Política Externa Migratória do Brasil: a política imigratória brasileira

Autores

  • Roberto Rodolfo Georg Uebel Escola Superior de Propaganda e Marketing https://orcid.org/0000-0002-4520-9460
  • Sonia Ranincheski (in memoriam) Universidade Federal do Rio Grande do Sul

DOI:

https://doi.org/10.14295/cn.v2i3.12219

Palavras-chave:

Política Externa Brasileira, Migrações Internacionais, Política Imigratória

Resumo

Este artigo apresenta a Política Externa Migratória do Brasil (PEXMB). Surgida em um contexto de assertividade da Política Externa Brasileira (PEB), no período de 2003 a 2016, onde cerca de 2,1 milhões de imigrantes e solicitantes de refúgio chegaram no país, a PEXMB se configura como a política migratória do Brasil, dependente da PEB e das agendas do Ministério das Relações Exteriores. Analisaremos como este conceito surgiu a partir de eixos de inserção estratégica do Brasil em duas regiões específicas: América Latina e África. Os resultados apontam que a sua sustentação se deu por pilares como as participações brasileiras em missões humanitárias, a concessão de bolsas de estudo e pesquisa para estrangeiros, a criação do visto humanitário, a emissão e isenção de vistos para grandes eventos desportivos, a discussão e tramitação da nova Lei de Migração e a imigração subsidiada por meio do Programa Mais Médicos, tudo em um curto período, que chamaremos de hiperdinamização das migrações.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Roberto Rodolfo Georg Uebel, Escola Superior de Propaganda e Marketing

Doutor em Estudos Estratégicos Internacionais (UFRGS). Professor de Relações Internacionais da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM-POA).

Sonia Ranincheski (in memoriam), Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Doutora em Estudos Comparados sobre as Américas (UnB). Professora do Departamento de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. (in memoriam)

Referências

BRASIL. Câmara dos Deputados. Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Evento: Audiência Pública. Reunião nº: 0512/14. Brasília, DF: Departamento de Taquigrafia, Revisão e Redação, 7 maio 2014. Disponível em: <https://goo.gl/2pFgNX>. Acesso em: 03 jul. 2019.

BRASIL. Senado Federal. Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Notas taquigráficas: 03/09/2015 - 31ª - Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional. Brasília, DF, 3 set. 2015. Disponível em: <https://www25.senado.leg.br/web/atividade/notas-taquigraficas/-/notas/r/3727>. Acesso em: 03 jul. 2019.

COGO, Denise. Haitianos no Brasil: comunicação e interação em redes migratórias transnacionais. Chasqui – Revista Latinoamericana de Comunicación, Quito, n. 125, p. 23-32, mar. 2014. Disponível em: <http://revistachasqui.org/index.php/chasqui/article/view/39>. Acesso em: 03 jul. 2019.

DILMA demite ministro Patriota após episódio com senador boliviano. In: G1. Política. Brasília, 26 ago. 2013. Disponível em: <http://g1.globo.com/politica/noticia/2013/08/dilma-demite-ministro-patriota-apos-episodio-com-senador-boliviano.html>. Acesso em: 03 jul. 2019.

DILMA foi alvo de espionagem dos EUA, diz TV. In: UOL NOTÍCIAS. Internacional. São Paulo, 02 set. 2013. Disponível em: <https://noticias.uol.com.br/internacional/ultimas-noticias/2013/09/02/dilma-foi-alvo-de-espionagem-dos-eua-diz-reportagem.htm>. Acesso em: 03 jul. 2019.

DISCURSO do Ministro Antonio de Aguiar Patriota por ocasião da cerimônia de transmissão do cargo de Ministro de Estado das Relações Exteriores. In: MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES. Discursos. Brasília, 02 jan. 2011. Disponível em: <http://www.itamaraty.gov.br/pt-BR/discursos-artigos-e-entrevistas-categoria/ministro-das-relacoes-exteriores-discursos/4572-discurso-do-ministro-antonio-de-aguiar-patriota-na-cerimonia-de-transmissao-do-cargo-de-ministro-de-estado-das-relacoes-exteriores>. Acesso em: 03 jul. 2019.

FAMÍLIAS de refugiados afegãos deixam o Brasil. In: O Estado de São Paulo. Internacional. São Paulo, 20 maio 2003. Disponível em: <https://internacional.estadao.com.br/noticias/geral,familias-de-refugiados-afegaos-deixam-o-brasil,20030520p29112>. Acesso em: 03 jul. 2019.

