Amizade e educação: reflexões sobre o pensamento de Hannah Arendt e as estórias do sertão de João Quimarães Rosa

Carlos Eduardo Gomes Nascimento

Resumo


O ensaio debate a relação entre a noção de educação no pensamento de Hannah Arendt e as estórias do sertão de João Guimarães Rosa, a partir da concepção da amizade. A filósofa concebe a educação como um espaço de mediação e cuidado entre as gerações, em que a mais antiga tem a responsabilidade de introduzir os novos no mundo. Nesse contexto, aborda-se a possibilidade de pensar a ideia da educação que narre estórias, criando um laço de amizade entre gerações no mundo. Mediante o pensamento de Hannah Arendt e narrativa do sertão de João Guimarães Rosa reflete-se uma educação como amizade na responsabilidade que os educadores têm em transmitir um legado, herança cultural, às futuras gerações. A narrativa de estórias, pérolas cristalizadas, pode vir a ser um outro caminho para reconciliar as gerações e repensar a educação.

Palavras-chave


educação; amizade; narrativas; Hannah Arendt; Guimarães Rosa

Texto completo:

PDF

Referências


AGUIAR, Odílio Alves. A amizade como amor mundi em Hannah Arendt. O Que Nos Faz Pensar, Rio de Janeiro, v.

, n. 28, p. 131-144, dez. 2010.

ALMEIDA, Vanessa Sievers de. Educação em Hannah Arendt: entre o mundo deserto e o amor ao mundo. São Paulo:

Cortez, 2011.

ARENDT, Hannah. A condição humana. 13ª ed. Trad. Roberto Raposo. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2016a.

______. A vida do espírito. 5ª ed. Trad. Abranches Almeida e Martins. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016b.

______. A dignidade na política. Trad. Helena Martins. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 2006.

______. Entre o passado e o futuro. 6ª ed. Trad. Mauro W. Barbosa. São Paulo: Perspectiva, 2011.

______. Homens em tempos sombrios. Trad. Denise Bottmann. São Paulo: Companhia das Letras, 2015.

______. Responsabilidade e julgamento. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.

CANDIDO, Antônio. Tese e antítese: ensaios. 4ª ed. São Paulo: T. A. Queiroz, 2000.

CARVALHO, José Sérgio Fonseca de. Educação, uma herança sem testamento: diálogos com o pensamento de Hannah

Arendt. São Paulo: Perspectiva, 2017.

HEUER, Wolfgang. Amizade política pelo cuidado com o mundo. História: Questões & Debates, Curitiba, n. 46, p. 91-

, 2007.

LAÉRCIO, Diógenes. Vidas e doutrinas dos filósofos ilustres. Trad. Mário da Gama Kury. Brasília: Ed. da UnB, 2008.

LESSING, Gotthold Ephraim. Três peças. Trad. Marcelo Backes. São Paulo: Topbooks, 2015.

PLATÃO. Apologia de Sócrates. In: ______. Os pensadores. São Paulo: Abril, 1972.

______. Hipias maior. Trad. Carlos Alberto Nunes. Belém: Ed. da UFPA, 1980.

ROSA, João Guimarães. Grande sertão: veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

STARLING, Heloísa. A outra margem da narrativa: Hannah Arendt e João Guimarães Rosa. In: JARDIM, Eduardo;

BIGNOTTO, Newton (Org.). Hannah Arendt: diálogos, reflexões, memórias. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2001.

YOUNG-BRUEHL, Elizabeth. Hannah Arendt, por amor ao mundo. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1997.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 Cadernos Literários