Notas sobre a sociogenia, o racismo e o sofrimento psicossocial no pensamento de Frantz Fanon

Notes on sociogeny, racism and psychosocial suffering in the thinking of Frantz Fanon

Autores

  • Deivison Faustino Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais - PGSSPS da Universidade Federal de São Paulo, Campos Baixada Santista https://orcid.org/0000-0002-3454-7966

Palavras-chave:

Frantz Fanon, reconhecimento, racialização

Resumo

Este artigo apresenta, de maneira introdutória, algumas reflexões de Fanon sobre os efeitos do racismo na subjetividade das pessoas negras. Este processo, aqui nomeado como interdição do reconhecimento intersubjetivo, é marcado pela reificação colonial da imagem do negro e a consequente interiorização desta referencial. Discute-se as noções Fanonianas de Colonialismo, Racismo e Racialização para, em seguida apresentar alguns diálogos entre Hegel e Fanon a respeito do reconhecimento intersubjetivo, o colonialismo e as suas consequências para o contrato narcísico em situações de discriminação sistêmica.

Biografia do Autor

Deivison Faustino, Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais - PGSSPS da Universidade Federal de São Paulo, Campos Baixada Santista

Mestre em ciências da saúde (2010) e doutor em Sociologia (2015).  É Professor do Programa de Pós-Graduação em Serviço Social e Políticas Sociais da Universidade Federal de São Paulo e intergrante do Insituto Amma Psique e Negritude. É autor dos livros "Frantz Fanon: um revolucionário, particularmente negro" (2018) e "A disputa em torno de Frantz Fanon: a teoria e a política dos fanonismos contemporâneos" (2020). 

Downloads

Publicado

2021-02-26