A produção da invisibilidade indígena: sobre construção de dados demográficos, apropriação de terras e o apagamento de identidades indígenas na segunda metade do XIX a partir da experiência paulista.

Soraia Sales Dornelles

Resumo


Este artigo apresenta alguns apontamentos iniciais sobre o problema da construção de dados estatísticos sobre as populações indígenas na segunda metade do século XIX, tendo por base a província de São Paulo. A partir da promulgação da legislação indigenista, o Regulamento acerca das Missões de Catequese e Civilização dos Índios (1845) e da Lei de Terras (1850) houve um claro interesse em tomar as terras indígenas como bens da União, através da dissolução das formas comunitárias de acesso à terra e, fim último, a formação de um contingente de trabalhadores livres e despossuídos. Para tanto diversas estratégias visaram produzir a invisibilidade das populações indígenas e de seus descendentes, entre elas a sua descaracterização identitária por meio de dados demográficos presentes ou ausentes nos Relatórios oficiais.


Palavras-chave


Demografia. Terras. Identidades indígenas.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v10i20.489

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia