Porto Alegre e Pelotas: duas experiências de municipalização do saneamento no Rio Grande do Sul da Primeira República

Autores

  • Fabiano Quadros Rückert UFMS
  • Felipe Maropo UFMS

DOI:

https://doi.org/10.14295/rbhcs.v9i18.427

Resumo

O artigo aborda o processo de municipalização do saneamento em duas cidades do Rio Grande do Sul, no período da Primeira República (1889-1930). Explorando documentos do poder público, projetos de engenharia e matérias publicadas na imprensa da época, a pesquisa realizada destaca as estratégias jurídicas e financeiras usadas pelas duas municipalidades para interferir nos serviços de saneamento – abastecimento de água e coleta de esgoto – que estavam sob o controle de empresas particulares no começo da República. Dentro deste contexto, as discussões sobre salubridade urbana ganham importância e serão contempladas pelo artigo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fabiano Quadros Rückert, UFMS

Doutor em História e professor da UFMS. 

Felipe Maropo, UFMS

Mestre em História e Docente na UFMS.

Referências

ASSUMPÇÃO, Jorge Euzébio. Pelotas: Escravidão e Charqueadas. 1780-1888. Porto Alegre: FMC Editora, 2013.
ÁVILA, Vladimir Ferreira de. Saberes históricos e práticas cotidianas sobre o saneamento: desdobramentos na Porto Alegre do século XIX (1850 – 1900). Dissertação (Mestrado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2010. <http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/3945/1/000425495-Texto%2BCompleto-0.pdf>
AXT, Gunter. Gênese do Estado Moderno no Rio Grande do Sul. 1889-1929. Porto Alegre: Editora Paiol, 2011.
CANO, Wilson. Raízes da Concentração Industrial em São Paulo. São Paulo: Hucitec, 1990.
COSTA, Emília Viotti da. Da Senzala à Colônia. 4ª edição. São Paulo: UNESP, 1998.
CORBIN, A. Saberes e Odores. São Paulo: Companhia das Letras, 1987.
DACANAL, José H. e GONZAGA, Sergius. RS: Imigração e Colonização. Porto Alegre: Mercado Aberto, 1980.
CARVALHO, José Murilo de. Teatro de sombras: a política imperial. Rio de Janeiro: IUPERJ, 1988.
DEAN, Warren. A industrialização de São Paulo. 2. ed. Rio de Janeiro: Difel, 1976.
FAORO, Raymundo. Os donos do poder: formação do patronato político brasileiro. São Paulo: Globo, 1989, 2 v.
FEE. De Província de São Pedro a Estado do Rio Grande do Sul. Censos do RS: 1803-1950. Porto Alegre: Fundação de Economia e Estatística, 1981.
FERREIRA, Marieta de Moraes. Política e poder no Rio de Janeiro da República Velha. Revista do Rio de Janeiro. Niterói, Vol. 1, n. 1, p. 115-120, set/dez. 1985.
GILL, Lorena. O mal do século: tuberculose, tuberculosos e políticas de saúde pública em Pelotas (RS) 1890-1930. Pelotas: EDUCAT, 2007.
GUTIERRES, Éster J. B. Barro e sangue: mão-de-obra, arquitetura e urbanismo em Pelotas. Tese (Doutorado em História) – Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.
HUYER, André. A Ferrovia do Riacho. Do sanitarismo a modernização de Porto Alegre. Porto Alegre: EVANGRAF, 2015.
LAPA, José Roberto do Amaral. Economia Cafeeira. São Paulo: Brasiliense, l986.
LARREA- KILLINGER, Cristina. La Cultura de los Olores: Un aproximación a la antropología de los sentidos. Quito: Ediciones ABYA-YALA, 1997.
LOVE, Joseph. O Regionalismo Gaúcho e as Origens da Revolução de 30. São Paulo: Perspectiva, 1975.
LOVE, Joseph. A locomotiva: São Paulo na federação brasileira, 1889-1937. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1982.
PANG, Eul Soo. Coronelismo e oligarquias (1889-1934). A Bahia na Primeira República brasileira. Rio de janeiro: Civilização brasileira, 1979.
