Educação infantil indígena:

o direito, a participação dos povos e as práticas institucionais

Autores

  • Luciana Regina Andrioli Prefeitura Municial de Maringá
  • Rosangela Célia Faustino UEM

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11997

Palavras-chave:

Crianças Kaingang. Educação Infantil Indígena Professores Indígenas

Resumo

Dados Censitários (INEP, 2017), indicam um expressivo aumento no número de matrículas na educação básica nas escolas localizadas em Terras Indígenas. Discutimos neste artigo a Educação Infantil Indígena, tema pouco abordado, e um direito recente no Brasil. Problematizamos as políticas e orientações para essa etapa da educação básica, a participação indígena e o papel das famílias na educação infantil em uma comunidade Kaingang no Paraná, evidenciando aspectos da infância e da educação indígena, a formação e os dados sobre os professores da educação infantil, o espaço, as práticas e materiais didáticos, buscando explicitar a inserção da criança indígena na escola com a presença de mães indígenas que acompanham o processo. Essas discussões resultam de uma pesquisa documental e empírica com aporte da Teoria Histórico-Cultural. Os resultados evidenciam que os povos indígenas, em sua resistência organizada, atuam em espaços institucionais locais e governamentais, visando à inclusão no sistema de ensino, porém com ações para ressignificá-lo.

 

 

Palavras-Chave: Crianças Kaingang. Educação Infantil Indígena Professores Indígenas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Luciana Regina Andrioli, Prefeitura Municial de Maringá

Graduada em Pedagogia (2009) e Mestre em Educação (2012) pela Universidade Estadual de Maringá. Doutora em Educação pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Estadual de Maringá. Especialista em Atendimento Educacional Especializado .Tutora na Educação a Distância junto ao NEAD/Núcleo de Educação a Distância da Universidade Estadual de Maringá (2012 /2014/ 2016/ 2017/ 2018). Especialista em Teoria Histórico Cultural (2014). Professora da Educação Básica na rede municipal de ensino de Maringá.

Rosangela Célia Faustino, UEM

Pós-Doutora em Conhecimento e Inclusão Social em Educação (FAE/UFMG-MG). Doutora em Educação (PPGE/UFSC). Mestre em Fundamentos da Educação (PPE/UEM). Graduada em Pedagogia (FAINSEP) e História (UEM). É Professora das licenciaturas de Pedagogia (UEM/PR) e Pedagogia Indígena (UNICENTRO/PR). É avaliadora do MEC/INEP no Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Atua no Programa de Pós-Graduação em Educação PPE/UEM-PR (Mestrado e Doutorado), Linha: Politicas e Gestão da Educação. É chefe do Departamento de Teoria e Prática da Educação - DTP/UEM (Gestão 2020/2022), coordenadora do GEPEI - Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Indígena no Paraná, coordenadora do Programa Saberes Indígenas na Escola/SIE (MEC/SEMESP) - Rede (UFES, UFMG, USP, UEM, UFSC, UFRGS).

Referências

ALVARES, M. M. Kitoko Maxakali:a criança indígena e os processos deformação, aprendizagem e escolarização. Revista ANTHROPOLÓGICAS, ano 8, vol. 15(1), 2004.

ANDRIOLI, L.R; FAUSTINO, R.C. Vivências de crianças indígenas kaingang na cidade: elementos para a aprendizagem e o desenvolvimento. Revista Humanidades e Inovação v.6, n.15,p. 54-69, 2019, Disponível em: https://revista.unitins.br/index.php/humanidadeseinovacao/article/view/1541. Acesso: 29 nov. 2019.

ARCE, A; JACOMELI, M. R. M. Educação Infantil versus EDUCAÇÃO ESCOLAR? Entre a (des)escolarização e a precarização do trabalho pedagógico nas salas de aula. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

BORNIOTTO, M. L. S. Políticas de inclusão e formação superior de estudantes indígenas no Paraná: experiências da Universidade Estadual de Maringá. 323 f. Tese. (Doutorado em Educação) – Programa de Pós Graduação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá, 2017.

