“Vote num homem sério e ganhe um cemitério”:

discursos de crítica política na obra O Bem-Amado, de Dias Gomes

Autores

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11663

Palavras-chave:

Teatro, Dias Gomes, História, Literatura, Política

Resumo

O ensaio analisa os discursos de crítica política na obra O Bem-Amado de Dias Gomes. Escrita nos anos 1960, a peça apresenta o contexto fictício de uma cidade baiana – Sucupira – do início do século XX, revelando de forma humorada e irônica, o quanto a edificação de um cemitério podia ser projeto eficaz para a promoção política individual. Abordamos o contexto do texto, as representações literárias que satirizam a construção do cemitério como projeto ineficiente, de pouca prioridade social, demonstrando crítica à estrutura sócio-política então vigente e analogia às contestações à construção de Brasília.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Geice Peres Nunes, UNIPAMPA

Doutora em Letras - Estudos Literários pela Universidade Federal de Santa Maria. Professora Adjunta da Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA).

Mauro Dillmann, UFPEL

Doutor em História, UNISINOS.

Prof. UFPEL

Referências

ALBUQUERQUE JÚNIOR, Durval Muniz de. A invenção do nordeste e outras artes. 2ª ed. Recife: Ed. Massangana; São Paulo: Cortez, 2001.

ALENCAR, Mauro. ...Se você não acredita, é um homem sem fé. In: GOMES, Dias. O Bem-Amado. Adaptação Mauro Alencar; colaboração Eliana Pace. São Paulo: Globo, 2008 [1962], pp. 05-10.

AXT, Gunter. Votar por quê? Ideologia autoritária, eleições e justiça no Rio Grande do Sul Borgista. Revista Justiça & História, vol. 1, n. 1 e 2, pp. 01-32, 2001.

CHALHOUB, Sidney. Machado de Assis, historiador. São Paulo: Companhia das Letras, 2003.

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. 14ª ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2011.

CARVALHO, José Murilo de. Mandonismo, Coronelismo, Clientelismo: uma Discussão Conceitual. Dados [online]. 1997, vol. 40, n. 2. Disponível em http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0011-52581997000200003&script=sci_arttext. Acessado em 29/052018.

COSTA, Iná Camargo. Dias Gomes: um dramaturgo nacional-popular. São Paulo: Unesp, 2017.

CEBALLOS, Viviane Gomes de. “E a história se fez cidade...”: a construção histórica e historiográfica de Brasília. Dissertação (Mestrado em História), Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Estadual de Campinas, 2005.

DARNTON, Robert. O grande massacre de gastos, e outros episódios da história cultural francesa. Trad. Sonia Coutinho. Rio de Janeiro: Graal, 1986.

DELGADO, Lucilia de Almeida Neves. Nacionalismo como projeto de nação: a Frente Parlamentar Nacionalista (1956-1964). In: FERREIRA, Jorge; REIS, Daniel Aarão (orgs). Nacionalismo e reformismo radical (1945-1964). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, pp. 357-376.

FERREIRA, Antonio Celso. Literatura, a fonte fecunda. In: PINSKY, Carla Bassanezi; DE LUCA, Tânia Regina (org). O historiador e suas fontes. São Paulo: Contexto, 2013, pp. 61-92.

FIGUEIREDO, Eurídice. A literatura como arquivo da ditadura brasileira. Rio de Janeiro: 7 Letras, 2017.

FRANZINI, Fábio. O conteúdo histórico da forma urbana: historicidade e cultura histórica nos discursos sobre Brasília. 8º Seminário Brasileiro de História da Historiografia, Mariana-MG, 19 de agosto de 2014.

GAY, Peter. Represálias selvagens: realidade e ficção na literatura de Charles Dickens, Gustave Flaubert e Thomas Mann. Trad. Rosaura Eichenberg. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

GOMES, Dias. O Bem-Amado. Adaptação Mauro Alencar; colaboração Eliana Pace. São Paulo: Globo, 2008 [1962].

MEDEIROS, Ana Maria. Uma metáfora do Brasil. O Bem-Amado e a Teledramaturgia de Dias Gomes. Dissertação (Mestrado em Sociologia), Programa de Pós-Graduação em Sociologia Política, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

MEGILL, Allan. Literatura e história. In: MALERBA, Jurandir (org). História & narrativa: a ciência e a arte da escrita histórica. Petrópolis, RJ: Vozes, 2016, pp. 265-272.

MOTTA, Antonio. À flor da pedra. Formas tumulares e processos sociais nos cemitérios brasileiros. Recife: Massangana, 2008.

NAPOLITANO, Marcos. Forjando a revolução, remodelando o mercado: arte engajada no Brasil (1956-1968). In: FERREIRA, Jorge; REIS, Daniel Aarão (orgs). Nacionalismo e reformismo radical (1945-1964). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, pp. 585-618.

NAPOLITANO, Marcos. A arte engajada e seus públicos (1955/1968). Estudos Históricos, Rio de Janeiro, n. 28, pp. 103-124, 2001.

PARANHOS, Kátia Rodrigues. Dias Gomes entre textos e cenas: a construção e a reconstrução de um autor. ArtCultura, Uberlândia, v. 19, n. 34, pp. 139-152, jan.-jun. 2017.

PATRIOTA, Rosangela. Percepções distópicas de experiências históricas que vislumbraram utopias – um ensaio sobre O homem que amava os cachorros – Leonardo Padura, Fênix, Revista de História e Estudos Culturais, v. 14, ano XIV, n. 2, pp. 01-18, jul.dez. 2017.

REVEL, Jacques. Proposições: ensaios de história e historiografia. Trad. Claudia O’Connor dos Reis. Rio de Janeiro: Eduerj, 2009.

SACRAMENTO, Igor Pinto. Nos tempos de Dias Gomes. A trajetória de um intelectual comunista nas tramas comunicacionais. Tese (Doutorado em Comunicação e Cultura), Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2012a.

SACRAMENTO, Igor Pinto. Dias Gomes com opinião: o individual e o coletivo na consolidação da dramaturgia nacional-popular. Baleia na Rede, Estudos em arte e sociedade, vol. 9, n. 1, pp. 92-114, 2012b.

SILVA, Fernando Teixeira da; SANTANA, Marco Aurélio. O equilibrista e a política: o “Partido da Classe Operária” (PCB) na democratização (1945-1964). In: FERREIRA, Jorge; REIS, Daniel Aarão (orgs). Nacionalismo e reformismo radical (1945-1964). Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007, pp. 101-140.

SILVA, Paulo Renato da. Povo, Revolução e Brasil por Dias Gomes (1962-1966). Cadernos AEL, v. 8, n. 14/15, pp. 119-150, 2001.

SILVA, Aline Monteiro de Carvalho. Entre a ficção e a memória? Dias Gomes e a trajetória de um intelectual “subversivo” (1980-1999). Tese (Doutorado em História), Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2017.

Downloads

Publicado

2021-04-05 — Atualizado em 2021-04-05

Versões

Como Citar

Nunes, G. P., & Dillmann, M. (2021). “Vote num homem sério e ganhe um cemitério”:: discursos de crítica política na obra O Bem-Amado, de Dias Gomes. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 13(25), 477–499. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v13i25.11663