1015.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Decreto nº 6.094, de 24 de abril de 2007. Brasília: MEC, 2007. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2007/decreto/d6094.htm>. Acesso em: 18 maio 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Brasília: MEC, 2012. Disponível em: <http://pacto.mec.gov.br/2012-09-19-19-09-11>. Acesso em: 13 maio 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Pacto Nacional pela Alfabetização na Idade Certa. Brasília: MEC2014. Disponível em: <http://pacto.mec.gov.br/noticias/123-a-dinamica-do-pacto-em-2014> . Acesso em: 13 maio 2014.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Portaria nº 867. Brasília: MEC, 2012. Disponível em: <https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/UrlPublicasAction.php?acao=abrirAtoPublico&sgl_tipo=POR&num_ato=00000867&seq_ato=000&vlr_ano=2012&sgl_orgao=MEC>. Acesso em: 13 maio 2014.

BARROSO, José Liberato. A instrucção pública no Brasil. Pelotas: Seiva, 2005.

BRITO, Luiz Percival Lemes. Educação infantil e cultura escrita (Prefácio). In: FARIAS, Ana Lúcia Goulart; MELLO, Suely Amaral (org.). Linguagens infantis: outras formas de leitura. Campinas, SP: Autores Associados, 2005.

CARVALHO, Marta Maria Chagas de. Sampaio Dória. Recife: Fundação Joaquim Nabuco; Massagana. 2010.

CASTANHA, André Paulo. Regimento interno das escolas púlicas da corte de 1883: uma síntese da educação imperial. HISTEDBR: Campinas, número especial, p. 282-296, maio, 2012.

CASTANHO, Sergio Eduardo Montes. Institucionalização escolar no Brasil: 1879-1930. Campinas, 2005.

DÓRIA, Antônio de Sampaio. Como se ensina. São Paulo: Monteiro Lobato & Cia, 1923. Disponível em: <http://www.cedu.ufal.br/grupopesquisa/gephecl/comoseensina.pdf>. Acesso em 29, dez. 2014.

DUARTE, Newton. O debate contemporâneo das teorias pedagógicas. In: DUARTE, Newton. ; MARTINS, Lígia Márcia (orgs). Formação de professores: Limites contemporâneos e alternativas necessárias. São Paulo: Cultura Acadêmica, 2010.

FARIA FILHO, Luciano Mendes de. Dos pardieiros aos palácios: cultura escolar e urbana em Belo Horizonte na Primeira República. Passo Fundo: UPF, 2000.

GEBARA, Ademir. Em torno da questão cultural e da educação: os processos civilizadores. In: CARVALHO, Alonso B. de; BRANDÃO, Carlos da F. Introdução à sociologia da cultura: Marx Weber e Norbert Elias. São Paulo: Avercamp, 2005.

HONORATO, Tony. Instituição escolar e civilidade em tempos republicanos. VII Colóquio e pesquisa sobre Instituições escolares. UNINOVE, São Paulo, 2010.

MAGALHÃES, Justino. A história das instituições educacionais em perspectiva. São Paulo: Autores Associados, 2005.

MATHIESON, Louise Campbell. O militante e o pedagogo Antônio de Sampaio Doria: a formação do cidadão republicano. Dissertação (Mestrado em Educação) Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

MORTATTI, Maria do Rosário Longo. História dos métodos de alfabetização no Brasil. Conferência realizada no Seminário de Alfabetização e letramento em debate. Brasília: Abril, 2006.

_______. Alfabetização no Brasil: conjecturas sobre as relações entre políticas públicas e seus sujeitos privados. Revista Brasileira de Educação, v.15, n. 44, maio/ago., 2010, p. 329- 410.

NEVES, Lúcia Maria Wanderley. A nova pedagogia da hegemonia: estratégias das burguesia brasileira para educar o consenso na atualidade. São Paulo: Xamã, 2005

SAVIANI, Demerval. Trabalho didático e história da educação: enfoque histórico pedagógico. In: Brito, Silvia Helena Andrade; Centeno, Carla Villamaina; Lombardi, José Claudinei; Saviani, Demerval (org.) A organização do trabalho didático na história da educação. Campinas: Autores Associados 2010.

SOUZA, Rosa Fátima de. Templos de civilização. São Paulo, Editora da UNESP, 1998.

SPENCER, Herbert. Educação: intelectual, moral e physica. Rio de Janeiro: Laemmert & C., 1901.

ZOTTI, Solange Aparecida. Organização do ensino primário no Brasil: uma leitura da história do currículo oficial. In: LOMBARDI, José Claudinei; SAVIANI, Demerval; NASCIMENTO, Maria Isabel Moura (org.). Navegando pela história da educação brasileira. Campinas: Gráfica Faculdade de Educação, 2006. p.1-27. CD-ROM.

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2016-08-30

Como Citar

Campos de Oliveira, M. M., & Almeida, B. de. (2016). Caminhos da organização temporal da alfabetização: da institucionalização escolar ao PNAIC. Momento - Diálogos Em Educação, 24(1), 119–138. Recuperado de https://periodicos.furg.br/momento/article/view/5047

Edição

Seção

Artigos