BRASIL. Censo escolar da educação básica 2016 - Notas Estatísticas Brasília-DF | Fevereiro de 2017.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm. Acesso em: 10 Jan. 2014.

BRASIL. Lei nº 13.005, de 25 junho de 2014.Aprova o Plano Nacional de Educação - PNE e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm. Acesso em: 20 jul. 2014.

BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Planejando a Próxima Década - Conhecendo as 20 Metas do Plano Nacional de Educação. Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/SASE), 2014.

BRASIL. Lei nº 12.796, de 4 de abril de 2013. Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para dispor sobre a formação dos profissionais da educação e dar outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2013/lei/l12796.htm>. Acesso em: 10 Jan. 2014.

BRASIL.Resolução CD/ FNDE nº 9, de 1º de abril de 2009. Institui critérios, parâmetros e procedimentos para a assistência técnica e financeira, para a realização daI CONEEI e implementação dos Territórios Etnoeducacionais. Brasília, DF, 2009. Disponível em: http://www.fnde.gov.br/index.php/leg-res-2009. Acesso em: 23 mar. 2011.

CHAVES, M. Leontiev e Blagonadezhina: estudos e reflexões para considerar a organização do tempo e do espaço na Educação Infantil. Revista Teoria e Prática da Educação , Maringá: DTP, v. 17, n. 3, p. 81-91, jan./abr. 2014b. Disponível em: http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/TeorPratEduc/article/view/28210.Acesso em: 17 out. 2016.

CHAVES, M; LIMA, E. A. de; GROTH, J. C. Literatura infantil e arte: uma possibilidade de realização humanizadora em cursos de formação de professores. In: CHAVES, M; LIMA, E. A. de; FERRAREZE, S. Teoria Histórico-Cultural e formação de professores: Estudos e intervenções humanizadores. Maringá: Programa Interdisciplinar de Estudos e Populações. Laboratório de Arqueologia, Etnologia e Etno-História, UEM, 2012

CODONHO, C. G. Aprendendo entre pares:a transmissão horizontal de saberes entre as crianças indígenas Galibi-Marworno. 2007. Dissertação (Mestrado em Antropologia Social) – Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2007.

CRUZ, G. A Da.As políticas públicas educacionais: A (In)Visibilidade Da Educação Infantil Indígena em Dourados - Mato Grosso Do Sul. Revista Eventos Pedagógica. Número Regular: Formação de Professores e Desafios da Escola no Século XXI Sinop, v. 7, n. 2 (19. Ed.), p. 783-797, jun./jul. 2016.

ELKONIN, D. B. O objeto das pesquisas é a forma da atividade lúdica das crianças. Psicologia do Jogo. Tradução de Álvaro Cabral. 2º ed. São Paulo: WMF Martins Fontes, 2009.

FACCI, M. G. D. O trabalho do professor na perspectiva da Psicologia Vigotskiana. In: ____. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor?. Campinas, São Paulo: Autores Associados, 2004, 195-250.

FACCI, M. G. D. Valorização ou esvaziamento do trabalho do professor?:um estudo crítico-comparativo da teoria do professor reflexivo, do construtivismo e da psicologia vigotskiana. Campinas: Autores Associados, 2004.

FAUSTINO, R. C. Aprendizagem escolar entre os Kaingang no estado do Paraná: questões sobre língua, alfabetização e letramento. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 5, n. 2, p. 213-219, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/viewArticle/1046. Acesso em: 30 nov. 2011.

FAUSTINO, R. C. Política educacional nos anos de 1990: o multiculturalismo e a interculturalidade na educação escolar indígena. 2006. 330 f. Tese (Doutorado em Educação) – Programa de Pós-Graduação em Educação,Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis,2006.

FAUSTINO, R.C. Aprendizagem escolar entre os Kaingang no estado do Paraná: questões sobre língua, alfabetização e letramento. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 5, n. 2, p. 213-219, jul./dez. 2010. Disponível em: http://www.revistas2.uepg.br/index.php/praxiseducativa/article/viewArticle/1046. Acesso em: 30 nov. 2011.

