Narrativas de adolescentes explorados como “mulas” do narcotráfico proveniente da fronteira Brasil-Paraguai

Autores

  • Andrea Pires Rocha UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11908

Palavras-chave:

fronteira, tráfico de drogas, mulas, adolescente, juvenicídio

Resumo

Sintetiza-se discussões referentes a questão dos mecanismos de controle impetrados pelo racismo, seletividade penal e guerra as drogas, no bojo do Estado penal. Apresenta-se a realidade de adolescentes explorados como mulas na rota de tráfico internacional proveniente da fronteira Brasil – Paraguai. O debate decorre da tese de doutorado “Trajetórias de adolescentes apreendidos como “mulas” do transporte de drogas na região da fronteira (Paraná) Brasil – Paraguai: exploração de força de trabalho e criminalização da pobreza. Neste artigo enfoca-se como se davam as viagens, trazendo um pouco das sensações, expectativas, satisfações, medos e riscos que as compunham.  Acredita-se que o artigo possibilita algumas aproximações acerca da complexa realidade dos meninos e meninas explorados como “mulas” do tráfico de drogas, demonstrando o quanto estão submetidos a dupla violência, pois, por um lado são explorados pelo narcotráfico, por outro, são criminalizados no bojo da guerra às drogas e, ambos os lados, os colocam em riscos constantes, contribuindo para a composição do juvenicídio.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andrea Pires Rocha, UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA

Docente do Departamento de Serviço Social da UEL. Doutora em Serviço Social pela UNESP, Mestre em Educação pela UEM. Pós doutora na Escola de Serviço Social da UFRJ

Referências

BRASIL. Mapa do Encarceramento: Jovens do Brasil. Secretaria-Geral da Presidência da República e Secretaria Nacional de Juventude. – Brasília : Presidência da República, 2015b.

BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente: Lei 8069 de 13 de Julho de 1990. 7. ed.. Brasília, DF, 2012.

MACHADO, Lia Osório. Estado, territorialidade, redes. Cidades gêmeas na zona de fronteira sul-americana. In: SILVEIRA, María Laura (Org.). Continente em chamas: globalização e território na América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

MACHADO, Lia Osório. Limites e Fronteiras: da alta diplomacia aos circuitos da ilegalidade. Território, Rio de Janeiro, ano 5, n. 8, p. 7-23, jan./jun. 2000.

XXXX. Trajetórias de adolescentes apreendidos como “mulas” do transporte de drogas na região da fronteira (Paraná) Brasil – Paraguai: exploração de força de trabalho e criminalização da pobreza. 2012. 396 f. Tese (Doutorado em Serviço Social) – Faculdade de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”, Franca/SP, 2012.

SANTOS, Milton. Espaço e sociedade. Rio de Janeiro: Vozes, 1979.

VALENZUELA, José Manuel (coord.). Juvenidicio: Ayotzinapa y las vidas precarias em America Latina y España. Barcelona> Ned Ediciones; Guadalajara: ITESO; Tijuana: El Colegio de la Frontera Norte, 2015.

WACQUANT, Loïc . Punir os Pobres: a nova gestão da miséria nos Estados Unidos. Tradução de Sérgio Lamarão. Rio de Janiero: Revan, 2003, 3ª. edição, revista e ampliada, agosto de 2007. 1ª. reimpressão, março de 2013.

WACQUANT, Loïc. As prisões da miséria. Tradução de André Telles. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

WAISELFISZ, Julio Jacobo. Mapa da Violência 2016: homicídios por armas de fogo no Brasil. FLACSO-Brasil: 2016

Downloads

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Rocha, A. P. (2021). Narrativas de adolescentes explorados como “mulas” do narcotráfico proveniente da fronteira Brasil-Paraguai. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 367–393. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11908