Mapas Sociais: Subsídios para a elaboração do Plano de Gestão territorial e ambiental potiguara

Autores

  • Alicia Ferreira Gonçalves Professora Associada II da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Programa de Pós Graduação em Antropologia (PPGA). Departamento de Ciências Sociais.

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v12i23.11226

Palavras-chave:

Mapas Sociais, PGTA, PNGATI, Potiguara, Nordeste brasileiro, Conflitos Socioambientais

Resumo

Se apresentam resultados da aplicação de uma metodologia baseada no desenho de mapas sociais por indígenas Potiguara do nordeste brasileiro – que configuram subsídios para a elaboração do PGTA.  A pesquisa etnográfica foi realizada em oito aldeias entre 2018 e 2019 onde foi realizado um ciclo de oficinas de cartografia social, com trilhas e desenhos dos mapas que refletem as cosmovisões Potiguara. Demandas por saneamento básico, saúde, educação, políticas de geração de renda e ações de proteção ambiental são temáticas desenhadas nos mapas. Assim como, conflitos entre atividades exógenas e atividades tradicionais. O PGTA teria um efeito paradoxal: se realizado e efetivado tem a potência jurídica de conferir autonomia na gestão dos territórios indígenas em consonância com a proteção do ambiente. Se não realizado, se converte em instrumento jurídico de tomada de direitos no atual governo que assume explicitamente o lobby de empreendimentos capitalistas em detrimento dos direitos indígenas assegurados constitucionalmente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Alicia Ferreira Gonçalves, Professora Associada II da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Programa de Pós Graduação em Antropologia (PPGA). Departamento de Ciências Sociais.

Professora Associada II da Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Programa de Pós Graduação em Antropologia (PPGA). Departamento de Ciências Sociais. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Interdisciplina em Sociedade, Cultura e Ambiente (GIPCSA), Vice-coordenadora do PPGA.

Referências

Referencias

ACSELRAD, Henri. Cartografias sociais e território. Rio de Janeiro: Editora do Instituto de Planejamento Urbano e Regional (IPPUR), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); 2008.

BRASIL. Decreto nº 7.747, de 5 de jun. de 2012. Dispõe sobre a Política Nacional de Gestão Ambiental e Territorial Indígena (PNGATI). Diário Oficial da União: Brasília, 2012.

BRITO, Daguinete Maria Chaves et al. Conflitos socioambientais no século XXI. PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, v. 4, n. 4, p. 51-58, 2012.

CARDOSO, Thiago Mota; GUIMARÃES, Gabriella Casimiro (Ed.). Etnomapeamento dos Potiguara da Paraíba. FUNAI, 2012.

COSTA, Ivys Medeiros da et al. A gestão participativa em áreas sobrepostas de unidade de conservação e terra indígena: a situação dos Potiguara na Paraíba. João Pessoa, 2019.

GEERTZ, Clifford. A interpretação das culturas, Rio de Janeiro: Ed. 1989.

GONÇALVES, Alicia Ferreira. Etnografia, etnologia & teoria antropológica. João Pessoa: Revista Politica & Trabalho (UFPB), n. 44, 2016.

LAYRARGUES, Philippe Pomier. Do ecodesenvolvimento ao desenvolvimento sustentável: evolução de um conceito. Revista Proposta, v. 25, n. 71, p. 5-10, 1997.

LENKERSDORF, Carlos. Filosofar en clave tojolabal. Mexico City: Miguel Ángel Porrúa, 2002.

LITTLE, Paul E. Etnodesenvolvimento local: autonomia cultural na era do neoliberalismo global. Tellus, n. 3, p. 33-52, 2014. Disponível em: http://www.ufrgs.br/pgdr/arquivos/693.pdf. Acesso em: 25 ago. 2014.

LUCENA, Jamerson Bezerra. Los potiguara hacia el camino de la milpa: las funciones económicas de grupos domésticos indígenas potiguara. Desacatos. Revista de Ciencias Sociales, n. 62, p. 100-113, 2020.

MOONEN, Francisco. Os índios potiguara da Paraíba. 2ª edição digital aumentada. Recife, 2008. Disponível em: http://www.dhnet.org.br/direitos/militantes/lucianomaia/moonen_indios_potiguara_pb_2008.pdf. Acesso em: 15 jan. 2019.

OLIVEIRA, Marcelo Ribeiro. O conceito jurídico da expressão “povos e comunidades tradicionais” e as inovações do decreto 6.040/2007. Disponível em: http://portalypade.mma.gov.br/publicacoes/category/70-povos-e-comunidades-tradicionais?download=526:o-conceito-juridico-da-expressao-povos-e-comunidades-tradicionais-e-as-inovacoes-do-decreto-6-040-2007/. Acesso em: 25 ago. 2015.

PRADO FILHO, Kleber; TETI, Marcela Montalvão. A cartografia como método para as ciências humanas e sociais. Barbarói, n. 38, p. 45-59, 2013.

SOUZA, José Godoy Bezerra de; BARBOSA, Sandro Gomes; GOMES, Irenildo Cassiano; et al. Termo de Compromisso e Ajustamento de Conduta nº36/2017. João Pessoa: Procuradoria da República na Paraíba 06 dez. 2017.

SMITH, Maira; STIBICH, Graziela R. de; GRUPIONI, Luis Donisete Benzi. (Orgs.). PNGATI: Plano Integrado de Implementação da Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas. – Brasília: Projeto GATI/Funai, 2016.

Downloads

Publicado

2020-07-10

Como Citar

Gonçalves, A. F. (2020). Mapas Sociais: Subsídios para a elaboração do Plano de Gestão territorial e ambiental potiguara. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 12(23), 104–127. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v12i23.11226