FAUSTINO, R.C. MOTA, L. T (Org.). Kaingang do Faxinal: nossos conhecimentos e nossas histórias antigas. Il. Alexandre Krẽnkag Aparecido Farias, Jorge No Kaya Alves. Maringá: Eduem, 2010.

FAUSTINO, R.C; SILVA, I. R da.A educação escolar indígena no Paraná. In: SEMINÁRIO NACIONAL ESTADO E POLÍTICA SOCIAIS NO BRASIL, 2003, Cascavel. Anais... Cascavel: Unioste, 2003. Disponível em: <http://cac-php.unioeste.br/projetos/gpps/midia/seminario1/trabalhos/Educacao/eixo1/91Educacaoescolarindigena.pdf >. Acesso em: 20 out. 2011.

FAUSTINO.R.C.Cultura, diversidade cultural e prática educativa dos professores com a temática indígena. In: RODRIGUES, Elaine; ROSIN, Sheila Maria (Org.). Infância e práticas educativas. Maringá: Eduem, 2007. p. 235-248.

FERREIRA, B. Educação Kaingang: processos próprios de aprendizagem e educação escolar.Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Faculdade de Educação, Programa de Pós-Graduação em Educação, Porto Alegre, BR-RS, 2014.

FRISON, L. M. B. O espaço e o tempo na educação infantil. Disponível em: http://www.fapa.com.br/cienciaseletras. Acesso em: 16 fev. 2010.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Características gerais dos indígenas: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em:ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Caracteristicas_Gerais_dos_Indigenas/pdf/Publicacao_completa.pdf Acesso em: 10 Jan. 2014.

INEP - Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. Estatísticas sobre educação escolar indígena no Brasil – Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, 2007.

INEP- Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Censo da educação básica: 2012 – resumo técnico. – Brasília : Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2013.

LEONTIEV, A. N. Uma contribuição à Teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKII, L. V; LURIA, A. R. LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006.

LEONTIEV, A. O Desenvolvimento do psiquismo. São Paulo: Centauro, 2004.

LEONTIEV, A. Uma contribuição à Teoria do desenvolvimento da psique infantil. In: VIGOTSKI, Lev Semenovichet al. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2001

LIUNBLINSKAIA, A. A. Desenvolvimento psíquico da criança . Lisboa: Editorial Notícias, 1979 (coleção pedagógica v. 10).

MAHER, T. de J. M. A criança indígena: do falar materno ao falar emprestado. IN: FARIA, A. L G. de. MELLO, S. A (orgs).O mundo da escrita no universo da pequena infância. Campinas, SP: Autores Associados, 2012.

MAKARENKO, A. S. Conferências sobre educação infantil. Trad. Maria Aparecida AbelairaVizzotto. São Paulo: Moraes, 1981.

MELLO, S. A.Infância e humanização: algumas considerações na perspectiva histórico-cultural. IN: PERSPECTIVA, Florianópolis, v. 25, n. 1, 57-82, jan./jun. 2007.

MOREIRA, J. A. da S. LARA, A.M. de B. Políticas públicas para a Educação Infantil no Brasil (1990-2001). Maringá: Eduem, 2012.

MUKHINA, V. Psicologia na idade pré-escolar. São Paulo: Martins Fontes,1995.

NOVAK, M. S. J. Os organismos internacionais, a educação superior para indígenas nos anos de 1990 e a experiência do Paraná: estudo das ações da Universidade Estadual De Maringá. 342 f. Tese (Doutorado em Educação). Universidade Estadual de Maringá. Orientadora: Drª. Rosângela Célia Faustino. Maringá, 2014.

NOVAK, M. S. J.; FAUSTINO, R. C.;BORNIOTO, M. L. da S.;; ANDRIOLI, L. R. Formação superior de professores indígenas no Paraná. Educere, 2015 Disponível em: http://educere.bruc.com.br/arquivo/pdf2015/21921_10835.pdf Acesso em: 17 out. 2016

OBSERVATÓRIO DO PNE. Disponível em: http://www.observatoriodopne.org.br. Acesso em: 20 Jul. 2014.

