Crianças “desvalidas” e o dever de trabalhar:

ensino profissional e assistência à infância pobre no século XIX em Fortaleza (CE)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11896

Palavras-chave:

Ensino profissional. Infância pobre. Trabalho.

Resumo

O artigo trata da implantação do ensino profissional para meninos e meninas órfãs e pobres na cidade de Fortaleza (CE) durante a segunda metade do século XIX. Foram analisadas duas instituições de recolhimento infantil voltadas ao trabalho: o Colégio de Educandos Artífices e o Colégio da Imaculada Conceição. Tais instituições foram criadas com o propósito de ordenar e qualificar o trabalho de crianças, estimulado no período e defendido como assistência aos “desvalidos”, além de propagado como prevenção à ociosidade e à criminalidade. Observou-se que o ensino profissional ofertado no século XIX estava ligado aos mecanismos de ajuste das crianças para atender demandas do crescimento econômico e espacial da cidade. O estudo tomou como fontes os regulamentos dos colégios, jornais do período e documentos oficiais da província.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Cristina Pereira Lima, Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN)

Doutora em História pela UFC, Professora do IFRN Canguaretama

Referências

ANDRADE, Margarida Julia Farias de Salles. Fortaleza em perspectiva histórica: poder público e iniciativa privada na apropriação e produção material da cidade (1810-1933). 2012. 297 p. Tese (Doutorado em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2012.

AZEVEDO, Gislane. A Tutela e o contrato de soldada: a Reinvenção do Trabalho Compulsório Infantil. História Social. Campinas, n. 3, p. 11-36, 1996.

BOTIN, Lívia Maria. Trajetórias cruzadas: meninos (as), moleques e juízes em Campinas (1866-1899). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Estadual de Campinas, Campinas, SP, 2007.

LEITE, Mirian Moreira. A infância no século XIX segundo memórias e livros de viagem. In: FREITAS, Marcos Cesar de. (Org.). História Social da Infância no Brasil. 8ª ed. São Paulo: Cortez, 2001.

LAGE, Ana Cristina Pereira. Conexões Vicentinas: Particularidades políticas e religiosas da educação confessional em Mariana e Lisboa oitocentistas. Tese (Doutorado em Educação) – Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

LAPA, J. Os Excluídos: contribuição à História da Pobreza no Brasil, 1850-1930. Campinas: Unicamp, 2008.

LIMA, A.C.P, Mulheres, crianças e juízes de órfãos: família e trabalho infantil nos oitocentos. Bilros, Fortaleza, v. 7, n. 14, p. 67-84, jan.-abr., 2019.

PAPALI, Maria Aparecida. A legislação de 1890, mães solteiras pobres e o trabalho infantil. Projeto História. São Paulo, n.39, p. 209-216, jul./dez. 2009.

RIZZINI, Irene; RIZZINI Irma. A institucionalização de crianças no Brasil: percurso histórico e desafios do presente. Rio de Janeiro: Ed. PUC-Rio; São Paulo: Loyola, 2004.

SCOTT, James. Exploração normal, resistência normal. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, nº 5, p. 217-243, jan./jun. 2011.

SILVA, Bárbara Eliza Soares. Uma história da educação: a invenção da instrução pública na província do Ceará (1858-1889). 2012. 137 f. Dissertação (mestrado em história) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2012.

SOARES, Maria Norma Maia. Colégio da Imaculada Conceição: Roteiro para uma visita ao passado. Fortaleza: Editorial Cearense, 1990, p. 24.

SOUZA, Josinete Lopes de. Da Infância “Desvalida” à Infância “Delinquente”: Fortaleza (1865 – 1928). 1999. 219 f. Dissertação (Mestrado em História) − Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 1999

THOMPSON. Costumes em comum: Estudos sobre a cultura popular tradicional. São Paulo: Cia das Letras,

Downloads

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Lima, A. C. P. (2021). Crianças “desvalidas” e o dever de trabalhar:: ensino profissional e assistência à infância pobre no século XIX em Fortaleza (CE). Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 91–108. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11896