A conquista de direitos para os nascidos com síndrome da talidomida no Brasil

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11833

Palavras-chave:

síndrome da talidomida, conquista de direitos, deficiência

Resumo

A síndrome da talidomida afetou o desenvolvimento de crianças brasileiras em fins da década de 1950 e posteriormente. A talidomida era vendida como antiemético e sonífero. Se consumida no período inicial da gestação provocava embriopatias diversas. Milhares de crianças em 46 países nasceram com ausência ou encurtamento dos membros superiores e/ou inferiores. Seus fabricantes não se responsabilizaram pelos efeitos colaterais e as crianças cresceram sob a proteção de seus pais e familiares, sem qualquer direito ou assistência devido a sua condição, por parte do Estado. Com o objetivo de compreender o processo de luta por direitos para as crianças com síndrome, nascidas entre 1959 a 1964, através de pesquisa documental, este artigo analisa o processo de judicialização e posterior construção de legislação em termos de direitos para esse grupo social. A luta por direitos foi morosa, chegando até a idade adulta dos sujeitos a que esta pesquisa se refere.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Francieli Lunelli Santos, UNISECAL

Doutora em Ciências Sociais Aplicadas. Mestre em Ciências Sociais Aplicadas (2009). Especialista em História, Arte e Cultura (2006). Licenciada em História (2004) e Sociologia (2018). Professora do Centro Universitário Santa Amélia - UNISECAL, nos cursos de Direito e Serviço Social.

Referências

ABBERLEY, Paul. El concepto de opresión y el desarrollo de una teoría social de la discapacidad. In: BARTON, L. (Org.). Superar las barreras de la discapacidad. Madrid: Ediciones Morata, S. L., 2008. p. 34-50.

ABPST. Home. Associação Brasileira de Portadores da Síndrome da Talidomida. Disponível em: <http://www.talidomida.org.br>. Acesso em: 02 set. 2018.

ASSOCIAÇÃO Brasileira das Vítimas da Talidomida. Disponível em: <https://abvt.wordpress.com/abvt/> Acesso em: 19 jan. 2019.

BAHIA, Benedito Juarez. História, jornal e técnica: história da imprensa brasileira, vol. 1. Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

BARDIN, Laurence. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BARNES, Colin; OLIVER, Mike; BARTON, Len. Disability Studies Today. Cambridge: Polity Press, 2002.

BARROSO, Lucas Abreu; FROTA, Pablo Malheiros da Cunha. A obrigação de reparar por danos resultantes da liberação do fornecimento e da comercialização de medicamentos. Revista Trimestral de Direito Civil, v. 43, p. 99-114, 2010.

BIELER, Rosângela Berman. Inclusão e cooperação universal. In: VIVARTA, Veet. (Coord.). Mídia e deficiência. Brasília: Andi/Fundação Banco do Brasil, 2003. p. 31-33. Disponível em: <http://www.andi.org.br/sites/default/files/Midia_e_deficiencia.pdf>. Acesso em: 02 set. 2018.

BONFIM, Symone Maria Machado. A luta por reconhecimento das pessoas com deficiência: aspectos teóricos, históricos e legislativos. 2009, 214 f. Dissertação (Mestrado) – Instituto Universitário de Pesquisas do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2010.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Talidomida: orientação para uso controlado. Brasília: Ministério da Saúde, 2014.

_______. Poder Judiciário da União. Justiça Federal de Primeira Instância. Seção Judiciária do Estado do Rio Grande do Sul. Processo da 5.678/76. Rio Grande do Sul, 1983.

CAMPOS, André Luiz Vieira de; NASCIMENTO, Dilene Raimundo do, MARANHÃO, Eduardo. A história da poliomielite no Brasil e seu controle por imunização. História, Ciências, Saúde - Manguinhos. v. 10, suplemento 2, 2003. p. 573-600. Disponível em: < https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/0936.pdf>. Acesso em: 15 mar. 2017.

DE CARLI, Ruvana. Deficiente versus pessoa portadora de deficiência: uma análise discursiva dos jornais Zero Hora e Correio do Povo. 2003, 134 f. Dissertação (Mestrado em Comunicação e Informação) – Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2003.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Editora Brasiliense, 2007.

FOUCAULT, Michel. Os anormais. São Paulo: Martins Fontes, 2001.

GOFFMAN, Erving. Representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 1989.

GOHN, Maria da Glória. Movimentos sociais na contemporaneidade. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, v. 16, n. 47, p. 333-361, ago. 2011. Disponível em: <http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-24782011000200005&lng=en&nrm =iso>. Acesso em: 21 jul. 2019.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Editora 34, 2003.