OLIVERIA, J. P. de Muita terra para pouco índio? Uma introdução (crítica) ao indigenismo e à atualização do preconceito. In: SILVA, A. L. da; GRUPIONI, L. D. B. (Org.). A temática indígena na escola. Brasília: MEC: MARI: UNESCO, 1995.

PROJETO POLÍTICO PEDAGÍCO (PPP) COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA CACIQUE GREGÓRIO KAEKCHOT – EIEFEM. Terra Indígena Ivaí, 2010.

PROPOSTA PEDAGÓGICA CURRICULAR DA EDUCAÇÃO INFANTIL (PPC)- COLÉGIO ESTADUAL INDÍGENA CACIQUE GREGÓRIO KAEKCHOT – EIEFEM. Terra Indígena Ivaí, 2016.

ROCHA, C. C. da. Agência feminina na sociopolítica Kaingang. In: SACCHI, Ângela; GRAMKOW, Márcia Maria. (Orgs.). Gênero e povos indígenas: coletânea de textos produzidos para o "Fazendo Gênero 9" e para a "27ª Reunião Brasileira de Antropologia". - Rio de Janeiro, Brasília: Museu do Índio/ GIZ / FUNAI, 2012, p.116-127

ROSEMBERG, F. Educação infantil e povos indígenas no Brasil: apontamentos para um debate. In: Discutindo políticas de educação infantil, educação escolar indígena: Recife-PE: MIEIB – Movimento Interfóruns de Educação Infantil no Brasil. Centro de Cultura Luiz Freire-CCLF. Edição: Margarida Azevedo, 2005.

SHIROMA, E. O; EVANGELISTA, O. Formação humana ou produção de resultados? Trabalho docente na encruzilhada. Contemporânea de Educação, Rio de Janeiro, v. 10, n. 20, 2015.

SHIRONA, E. O; MICHELS, M. H; EVANGELISTA, O; GRACI, R. M. C. Tragédia docente e suas faces. In: Formação de professores no Brasil : leituras a contrapelo. Araraquara: Junqueira&Marin, 2017.

TROQUEZ, M. C. C. Educação infantil indígena na legislação e na produção do conhecimento. Horizontes – Revista de Educação, Dourados, MS, v.4, n.7, janeiro a junho 2016.

VIGOTSKI, L. Imaginação e criação na infância: ensaio psicológico. São Paulo: Ática, 2009.

VIGOTSKI, L. S. Obras Escogidas -Tomo IV. (2a ed.). Madrid: Visor Aprendizage y Machado Libros, 2006.

VIGOTSKI, L. S. Quarta aula: a questão do meio na pedologia. Tradução de Márcia Pileggi Vinha. Psicologia USP, São Paulo, v. 31, n. 4, p. 681-700, out./dez. 2010

VIGOTSKI, Lev Seminovich. Obras Escogidas -Tomo IV. (2a ed.). Madrid: Visor Aprendizage y Machado Libros, 2006.

VIGOTSKII, L. S. Aprendizagem e Desenvolvimento Intelectual na Idade Escolar. In:

VIGOTSKII, L.S; LURIA, A. R; LEONTIEV, A. N. Linguagem, desenvolvimento e aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006, p. 103-117.

VIGOTSKII, L. V; LURIA, A. R. LEONTIEV, A. N. Linguagem, Desenvolvimento e Aprendizagem. São Paulo: Ícone, 2006.

ZAPORÓZHETS, A. V Estudio psicologico del desarrollo de la motricidad en el nino preescolar. In: DAVIDOV, V; SHUARE, M. La psicologia evolutiva e pedagogia em la URSS: antologia. Moscu, Editorial, 1987.

Downloads

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Andrioli, L. R., & Faustino, R. C. (2021). Educação infantil indígena: : o direito, a participação dos povos e as práticas institucionais. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 622–650. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11997