Entre chegadas e partidas:

do Projeto Alternativas ao Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua (Brasil, década de 1980)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11998

Palavras-chave:

Crianças. Rua. Movimentos Sociais

Resumo

A partir da década de 1970, o Brasil e outros países da América Latina vivenciaram o intenso crescimento urbano e das desigualdades sociais. A partir do cenário de violação de direitos, a Igreja Católica, organizaram-se politicamente para produzir ações assistenciais de atendimento em relação as crianças em situação de rua. Nesse processo, foi criada a Pastoral do Menor e outras organizações que questionavam a cultura filantrópica e caritativa, na qual fundamentavam as legislações e políticas vigentes. Diante das pressões sociais, órgãos governamentais e o Fundo das Nações Unidas pela Infância (Unicef), também desenvolveram diferentes ações, entre elas o Projeto Alternativas de Atendimento aos Meninos e Meninas de Rua. Objetiva-se analisar a atuação do Projeto Alternativas e sua relação com do Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua, colocando em tela um problema social historicamente produzido e as novas subjetividades em relação às crianças e adolescentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Humberto Silva Miranda, Universidade Federal Rural de Pernambuco

Departamento de Educação Programa de Pós-Graduação em História Programa de Pós-Graduação em Educação, Culturas e Identidades - UFRPE

Referências

AREND, Silvia Maria Fávero. Convenção sobre os Direitos da Criança: em debate o labor infanto-juvenil (1978 - 1989). Revista Tempo e Argumento, v. 7, n. 14, p. 1-12, 2015.

BOEIRA, Daniel Alves. CPI do Menor: infância, ditadura e políticas públicas (Brasil, 1975-1976). Tese (Doutorado). Programa de Pós-Graduação em História UDESC, Florianópolis, SC, 2018.

BRUM, Mario Sergio Ignácio. Opção pelos pobres: a Pastoral de Favelas e a reorganização do Movimento de Favelas no Rio de Janeiro na redemocratização. Revista Estudos Históricos, Rio de Janeiro, v. 31, n. 65, p. 413-432, set./dez. 2018.

BUTLER, Judith. Corpos em aliança e a política das ruas: motas para uma teoria performativa de assembleia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2018.

BUTLER, Judith. Quadros de Guerra: quando a vida é passível de luto? Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2017.

CAMURÇA, Marcelo Ayres. A militância de esquerda (cristã) de Leonardo Boff e Frei Betto: da Teologia da Libertação à mística ecológica. In: FERREIA, Jorge; REIS, Daniel Aarão. Revolução e Democracia 1964... Rio de janeiro: Civilização brasileira, 2007.

CLAI. Conselhos Latino-americano de Igrejas. Consulta: Alternativas de Atendimento a meninos e meninas de rua (Informe Final). São Paulo: CLAL, 1985.

COSTA, Alderon Pereira da; DIAS, Arlindo Pereira. Nem tudo o rio arrasta. In: ROSA, Cleisa Moreno Maffei. Vidas de Rua. São Paulo: Editora Hucitec, 2005. (p. 15 – 19)

FUNABEM. Projeto Prevenção e Redução da Violência contra Crianças e Adolescentes. Rio de Janeiro: Funabem, [1989]

GREGORI, Maria Filomena. Viração: experiências de meninos nas ruas. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.

LANCELOTTI, Júlio. O menor de rua no Brasil, a situação de São Paulo. Conselhos Latino-americano de Igrejas. Alternativas de Atendimento a meninos e meninas de rua (Informe Final). São Paulo: CLAL, 1985.

MARCÍLIO, Maria Luiza. História Social da Criança abandona. São Paulo: Editora Hucitec, 2006.

MIRANDA, Humberto da Silva. Nos tempos das Febems: memórias de infâncias perdidas (Pernambuco / 1964-1985). 2014. 348f. Tese (Doutorado), Programa de Pós-Graduação em História, UFPE, Recife, 2014.

MNMMR. Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua. Trajetória da luta em defesa da criança e do adolescente. São Paulo: MNMMMR, 1994.

RIZZINI, Irene. Deserdados da Sociedade: os “meninos de rua” da América Latina. Rio de Janeiro: Editora Santa Úrsula, 1995.

ROSSATO, Geovanio Edervaldo. Infância abandonada e Estado Infância abandonada e Estado de Bem-Estar no Brasil: de menor marginalizado a meninos e meninas de rua marginalizado. Acta Scientiarum. Human and Social Sciences, Maringá, v. 30, n. 1, p. 17-24, 2008.

UNICEF; SAS; FUNABEM. I Seminário Latino-americano sobre Alternativas Comunitárias para Meninos de Rua Relatório. Rio de Janeiro: Unicef, 1987.

UNICEF; SAS; FUNABEM. IV Seminário de Estudos sobre Alternativas de Atendimento aos meninos de rua. Rio de Janeiro: Unicef, 1985.

Pedro, Joana Maria. O feminismo de “Segunda Onda”. In: PINSKY, C. & PEDRO, Joana Maria (org). Nova História das mulheres no Brasil. São Paulo: Contexto, 2012. 63 – 83.

SADER, Eder. Quando novos personagens entraram em cena: experiências e lutas dos trabalhadores da grande São Paulo - 1970/1980. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988.

Downloads

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Miranda, H. S. (2021). Entre chegadas e partidas:: do Projeto Alternativas ao Movimento Nacional de Meninos e Meninas de Rua (Brasil, década de 1980). Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 200–222. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11998