FONSECA, Carmen. A política externa brasileira da democracia: O paradoxo da mudança na continuidade?. Relações Internacionais, Lisboa, n. 29, p. 33-43, mar. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1645-91992011000100003&lng=pt&nrm=iso>. Acesso em: 03 jul. 2019.

GREEN, Nancy L. Expatriation, Expatriates, and Expats: The American Transformation of a Concept. The American Historical Review, Oxford, v. 114, n. 2, p. 307-328, abr. 2009. Disponível em: < https://www.jstor.org/stable/30223780>. Acesso em: 03 jul. 2019.

ISRAEL chama Brasil de 'anão diplomático' por convocar embaixador. In: G1. Mundo. São Paulo, 24 jul. 2014. Disponível em: <http://g1.globo.com/mundo/noticia/2014/07/israel-lamenta-decisao-do-brasil-de-convocar-embaixador-em-tel-aviv.html>. Acesso em: 03 jul. 2019.

MERCOSUL rejeita novas regras de imigração da UE. In: BBC Brasil. Repórter BBC. San Miguel de Tucumán, 01 jul. 2008. Disponível em: <https://www.bbc.com/portuguese/reporterbbc/story/2008/07/080630_mercosulcupulaimigracao_mc_ac.shtml>. Acesso em: 03 jul. 2019.

MINBAEVA, Dana B.; MICHAILOVA, Snejina. Knowledge transfer and expatriation in multinational corporations: The role of disseminative capacity. Employee Relations, Bingley, v. 26, n. 6, p. 663-679, 2004. Disponível em: <https://doi.org/10.1108/01425450410562236>. Acesso em: 03 jul. 2019.

POLÍTICA de imigração brasileira precisa ser revista, diz Amorim. In: O GLOBO. Brasil. Rio de Janeiro, 13 jan. 2012. Disponível em: <https://oglobo.globo.com/brasil/politica-de-imigracao-brasileira-precisa-ser-revista-diz-amorim-3660191>. Acesso em: 03 jul. 2019.

REIS, Rossana Rocha. A Política do Brasil para as Migrações Internacionais. Contexto Internacional, Rio de Janeiro, v. 33, n. 1, p. 47-69, jan./jun. 2011. Disponível em: <http://contextointernacional.iri.puc-rio.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=545&sid=75>. Acesso em: 03 jul. 2019..

SASSEN, Saskia. Una sociología de la globalización. Buenos Aires: Katz Editores, 2007.

SEYFERTH, Giralda. Imigrantes, estrangeiros: a trajetória de uma categoria incomoda no campo político. In: 26ª Reunião Brasileira de Antropologia, 2008, Porto Seguro. Anais da 26ª Reunião Brasileira de Antropologia. Brasília: Associação Brasileira de Antropologia, 2008. Disponível em: <http://www.abant.org.br/conteudo/ANAIS/CD_Virtual_26_RBA/mesas_redondas/trabalhos/MR%2012/giralda%20seyferth.pdf>. Acesso em: 03 jul. 2019.

SANTOS, Milton. Fim de século e globalização. São Paulo: Hucitec, 1993.

SOUZA, Jessé. A Elite do Atraso. São Paulo: LeYa, 2017.

UEBEL, Roberto Rodolfo Georg. Migrações internacionais e agência estatal: o estado da arte no Brasil. Beau Bassin: Novas Edições Acadêmicas, 2017.

UEBEL, Roberto Rodolfo Georg. Política externa migratória brasileira: das migrações de perspectiva à hiperdinamização das migrações durante os governos Lula da Silva e Dilma Rousseff. Tese de Doutorado em Estudos Estratégicos Internacionais, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018. Disponível em: <http://hdl.handle.net/10183/188410>. Acesso em: 03 jul. 2019.

VIZENTINI, Paulo Fagundes. De FHC a Lula: Uma década de política externa (1995-2005). Civitas, Porto Alegre, v. 5, n. 2, p. 381-397, jul./dez. 2005. Disponível em: <https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/144014/000527985.pdf?sequence=1>. Acesso em: 03 jul. 2019.

Downloads

Publicado

— Atualizado em 2021-04-21

Como Citar

GEORG UEBEL, R. R.; RANINCHESKI (IN MEMORIAM), S. Política Externa Migratória do Brasil: a política imigratória brasileira. Revista Campos Neutrais, Rio Grande, RS, v. 2, n. 3, p. 87–112, 2021. DOI: 10.14295/cn.v2i3.12219. Disponível em: https://periodicos.furg.br/cn/article/view/12219. Acesso em: 29 nov. 2021.