Obtenção e aplicação de filmes bioativos nanocompósitos de isolado proteico de frango e nanoargilas

Autores

  • Carlos Prentice-Hernández Universidade Federal do Rio Grande, Avenida Itália Km 8 s/n Campus Carreiros 96203-900 Rio Grande/RS – BRASIL

Palavras-chave:

isolado proteico, frango, montmorilonita, bioatividade

Resumo

A demanda por produtos que não agridam o ambiente com menos aditivos sintéticos, e que contribuam para redução dos resíduos industriais, associada à qualidade dos produtos que possibilitem o aumento de vida útil leva a produção de filmes com propriedades antioxidantes e/ou antimicrobianos com o intuito de serem aplicados como protetores de frutas, carnes, dentre outros produtos perecíveis. O presente trabalho teve por objetivo avaliar filmes bioativos nanocompósitos obtidos a partir de isolado proteico de CMS de frango, acrescidos de nanoargilas com sais de amônio quaternário, determinando sua bioatividade antioxidante e antimicrobiana, e por fim o estudo de vida útil de carne suína. Como resultados foram obtidos valores de 92,2% de proteína de isolado proteico de CMS de frango, os filmes elaborados apresentaram um aumento na resistência à tração conforme aumento adição do nanoargila, enquanto que na elongação não houve diferença significativa conforme a adição de nanoargila, apresentaram menor solubilidade e permeabilidade nas maiores concentrações de nanoargila. No que diz respeito a atividade antimicrobiana, os filmes bioativos nanocompósitos apresentaram um halo de efeito bacteriostático, nas concentrações de 0,75% de nanoargila modificada para Staphylococcus aureus, e também apresentaram forte atividade antioxidante nas análises de DPPH e para o poder redutor, onde foi verificada que a nanoargila pode vir a influenciar positivamente, sendo que, a mesma acaba por reduzir o potencial antioxidante. Nas propriedades térmicas e ópticas em geral apresentaram-se firmes, coesos e resistente, para a vida útil foi verificada um diferença significativa entre as contagens de microrganismos mesófilos e psicrotróficos no 9º dia de armazenamento que variaram 0,84 a 0,97 log UFC/g, com a adição da nanoargila foi verificada uma menor perda de massa na carne suína, entretanto a embalagem de policloreto de vinila tipicamente comercial apresentou o melhor resultado significativo neste item. Em geral, foi possível concluir que os filmes bioativos nanocompósitos são eficientes como material de embalagem para alimentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Carlos Prentice-Hernández, Universidade Federal do Rio Grande, Avenida Itália Km 8 s/n Campus Carreiros 96203-900 Rio Grande/RS – BRASIL

Escola de Química e Alimentos; Laboratório de Tecnologia de Alimentos

Downloads

Publicado

2020-06-09

Como Citar

Prentice-Hernández, C. (2020). Obtenção e aplicação de filmes bioativos nanocompósitos de isolado proteico de frango e nanoargilas. VETOR - Revista De Ciências Exatas E Engenharias, 27(2), 64–84. Recuperado de https://periodicos.furg.br/vetor/article/view/7081

Edição

Seção

Artigos