KNIGHTLEY, Phillip. The Thalidomide Scandal: where we went wrong. In: PILGER, John. Tell me no lies: investigative journalism that changed the world. New York: Thunder’s Mouth Press, 2005, p. 357-385.

LEANDRO, José Augusto; SANTOS, Francieli Lunelli. História da talidomida no Brasil a partir da mídia impressa (1959-1962). Revista Saúde Sociedade, São Paulo, v. 24, n. 3, p. 991-1005, 2015. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/sausoc/v24n3/0104-1290-sausoc-24-03-00991.pdf>. Acesso em: 02 set. 2017.

__________. Talidomida no Brasil: “à distinta classe médica”. In: JORNADA DE SOCIOLOGIA DA SAÚDE, 7., 2013, Curitiba. Anais... Curitiba: UFPR, 2013. Disponível em: <http://www.humanas.ufpr.br/portal/sociologiasaude/files/2013/12 /TALIDOMIDA-NO-BRASIL-IATROGENIA.pdf>. Acesso em: 13 jan. 2018.

MELLO, Anahi Guedes de. Perspectivas interdisciplinares dos estudos sobre deficiência para a sociologia da saúde e ecologia humana. In: SEMINÁRIO DE SOCIOLOGIA DA SAÚDE E ECOLOGIA HUMANA, 1., Florianópolis. Anais... Florianópolis: UFSC, set. 2010. Disponível em: <https://www.seminarioformprof.ufsc.br/files/2010/12/MELLO-Anahi-Guedes-de2.pdf>. Acesso em: 10 mar. 2019.

MUNHOZ, Dercio Garcia. Inflação brasileira: os ensinamentos desde a crise dos anos 30. Economia Contemporânea, n. 1, jan./jun. 1997.

OLIVER, Mike. Políticas sociales y discapacidad. Algunas consideraciones teóricas. In: BARTON, Len. (Org.) Superar las barreras de la discapacidad. Madrid: Ediciones Morata, S. L., 2008. p. 19-33.

OLIVEIRA, Maria Auxiliadora; BERMUDEZ, Jorge Antônio Zepeda; SOUZA, Arthur Custódio Moreira de. Talidomida no Brasil: vigilância com responsabilidade compartilhada? Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v. 15, n. 1, p. 99-112, jan. 1999. Disponível em: <http://www.funed.mg.gov.br/wp-content/uploads/2015/10/1999_-Talidomida-no-brasil-vigilancia-com-responsabilidadecompartilhad a.pdf>. Acesso em: 02 set. 2019.

PEREIRA, Potyara Amazoneida. Política social do segundo pós-guerra: ascensão e declínio. Serviço Social e Saúde, Campinas, v. IX, n. 10, p. 1-21, dez. 2010. Disponível em: <https://periodicos.sbu.unicamp.br/ojs/index.php/sss/article/view/8634888/2787>. Acesso em: 18 ago. 2019.

__________. Política Social: temas e questões. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

SELAU, Bento; DAMIANI, Magda Floriana. Quando não se falava em inclusão: a história de vida do primeiro advogado cego formado no Brasil. Revista Educação Especial, Santa Maria, v. 27, n. 49, p. 417-430, mai./ago. 2014. Disponível em: <http://cascavel.ufsm.br/revistas/ojs-2.2.2/index.php/educacaoespecial/article/view/9633/pdf>. Acesso em: 30 jan. 2019.

SANTOS, Wederson Rufino dos. Os esquecidos: familismo e assistência pública na inimputabilidade por doença e deficiência mental no Brasil. 2014, 280 f. Tese (Doutorado em Sociologia) – Instituto de Ciências Sociais, Universidade de Brasília (UnB), Brasília, 2015. Disponível em: <http://repositorio.unb.br/bitstream/10482/17940/1/2014_Wederson RufinoSantos.pdf>. Acesso em: 03 set. 2019.

SOUSA, Regina. Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. Senado Multimídia, 22 mar. 2017. Disponível em: <https://www12.senado.leg.br/multimidia/ evento/71419>. Acesso em: 12 mai. 2019.

TÁ FALTANDO ALGUMA COISA. Associação Brasileira dos Portadores da Síndrome da Talidomida (ABPST). São Paulo: Produtora, 2012. Duração 75 min. Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=n8Dh4fYqtUU&t=339s>. Acesso em: 12 fev. de 2016.

Downloads

Publicado

2021-04-05

Como Citar

Santos, F. L. (2021). A conquista de direitos para os nascidos com síndrome da talidomida no Brasil. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 336–366. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11833