PRADO JUNIOR, Caio. Formação do Brasil Contemporâneo: colônia. 12. ed. São Paulo: Brasiliense, 1972.
ROSEN, George. História da saúde pública. São Paulo: Unesp, 2000.
RÜCKERT, Fabiano Quadros. O saneamento e a politização da higiene no Rio Grande do Sul (1828-1930). Tese (Doutorado em História), UNISINOS, São Leopoldo, 2015.
RÜCKERT, Fabiano Quadros. Poder público, imprensa e saneamento na cidade de Pelotas, RS (1834-1908). MOREIRA, Paulo; et al. (Orgs.). Instituições e práticas de controle social: perspectivas de pesquisa. São Leopoldo: OIKOS/Editora UNISINOS, 2016a, p. 317-345.
RÜCKERT, Fabiano Quadros. Porto Alegre e o problema das “materias fecaes”: o serviço de Asseio Público e a construção da primeira rede de esgoto na capital do Rio Grande do Sul (1879-1912). Tempos Históricos. Volume 20, 1º Semestre de 2016b, p. 105-130.
<http://e-revista.unioeste.br/index.php/temposhistoricos/article/view/13551/9953>
SANTOS, Roselys Isabel Correa dos. A terra prometida: emigração italiana: mito e realidade. 2. ed. Itajaí: Editora da UNIVALI, 1999.
SEYFERTH, Giralda. A colonização alemã no Vale do Itajaí-Mirim: um estudo do desenvolvimento econômico. Porto Alegre: Movimento, 1974.
SILVA, Sérgio. Expansão cafeeira e origem da indústria no Brasil. São Paulo, Alfa-Omega, 1976.
SILVEIRA, Aline Montagna da. De fontes e aguadeiros à penas d’água. Reflexões sobre o sistema de abastecimento de água e as transformações da arquitetura residencial no final do século XIX em Pelotas, RS. Tese (Doutorado em Arquitetura) – Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo, Universidade de São Paulo, 2009.
SOARES, Paulo Roberto Rodrigues. Del proyecto urbano a la producción del espacio: morfología urbana de la ciudad de Pelotas, Brasil (1812-2000). Tese (Doutorado em Geografia) – Departamento de Geografía Humana, Universidad de Barcelona, Barcelona, 2002.
URICOCHEA, Fernando. O minotauro imperial. A burocratização do Estado Patrimonial brasileiro no século XIX. Rio de Janeiro/São Paulo: Difel, 1978.
VARGAS, Jonas Moreira. Pelas margens do Atlântico: um estudo sobre elites locais e regionais no Brasil a partir das famílias proprietárias de charqueadas em Pelotas, Rio Grande do Sul (século XIX). Tese (Doutorado em História) – Programa de Pós-Graduação em História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2013.
XAVIER, Janaina Silva. O saneamento em Pelotas (1871-1915): o patrimônio sob o signo de modernidade e progresso. Dissertação (Mestrado em Memória Social e Patrimônio Cultural) – Instituto de Ciências Humanas, Universidade Federal de Pelotas, Pelotas, 2010. <http://guaiaca.ufpel.edu.br/bitstream/.../1/Janaina_Silva_Xavier_Dissertacao.pdf>
VISCARDI, Cláudia. O teatro das oligarquias: uma revisão da “política do café com leite”. Belo Horizonte: Fino Traço, 2012.
ZARTH, Paulo Antônio. Do arcaico ao Moderno: o Rio Grande do Sul agrário do século XIX. Ijuí: Editora UNIJUÍ, 2002.
WEIMER, Günter. A Política Sanitarista como Diretriz de Planejamento na República Velha Gaúcha. In: WEIMER, Günter (Org.). Urbanismo no Rio Grande do Sul. Porto Alegre: UFRGS, p. 93-109, 1992.
WIRTH, John. O fiel da balança: Minas Gerais na federação brasileira (1889-1937), Rio de Janeiro: Paz e terra, 1982.

Downloads

Publicado

2017-12-25

Como Citar

Rückert, F. Q., & Maropo, F. (2017). Porto Alegre e Pelotas: duas experiências de municipalização do saneamento no Rio Grande do Sul da Primeira República. Revista Brasileira De História &Amp; Ciências Sociais, 9(18), 163–183. https://doi.org/10.14295/rbhcs.v9i18.427