“Família, melhor ter muita do que nenhuma.”: Família, hierarquia e relações de poder em Porto Alegre (séc. XVIII e XIX)

Denize Terezinha Leal Freitas

Resumo


O presente estudo propõe uma reflexão sobre as relações de poder e hierarquia a partir de práticas familiares em Porto Alegre durante o período colonial tardio, na segunda metade do século XVIII. O laboratório de nossa análise será as relações familiares de Dona Anna Marques de Sampaio, uma celibatária sem filhos e Manuel José de Freitas Travassos, importante “homem bom” que viveu nesta comunidade durante este período. Para tanto, nos valeremos dos aportes teóricos e metodológicos da História da Família e das Populações, da Demografia histórica e do cruzamento nominativo das fontes civis e eclesiásticas com o propósito de compreendermos estes traços remetem ao Antigo Regime no extremo sul da América Portuguesa. De modo geral, consideramos que a mobilidade social e geográfica foram os pilares que conjugaram uma série de características que podemos denominar como práticas de Antigo Regime meridionais.


Palavras-chave


Família; relações de poder; hierarquia; Porto Alegre;

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.14295/rbhcs.v8i16.400

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2016 Denize Terezinha Leal Freitas

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Revista Brasileira de História & Ciências Sociais - RBHCS

Qualis Capes B1 - A Nacional 

Desde 07 de março de 2009

A Revista Brasileira de História & Ciências Sociais utiliza  Licença Creative Commons Attribution 4.0

Creative Commons License

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia